Menu


Prefeitura planta mais de 9 mil mudas de árvores em área verde próxima à Estação de Tratamento

  • Publicado em Obras

Localizada no Jardim de Mônaco, área tem recebido plantios regulares, feitos por equipes do projeto de Arborização e Paisagismo

Aos poucos, a área verde próxima à ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), no Jardim de Mônaco, vai ficando um pouco mais verde, graças à ação da Prefeitura de Hortolândia. As equipes do Projeto de Arborização e Paisagismo já realizaram cinco plantios no local, três deles somente neste mês e dois em outubro. Ao todo, já foram semeadas lá 9.155 mudas de árvores frutíferas e nativas do Brasil. A meta da Administração Municipal é, até 2024, espalhar mais de 50.000 mudas de árvores nesta e em outras áreas da cidade.

O mais recente plantio neste local, de mil novas mudas, foi no dia nove deste mês: 160 mudas de quatro espécies de ipês (rosa, branco, amarelo e roxo) e 840 de 28 espécies variadas, inclusive frutíferas, como pitanga, araçá, pitomba, urucum e jenipapo; além de outras nativas da flora brasileira, como cedro, jequitibá rosa, quaresmeira, paineira, ficheira, pau d’alho e jacarandá. As informações são do Viveiro Municipal “Antonio da Costa Santos”, órgão da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável.

Nesta semana, as equipes de plantio trabalharam no viário central que vai da Av. Panaíno até as imediações do Pq. Socioambiental Remanso das Águas. Lá, foram plantadas, nesta quarta-feira (23/11), 1.325 novas mudas, na área próxima ao Atacadista Assaí.

Até agora, no âmbito do projeto de Arborização e Paisagismo, foram plantadas cerca de 20 mil mudas, em diversas áreas de Hortolândia, segundo os relatórios disponibilizados pela Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável. Entre os objetivos do projeto está o de preservar espécies nativas da flora nacional, tornando a cidade mais verde e agradável para os animais da fauna local e regional e para a comunidade. As ações começaram em maio deste ano e são coordenadas pela Secretaria de Obras, envolvendo todas as secretarias municipais.

Este projeto atende aos ODS (Objetivos do Desenvolvimento Sustentável) estabelecidos pela ONU (Organização das Nações Unidas) e permite a compensação ambiental das obras que compõem o Programa de Infraestrutura Urbana e Desenvolvimento Sustentável. Deste modo, a Administração Municipal projeta Hortolândia para os próximos 30 anos, com desenvolvimento econômico e equilíbrio ambiental, tornando-a uma cidade inteligente e sustentável.

Confira as principais ações do projeto de Arborização e Paisagismo:

• Plantio de mais de 50 mil mudas de árvores nativas e frutíferas, para melhorar o ar que respiramos e criar pequenos bolsões de floresta nativa, atraindo pássaros e pequenos animais silvestres;

• Criar paisagismo nas principais avenidas do município, plantando de forma ordenada várias espécies de árvores, embelezando a cidade;

• Criar vários canteiros floridos na cidade, com flores que deixam nossa cidade mais colorida;

• Plantio nas calçadas das casas, escolas e postos de saúde, para gerar abrigo do sol;

• Incentivo de atividades educacionais e ambientais envolvendo outras secretarias e à comunidade.

Leia mais ...

Estacas são armadas e concretadas em obra do novo Paço Municipal de Hortolândia

  • Publicado em Obras

Empresa contratada pela Prefeitura executa fundações do prédio, no Jardim Novo Ângulo

A obra de construção do Novo Paço Municipal de Hortolândia avança um pouco mais, nesta semana. Além de perfurar o terreno com máquina perfuratriz, a empresa contratada pela Prefeitura realiza também a colocação de ferragens (armaduras) nos pontos pré marcados e já furados e concreta as estacas. Esta fase de execução da fundação, que marca a primeira etapa de realização de uma obra, se estenderá por mais um mês, aproximadamente, de acordo com a Secretaria de Obras.

O novo Centro Administrativo do Município de Hortolândia é construído em terreno de 60 mil metros quadrados, que fica no Jardim Novo Ângulo, nas imediações da Ponte da Esperança e do Corredor Metropolitano. A Ordem de Serviços para o início da construção foi assinada em 29 de junho. A terraplenagem começou no princípio de julho. Depois disso, foi feita a demarcação do local exato onde o prédio será erguido e a Prefeitura passou a receber as ferragens agora utilizadas nas fundações. 

Segundo a Secretaria de Planejamento Urbano e Gestão Estratégica, a nova sede do Poder Executivo abrigará todas as secretarias e órgãos municipais de atendimento ao público que atualmente ocupam imóveis alugados. Um dos objetivos da ação é reduzir custos fixos da Prefeitura com a infraestrutura necessária ao seu funcionamento.

O prédio será construído com estruturas pré-fabricadas, o que, ainda segundo a Secretaria de Planejamento Urbano e Gestão Estratégica, garantirá maior confiabilidade no cumprimento do cronograma. “Com essa estratégia, pretendemos reduzir e eliminar custos indiretos, desperdício de material e ociosidade de pessoal. Em resumo, a obra fica mais rápida e sem surpresas no orçamento final”, esclarece o secretário da Pasta, Carlos Roberto Prataviera Júnior.

O imóvel terá aproximadamente 10 mil metros quadrados de área construída e, no espaço remanescente, haverá jardins e estacionamento. O projeto prevê ainda que o prédio tenha cisternas para armazenamento de águas da chuva, que serão utilizadas tanto na manutenção dos jardins quando na limpeza do próprio Paço. 

Além disso, a nova sede do Executivo terá uma usina própria de energia solar (fotovoltaica), com placas de captação instaladas como uma cobertura para o estacionamento. De acordo com Prataviera, a ideia é que esta usina produza energia suficiente para abastecer todo o edifício e o excedente seja transmitido à rede elétrica da CPFL (Companhia Paulista de Força e Luz) para compensações futuras. Isso permitirá a redução da conta de energia do Paço, otimizando recursos naturais abundantes na cidade durante o ano inteiro. A construção da usina será feita com recursos da CIP (Contribuição de Iluminação Pública), afirma o secretário.

Para realizar a obra, a Administração Municipal investe R$ 55 milhões. Os recursos foram captados junto à Caixa Econômica Federal, via Finisa (Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento).

Leia mais ...

Viário central de Hortolândia recebe novo plantio de mais 1,3 mil novas mudas de árvores

  • Publicado em Obras

Projeto de Arborização e Paisagismo da Prefeitura também preparam Viário Central para receber novas mudas de árvores

O viário central, trecho do “Superviário” localizado entre a Av. Panaíno, no Green Park, até as imediações do Pq. Socioambiental Remanso das Águas, no Parque dos Pinheiros, recebe, nesta quarta-feira (23/11), o plantio de 1.325 novas mudas de árvores, como ipês, patas de vaca, jequitibás, sibipirunas e jacarandás. A ação faz parte do projeto de Arborização e Paisagismo, em realização pela Prefeitura de Hortolândia.

Informações fornecidas pelo Viveiro Municipal “Antonio da Costa Santos”, órgão da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, mostram que, até o momento, a área verde, nas imediações do atacadista Assaí, já recebeu 6.465 mudas de árvores frutíferas e nativas do Brasil. O último plantio, de 320 mudas, foi no dia 10 deste mês. O “Superviário” é o maior complexo viário da cidade e permitirá a integração entre regiões antes afastadas ou de difícil acesso da cidade.

Relatórios da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável mostram que, em diversas áreas de Hortolândia, foram plantadas cerca de 20 mil mudas, até o momento. O Projeto de Arborização e Paisagismo busca espalhar mais de 50.000 mudas de árvores pela cidade até 2024, preservando as espécies nativas da flora nacional, tornando a cidade mais verde e agradável para os animais da fauna local e regional e para a comunidade. As ações começaram em maio deste ano e são coordenadas pela Secretaria de Obras, envolvendo todas as secretarias municipais.

O Projeto de Arborização e Paisagismo atende aos ODS (Objetivos do Desenvolvimento Sustentável) estabelecidos pela ONU (Organização das Nações Unidas) e permite a compensação ambiental das obras que compõem o Programa de Infraestrutura Urbana e Desenvolvimento Sustentável. Deste modo, a Administração Municipal projeta Hortolândia para os próximos 30 anos, com desenvolvimento econômico e equilíbrio ambiental, tornando-a uma cidade inteligente e sustentável.

Confira as principais ações do projeto de Arborização e Paisagismo:

Plantio de mais de 50 mil mudas de árvores nativas e frutíferas, para melhorar o ar que respiramos e criar pequenos bolsões de floresta nativa, atraindo pássaros e pequenos animais silvestres;

• Criar paisagismo nas principais avenidas do município, plantando de forma ordenada várias espécies de árvores, embelezando a cidade;

• Criar vários canteiros floridos na cidade, com flores que deixam nossa cidade mais colorida;

• Plantio nas calçadas das casas, escolas e postos de saúde, para gerar abrigo do sol;

• Incentivo de atividades educacionais e ambientais envolvendo outras secretarias e à comunidade.

Leia mais ...

Trecho do Superviário na Av. Panaíno é preparado para receber sistema de drenagem pluvial

  • Publicado em Obras

Obra também avança na região do Jd. Novo Ângulo, onde é feita a duplicação da Estrada Sabina Baptista de Camargo

A obra do Superviário, em realização pela Prefeitura de Hortolândia, acaba de ganhar uma nova frente de trabalho, desta vez ao lado da Av. Panaíno, perto do Residencial Green Park. O terreno localizado antes da ponte da linha férrea já foi limpo e agora recebe terraplenagem, sendo rebaixado para a realização da próxima etapa do serviço. A previsão da empresa contratada é que, ainda nesta semana, comece a implantação do sistema de drenagem pluvial.

Na região do Jd. Novo Ângulo, a obra avança no trecho próximo à rotatória que leva a empresas na região do Jd. Nova América e, em breve, permitirá acesso ao viário central, implantado embaixo da Ponte da Esperança. A ponte sobre o Ribeirão Jacuba, no Parque dos Pinheiros, depois de concretada a lage, recebe cobertura de terra vermelha (aterro). Ela é preparada para ser asfaltada. Antes disso, porém, haverá a colocação de camada de agregado reciclado. Além disso já foi feita a concretagem do muro de ala, estrutura lateral que evita a erosão do terreno e ajuda a captar e direcionar o escoamento das águas da chuva, servindo para sustentar as aduelas e segurar o aterro nas cabeceiras da ponte, tanto na entrada quanto na saída. 

O trecho de 440 metros de extensão da Estrada Municipal Sabina Baptista de Camargo, que está sendo prolongado e duplicado recebe diversas intervenções: colocação de guias (meios-fios) e sarjetas, construção de calçadas e ciclovia, além de implantação da rede de drenagem pluvial, com instalação de PVs (Poços de Visita). Este serviço é realizado ao longo da área que vai da rotatória do Parque Socioambiental Remanso das Águas ao canteiro de obras do Novo Paço.

Todas as ações fazem parte da implantação do maior complexo viário de Hortolândia, que permitirá a integração entre regiões antes afastadas ou de difícil acesso da cidade. Segundo a Secretaria de Obras, atualmente, as intervenções já atingem 91,62% de realização. A previsão de término da obra, iniciada em junho de 2021, é para este segundo semestre.

Leia mais ...

Empresa constrói muro de ala na ponte sobre o Ribeirão Jacuba no Parque dos Pinheiros

  • Publicado em Obras

Obra do Superviário, na região do Jd. Novo Ângulo, também avança com duplicação da Estrada Sabina Baptista de Camargo

Depois da colocação das aduelas, da armação e concretagem da lage, a ponte sobre o Ribeirão Jacuba, no Parque dos Pinheiros, começou, nesta quarta-feira (16/11), a ganhar muro de ala. Além de evitar a erosão do terreno e ajudar a captar e direcionar o escoamento das águas da chuva, a estrutura lateral serve para sustentar as aduelas e segurar o aterro nas cabeceiras da ponte, tanto na entrada quanto na saída.

A previsão é que o muro seja concretado ainda nesta semana. Este trecho fica bem próximo à rotatória que leva a empresas na região do Jd. Nova América e, em breve, permitirá acesso ao viário central, implantado embaixo da Ponte da Esperança.

Nesta quinta-feira (17/11), a empresa contratada pela Prefeitura de Hortolândia abriu outra frente de trabalho nas obras do Superviário, nas imediações da Av. Panaíno, perto do Residencial Green Park, antes da ponte da linha férrea. O terreno que em breve receberá serviços de drenagem pluvial está sendo limpo e rebaixado. 

Na região do Jd. Novo Ângulo, o trecho de 440 metros de extensão da Estrada Municipal Sabina Baptista de Camargo, que está sendo prolongado e duplicado pela Administração Municipal, continua a receber intervenções: colocação de guias (meios-fios) e sarjetas, construção de calçadas e ciclovia, além de implantação da rede de drenagem pluvial, com instalação de PVs (Poços de Visita). Este serviço é realizado ao longo da área que vai da rotatória do Parque Socioambiental Remanso das Águas ao canteiro de obras do Novo Paço.

Todas as ações fazem parte da implantação do maior complexo viário de Hortolândia, que permitirá a integração entre regiões antes afastadas ou de difícil acesso da cidade. Segundo a Secretaria de Obras, atualmente, as intervenções já atingem 91,62% de realização. A previsão de término da obra, iniciada em junho de 2021, é para este segundo semestre.

Leia mais ...

Obra do novo Paço Municipal de Hortolândia começa a ganhar fundações

  • Publicado em Obras

Após marcações no terreno, localizado no Jd. Novo Ângulo, construtora “perfura estacas” na área

A obra de construção do Novo Paço Municipal de Hortolândia entra em nova etapa, a partir desta semana. A empresa construtora começou, nesta terça-feira (08/11), a “perfurar estacas”, isto é, a cavar buracos com o auxílio de máquina perfuratriz, nos pontos pré marcados no terreno. Segundo a Secretaria de Obras, o processo que marca o início de construção das fundações se estenderá pelos próximos 45 dias.

O terreno de 60 mil metros quadrados onde é construído o Centro Administrativo do Município de Hortolândia fica no Jardim Novo Ângulo, nas imediações da Ponte da Esperança e do Corredor Metropolitano. A Ordem de Serviços para o início da obra foi assinada em 29 de junho e os serviços de terraplenagem começaram no princípio de julho. Depois disso, houve a demarcação do local exato onde o prédio será erguido e a Prefeitura passou a receber as ferragens agora utilizadas nas fundações. 

A nova sede abrigará todas as secretarias e órgãos municipais de atendimento ao público que atualmente ocupam imóveis alugados. Um dos objetivos da ação é reduzir custos fixos da Prefeitura com a infraestrutura necessária ao seu funcionamento.

O prédio será construído com estruturas pré-fabricadas, o que, segundo a Secretaria de Planejamento Urbano e Gestão Estratégica, garantirá maior confiabilidade no cumprimento do cronograma. “Com essa estratégia pretendemos reduzir e eliminar custos indiretos, desperdício de material e ociosidade de pessoal. Em resumo, a obra fica mais rápida e sem surpresas no orçamento final”, esclarece o secretário da Pasta, Carlos Roberto Prataviera Júnior.

O imóvel terá aproximadamente 10 mil metros quadrados de área construída e, no espaço remanescente, haverá jardins e estacionamento. O projeto prevê ainda que o prédio tenha cisternas para armazenamento de águas da chuva, que serão utilizadas tanto na manutenção dos jardins quando na limpeza do próprio Paço

Além disso, a nova sede do Executivo terá uma usina própria de energia solar (fotovoltaica), com placas de captação instaladas como uma cobertura para o estacionamento. De acordo com Prataviera, a ideia é que esta usina produza energia suficiente para abastecer todo o edifício e o excedente seja transmitido à rede elétrica da CPFL (Companhia Paulista de Força e Luz) para compensações futuras. Isso permitirá a redução da conta de energia do Paço, otimizando recursos naturais abundantes na cidade durante o ano inteiro. A construção da usina será feita com recursos da CIP (Contribuição de Iluminação Pública), afirma o secretário.

Para realizar a obra, a Administração Municipal investe R$ 55 milhões. Os recursos foram captados junto à Caixa Econômica Federal, via Finisa (Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento).

Leia mais ...