Menu


Hortolândia participará de “Operação São Paulo Sem Fogo 2024”

Plano de contingência preventivo da Defesa Civil, publicado no Diário Oficial do Município, entrará em vigor neste sábado (01/06)

A Prefeitura acaba de publicar o decreto municipal que, anualmente, regulamenta uma série de ações integradas de prevenção, monitoramento e combate às queimadas em Hortolândia. A “Operação São Paulo Sem Fogo 2024”, regulamentada pelo decreto Nº 5.420, de 15/05/2024, entrará em vigor a partir deste sábado (01/06), estendendo-se até o dia 30 de setembro, com possibilidade de prorrogação. O documento pode ser consultado na edição 2160 do Diário Oficial Eletrônico do Município.

A ação é promovida pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, com o apoio da Administração Municipal, e, na esfera local, será executada pelo Sistema Municipal de Proteção e Defesa Civil, por meio do Plano de Contingência Preventivo de Defesa Civil. Ao longo de quatro meses, serão adotadas medidas que buscarão evitar queimadas e focos de incêndio. Também será feito um cuidadoso acompanhamento da qualidade do ar, uma vez que o tempo seco favorece este tipo de ocorrência que agride a natureza e afeta a saúde das pessoas, sobretudo quando a URA (umidade relativa do ar) cai muito.

Segundo alerta a Secretaria de Segurança, à qual está vinculada a Defesa Civil Municipal, a falta de chuvas e a baixa umidade do ar, muito frequentes nas estações mais frias do ano, Outono e Inverno, podem desencadear diversos problemas que afetam o meio ambiente e a saúde das pessoas. Dente eles estão: complicações alérgicas e respiratórias devido ao ressecamento de mucosas; sangramento pelo nariz; ressecamento da pele; irritação dos olhos; eletricidade estática em pessoas e equipamentos eletrônicos e aumento do potencial de incêndios em pastagens e florestas.

Em Hortolândia, cabe à Defesa Civil Municipal monitorar de perto os índices da URA. Este é um índice que diz respeito ao “quanto de água na forma de vapor existe na atmosfera no momento em relação ao total máximo que poderia existir, na temperatura observada. A umidade do ar é mais baixa principalmente no final do inverno e início da primavera, no período da tarde, entre 12 e 16 horas. A umidade fica mais alta: sempre que chove devido à evaporação que ocorre posteriormente, em áreas florestadas ou próximas aos rios ou represa, quando a temperatura diminui (orvalho)”, informa, em seu site oficial, o CGE (Centro de Gerenciamento de Emergências) da cidade de São Paulo.

Durante a  “Operação São Paulo Sem Fogo 2024”, a fiscalização ambiental será intensificada. É que a prática de queimadas é crime no município, sujeita a penalidades e multas, conforme está previsto nas Leis Municipais nº 2.464, de 16/09/2010; 3.153, de 04/09/2015 e 3.641, de 13/06/2019.

A população poderá denunciar queimadas no município pelo número 193, do Corpo de Bombeiros, ou pelo aplicativo Agenda Verde, que pode ser baixado no celular, a partir das plataformas Google Play ou App Store. A identidade do denunciante é mantida em sigilo.

Confira os estados a partir da medição da URA:

Até 30% - Estado de Observação

•Acompanhamento dos índices da URA.

Entre 30 e 20% – Estado de Atenção

•Evitar exercícios físicos ao ar livre entre 11 e 15 horas;

•Umidificar o ambiente através de vaporizadores, toalhas molhadas, recipientes com água, molhamento de jardins etc;

•Sempre que possível permanecer em locais protegidos do sol, em áreas vegetadas etc;

•Consumir água à vontade.

Entre 20 e 12% – Estado de Alerta

•Observar as recomendações do estado de atenção;

•Suprimir exercícios físicos e trabalhos ao ar livre entre 10 e 16 horas;

•Usar soro fisiológico para olhos e narinas.

Abaixo de 12% – Estado de emergência

•Emissão de Alerta e acionamento do Plano de Ação;

•Observar as recomendações para os estados de atenção e de alerta;

•Determinar a interrupção de qualquer atividade ao ar livre entre 10 e 16 horas como aulas de educação física, coleta de lixo, entrega de correspondência etc;

•Durante as tardes, manter com umidade os ambientes internos, principalmente quarto de crianças, hospitais etc.

 

 

Leia mais ...

Há risco de temporal em Hortolândia, alerta Defesa Civil de São Paulo

Prefeitura orienta população sobre ventos fortes, que podem causar quedas de árvores 

 

Boletim Meteorológico emitido na noite desta quinta-feira (16/11) pela Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil do Estado informa que, neste sábado (18/11) e domingo (19/11), há risco de formação de temporal, com raio e até granizo, na região onde Hortolândia está localizada. Em razão dos fortes ventos previstos para o período, na casa dos 100 km/h, pode haver queda de árvores, o que preocupa a equipe da Defesa Civil Municipal, vinculada à Secretaria de Segurança da Prefeitura. De janeiro a outubro de 2023, 138 árvores caíram na cidade em razão de fatores climáticos – 55 em janeiro e 62 em outubro, os meses mais críticos, segundo levantamento feito pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável.

A fim de evitar acidentes e até mesmo mortes, a recomendação é que a população esteja atenta ao noticiário e, na hora da chuva, procure locais seguros para se abrigar. Confira a previsão:

“Para a sexta (17), o dia continuará sendo marcado pela presença de Sol, o que aumentará a sensação de calor e abafado em todo o Estado de São Paulo, porém no decorrer das horas, a soma deste calor com a umidade proveniente da Amazônia e do oceano, criará condições para pancadas de chuva forte, seguidas por raios e vento. O destaque para os próximos dias, no período entre sábado (18) e domingo (19), isso por conta da frente fria que irá avançar pelo território paulista, que somado com o intenso calor, criará condições para temporais, raios, granizo e intensas rajadas de vento, que podem alcançar valores na casa dos 100km/h, principalmente no centro paulista, na Região Metropolitana da Capital, Baixada Santista e Litoral Norte. Logo, por conta desse cenário, recomenda-se atenção redobrada em áreas e estruturas vulneráveis, uma vez que o risco para transtornos será elevado. Com relação às temperaturas, a Onda de Calor termina no sábado, enquanto que no domingo, as temperaturas caem”, informa a Defesa Civil de São Paulo.

A situação é acompanhada de perto pela Prefeitura e inspira cuidados. Na tarde desta sexta-feira (17/11), a secretária adjunta de Segurança, Adriana Carvalho, participou de reunião remota com o Governo do Estado sobre “Medidas Preventivas e Gabinete de Crises para as chuvas e tempestades dos próximos dias”.

O Poder Público orienta a comunidade e disponibiliza canais de contato, como o número 193, do Corpo de Bombeiros, o 199 da Defesa Civil Municipal e o 153 e 08000 111 580 da GM (Guarda Municipal).

Confira abaixo as recomendações da Defesa Civil de SP:

  • Reforce as tampas das caixas d'água.
  • Use espuma expansiva nos bicos das cumeeiras dos telhados, no vão das telhas;
  • Se necessário coloque mantas, lonas plásticas com pesos reforçados nas laterais;
  • Com a chegada dos ventos, mantenha portas e janelas fechadas;
  • Permaneça em cômodos com laje para estar mais seguro;
  • Evite ficar próximos de árvores nem estacione embaixo delas; 
  • Se for o caso, faça podas das árvores em volta de suas residências;
  • Evite ficar próximo a janelas e sacadas;
  • Tenha cautela nas estradas;
  • Evite ficar próximo a paredões e árvores nas rodovias.

 

Leia mais ...

Fortes chuvas colocam Hortolândia em estado de atenção

Equipe da Defesa Civil da Prefeitura monitora pontos de alagamento e orienta sobre como proceder em caso de tempestade

Hortolândia está em estado de atenção, em razão das fortes chuvas caídas no final de semana. O volume acumulado nas últimas 72 horas chega a 124,5 milímetros, dos quais 77 milímetros foram registrados no período de 24 horas. Boletim divulgado pela Defesa Civil do Município, órgão da Secretaria de Segurança, na manhã desta segunda-feira (09/10), informa ainda que houve, até o momento, três casas alagadas, sete árvores caídas e pontos de alagamento em diversas vias (veja abaixo). Não há vítimas nem pessoas desalojadas na cidade, por causa do temporal.

Entre os pontos de alagamento mais severos estão os que ficam nas imediações do Parque Socioambiental Chico Mendes, na Região Central, e no entorno do Parque Lago da Fé, no Parque Gabriel. Na noite de domingo (08/10), foram registradas as seguintes ocorrências:

    • Alagamento nas vias às margens do Parque Chico Mendes (água escoada e via liberada);

    • Alagamento nas vias às margens do Lago da Fé (água escoada e via liberada);

    • Alagamento nas vias às margens da Lagoa do Jd. São Bento(água escoada e via liberada);

    • Alagamento nas vias às margens da Lagoa do Jd. Amanda (água escoada e via liberada);

    • Alagamento em trecho da avenida Argolino de Moraes - Vila São Francisco (água escoada e via liberada);

    • Alagamento em trecho da  Avenida dos Estudantes - Jd. Campos Verdes (água escoada e via em manutenção);

    • Queda de árvore - Rua João de Melo Costa - Jardim Sumarezinho (já removida).

Equipes da Administração Municipal, envolvendo diversas secretarias e órgãos, estão em ação pela cidade, realizando limpeza de galerias e bocas de lobo, atendimento às famílias que tiveram casas alagadas, vistoria de vielas e orientação à comunidade sobre como proceder para se manter em segurança durante a temporada das chuvas fortes. A Defesa Civil Municipal recomenda evitar a travessia de áreas alagadas, não jogar lixo nas vias públicas, não estacionar veículos embaixo de árvores e se proteger em local abrigado, caso haja queda de raio. 

“Para os próximos meses, temos previsão de chuvas fortes com grandes volumes, em um intervalo de tempo pequeno, o que acarreta alagamentos bruscos. Dessa forma, sempre reforçamos os alertas para não atravessarem pontos de alagamentos, pois poucos centímetros são o suficiente para arrastar carros e pessoas e, em pouco tempo, a água abaixa novamente. O mais importante é garantirmos a segurança e integridade física de todos”, afirma o secretário de Segurança, Joldemar Nunes Correa, o Dr. Jold.

Confira os principais cuidados a tomar:

Durante a tempestade e depois dela, jamais transitar em locais alagados, nem a pé, para evitar quedas, nem de carro ou de moto, pois poucos centímetros de água acumulada são suficientes para arrastar veículos;

Outro perigo são as doenças que podem ser contraídas a partir do contato da pele com as águas das enxurradas;

Evite jogar lixo na rua para não entupir galerias e bueiros;

Aparelhos elétricos devem ser desligados para prevenir choques e descargas, em casos de chuvas fortes e raios.

Onde buscar ajuda

Sempre que necessário, em caso de ocorrências, a população pode chamar a Defesa Civil, pelo telefone 199 ou 3867-6050. Outros parceiros importantes são o Corpo de Bombeiros, que pode ser chamado pelo número 193, e a Guarda Municipal, que atende pelos números 153 ou 08000-111-580.

Leia mais ...

Onda de calor traz risco de incêndio à região, alerta Boletim Meteorológico da Defesa Civil

Hortolândia entrou em “Estado de Atenção”, ao registrar 28,7% de URA (Umidade Relativa do Ar), nesta quarta-feira (20/09)

 

Hortolândia e as demais cidades da região correm risco de registrar focos de incêndio, no período que vai desta quinta (21/09) até a próxima segunda-feira (25/09), em razão da nova onda de calor que assola o Brasil. Segundo o Boletim Meteorológico emitido pela Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil do Estado, haverá “forte sensação de calor e abafado” e as temperaturas máximas poderão atingir os 38 graus Célsius, no domingo (24/09), chegando aos 37 graus tanto no sábado quanto na segunda-feira (23 e 25/09), período considerado de “emergência” para a ocorrência de incêndio. 

“Nestes próximos dias, a região deve passar por uma forte onda de calor, que irá elevar os termômetros em todas as áreas monitoradas, contribuindo para que a sensação seja de calor intenso em todo Estado. Por isso, no período vespertino, a tendência é de que os índices de Umidade Relativa do Ar sofram queda acentuada, aumentando assim o risco para incêndios florestais, e demandando a devida atenção em regiões mais vulneráveis de vegetação seca”, avisa a Defesa Civil Estadual.

Segundo a Defesa Civil Municipal, órgão da Secretaria de Segurança da Prefeitura, a queda na umidade já é sentida na cidade. Nesta quarta-feira (20/09), a URA (Umidade Relativa do Ar) mínima foi de 28,7, às 15h, o que coloca Hortolândia em “Estado de Atenção”. A orientação dos órgãos públicos de proteção e vigilância é que, “durante os horários de maior incidência solar, entre 10h e 16h, é extremamente importante manter-se hidratado, assim como zelar por pessoas e animais em situação de maior vulnerabilidade”.

A umidade relativa do ar é uma ferramenta que mede o “quanto de água na forma de vapor existe na atmosfera no momento em relação ao total máximo que poderia existir, na temperatura observada. A umidade do ar é mais baixa principalmente no final do inverno e início da primavera, no período da tarde, entre 12 e 16 horas. A umidade fica mais alta: sempre que chove devido à evaporação que ocorre posteriormente, em áreas florestadas ou próximas aos rios ou represa, quando a temperatura diminui (orvalho)”, conforme explica o CGE (Centro de Gerenciamento de Emergências) da cidade de São Paulo.

A situação é acompanhada de perto pela Prefeitura e inspira cuidados, considerando o registro permanente, tanto pelo Corpo de Bombeiros quanto pela Defesa Civil, de muitos focos de incêndio na cidade, nos últimos meses. 

Além de orientar a comunidade e disponibilizar canais de denúncia, o Poder Público promove localmente a Operação Estiagem 2023, da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil de São Paulo. O Plano de Contingência Preventivo de Defesa Civil vai até o dia 30 de setembro, mas o prazo está sujeito à prorrogação. A fim de evitar queimadas e focos de incêndio, a Prefeitura adota uma série de medidas de caráter preventivo e acompanha cuidadosamente a qualidade do ar, emitindo alertas, sempre que necessário. 

Riscos à saúde

A secura do ar e a poluição ambiental causada pelas queimadas geram problemas à saúde pública, bem como ao meio ambiente. É frequente verificar complicações alérgicas e respiratórias devido ao ressecamento de mucosas; sangramento pelo nariz; ressecamento da pele; irritação dos olhos; eletricidade estática em pessoas e equipamentos eletrônicos e aumento do potencial de incêndios em pastagens e florestas.

A parceria da população é fundamental para minimizar ocorrências. É possível denunciar queimadas pelo número 193, do Corpo de Bombeiros, ou pelo aplicativo Agenda Verde, que pode ser baixado no celular, a partir das plataformas Google Play ou App Store. A identidade do denunciante é mantida em sigilo.

Durante a Operação Estiagem, a fiscalização ambiental é intensificada, uma vez que a prática de queimadas é crime no município, sujeita a penalidades e multas. É o que está previsto nas Leis Municipais nº 2.464, de 16/09/2010; 3.153, de 04/09/2015 e 3.641, de 13/06/2019. 

Acompanhe a previsão do Boletim Meteorológico para o período:

21/09, quinta-feira – mínima 18°C/máxima 35°C, POUCAS NUVENS

22/09, sexta-feira – mínima 19°C/máxima 36°C, POUCAS NUVENS

23/09, sábado – mínima 19°C/máxima 37°C, POUCAS NUVENS

24/09, domingo – mínima 20°C/máxima 38°C, POUCAS NUVENS

25/09, segunda-feira – mínima 18°C/máxima 37°C, NUBLADO

Confira os estados a partir da medição da URA:

Abaixo de 12% – estado de emergência;

Entre 12% e 20% – estado de alerta;

Entre 21% e 30% – estado de atenção;

Entre 31% e 40% – estado de observação;

60% – nível recomendado pela OMS.

Veja o que fazer e o que evitar, em cada fase:

Estado de Observação:

•Acompanhamento dos índices da URA.

Estado de Atenção

•Evitar exercícios físicos ao ar livre entre 11 e 15 horas;

•Umidificar o ambiente através de vaporizadores, toalhas molhadas, recipientes com água, molhamento de jardins etc;

•Sempre que possível permanecer em locais protegidos do sol, em áreas vegetadas etc;

•Consumir água à vontade.

Estado de Alerta

•Observar as recomendações do estado de atenção;

•Suprimir exercícios físicos e trabalhos ao ar livre entre 10 e 16 horas;

•Usar soro fisiológico para olhos e narinas.

Estado de emergência

•Emissão de Alerta e acionamento do Plano de Ação;

•Observar as recomendações para os estados de atenção e de alerta;

•Determinar a interrupção de qualquer atividade ao ar livre entre 10 e 16 horas como aulas de educação física, coleta de lixo, entrega de correspondência etc;

•Durante as tardes, manter com umidade os ambientes internos, principalmente quarto de crianças, hospitais etc.

Leia mais ...

Queda na umidade do ar faz Hortolândia entrar em “Estado de Atenção”

URA (Umidade relativa do ar) atingiu 29,1%, nesta terça-feira (22/08) e é afetada por queimadas diárias

 

O InMet (Instituto Nacional de Meteorologia), órgão do Ministério da Agricultura e Pecuária do Brasil, publicou aviso de Onda de Calor, que afetará a região de Campinas, inclusive Hortolândia, entre esta terça até a próxima sexta-feira (22 a 25/08). Neste período, em que haverá elevação da temperatura de 5o Célsius acima da média, há, segundo o alerta, perigo potencial, com risco à saúde, embora leve. No município, a expectativa da Defesa Civil é que a temperatura máxima atinja os 36 graus na quinta-feira (24/08). 

Além disso, na tarde desta terça-feira (22/08), Hortolândia entrou em “Estado de Atenção”, uma vez que a URA (umidade relativa do ar) atingiu os 29,1%. Nos últimos dias, verifica-se que a umidade cai bastante após às 11h, tendo como período mais crítico às 14h. Os dados são da Secretaria Municipal de Segurança, à qual a Defesa Civil está vinculada. A situação é monitorada pela Prefeitura e inspira cuidados, considerando o registro diário de muitos focos de incêndio na cidade, tanto pelo Corpo de Bombeiros quanto pela Defesa Civil. 

A poluição ambiental gerada pelas queimadas, aliada à secura do ar, gera problemas à saúde pública, bem como ao meio ambiente. De acordo com a Secretaria de Segurança, a parceria da população é fundamental para minimizar ocorrências. É possível denunciar queimadas pelo número 193, do Corpo de Bombeiros, ou pelo aplicativo Agenda Verde, que pode ser baixado no celular, a partir das plataformas Google Play ou App Store. A identidade do denunciante é mantida em sigilo.

Na esfera municipal, o órgão que monitora de perto os índices da URA é a Defesa Civil Municipal. A umidade relativa do ar é uma ferramenta que mede o “quanto de água na forma de vapor existe na atmosfera no momento em relação ao total máximo que poderia existir, na temperatura observada. A umidade do ar é mais baixa principalmente no final do inverno e início da primavera, no período da tarde, entre 12 e 16 horas. A umidade fica mais alta: sempre que chove devido à evaporação que ocorre posteriormente, em áreas florestadas ou próximas aos rios ou represa, quando a temperatura diminui (orvalho)”, conforme explica o CGE (Centro de Gerenciamento de Emergências) da cidade de São Paulo.

O Poder Público, além de orientar a comunidade e disponibilizar canais de denúncia, aderiu à Operação Estiagem 2023, promovida pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil de São Paulo. O Plano de Contingência Preventivo de Defesa Civil, que consta do Decreto 5.231/2023, foi publicado na edição 1867 do Diário Oficial Eletrônico. Neste ano, a participação vai até o dia 30 de setembro, mas o prazo está sujeito à prorrogação.

Ao longo do período de vigência da Operação, a Prefeitura adota uma série de medidas de caráter preventivo, a fim de evitar queimadas e focos de incêndio. Também realiza um acompanhamento cuidadoso da qualidade do ar. Com a falta de chuvas e a baixa umidade do ar, observadas nas estações mais frias do ano (Outono e Inverno), é frequente verificar o surgimento de diversos problemas ambientais e também de saúde pública, dentre eles complicações alérgicas e respiratórias devido ao ressecamento de mucosas; sangramento pelo nariz; ressecamento da pele; irritação dos olhos; eletricidade estática em pessoas e equipamentos eletrônicos e aumento do potencial de incêndios em pastagens e florestas.

Durante a Operação Estiagem, a fiscalização ambiental também é intensificada, uma vez que a prática de queimadas é crime no município, sujeita a penalidades e multas. É o que está previsto nas Leis Municipais nº 2.464, de 16/09/2010; 3.153, de 04/09/2015 e 3.641, de 13/06/2019. 

Confira os estados a partir da medição da URA:

Abaixo de 12% – estado de emergência;

Entre 12% e 20% – estado de alerta;

Entre 21% e 30% – estado de atenção;

Entre 31% e 40% – estado de observação;

60% – nível recomendado pela OMS.

Veja o que fazer e o que evitar, em cada fase:

Estado de Observação:

•Acompanhamento dos índices da URA.

Estado de Atenção

•Evitar exercícios físicos ao ar livre entre 11 e 15 horas;

•Umidificar o ambiente através de vaporizadores, toalhas molhadas, recipientes com água, molhamento de jardins etc;

•Sempre que possível permanecer em locais protegidos do sol, em áreas vegetadas etc;

•Consumir água à vontade.

Estado de Alerta

•Observar as recomendações do estado de atenção;

•Suprimir exercícios físicos e trabalhos ao ar livre entre 10 e 16 horas;

•Usar soro fisiológico para olhos e narinas.

Estado de emergência

•Emissão de Alerta e acionamento do Plano de Ação;

•Observar as recomendações para os estados de atenção e de alerta;

•Determinar a interrupção de qualquer atividade ao ar livre entre 10 e 16 horas como aulas de educação física, coleta de lixo, entrega de correspondência etc;

•Durante as tardes, manter com umidade os ambientes internos, principalmente quarto de crianças, hospitais etc.

 

 

Leia mais ...

Acúmulo de chuvas faz Hortolândia entrar em estado de atenção

Prefeitura orienta população sobre como proceder em caso de tempestade e monitora pontos de alagamento

 

O volume de chuvas acumuladas nas últimas 72 horas, de 95,8 milímetros, fez Hortolândia entrar em estado de atenção, nesta quarta-feira (15/03). Não há registro de desalojados, nem de pessoas desabrigadas ou mesmo de vítimas, porém, na noite anterior, foi verificado ponto de alagamento importante nas imediações da lagoa do Jardim São Bento, no cruzamento da Rua Luiz Gonzaga com Paulo Sérgio.

Em razão disso, a Defesa Civil Municipal, vinculada à Secretaria de Segurança, orienta a população sobre como proceder para se manter em segurança durante esta temporada das chuvas de verão. Um deles é o de evitar atravessar em áreas alagadas, não jogar lixo nas vias públicas, não estacionar veículos embaixo de árvore e se proteger em local abrigado, caso haja queda de raio. 

Confira os principais cuidados a tomar, neste período:

    • Em casos de chuvas fortes e raios, aparelhos elétricos devem ser desligados para prevenir choques e descargas

    • Durante a tempestade e depois dela, jamais transitar em locais alagados, nem a pé, para evitar quedas, nem de carro ou de moto, pois poucos centímetros de água acumulada são suficientes para arrastar veículos

    • outro perigo são as doenças que podem ser contraídas a partir do contato da pele com as águas das enxurradas

    • evite jogar lixo na rua para não entupir galerias e bueiros

Onde buscar ajuda

Sempre que necessário, em caso de ocorrências, a população pode chamar a Defesa Civil, pelo telefone 199. Outros parceiros importantes são o Corpo de Bombeiros, que pode ser chamado pelo número 193, e a Guarda Municipal, que atende pelos números 153 ou 08000-111-580.

A Prefeitura executa o Plano Municipal de Contingência Preventivo de Defesa Civil para o período 2022-2023, nesta época do ano, para enfrentar a temporada das “chuvas de verão”, marcada pelas precipitações breves e intensas. Ele atende aos acordos nas esferas estaduais, nacionais e internacionais, buscando prevenir, reduzir e conter os riscos trazidos por este período, sobretudo alagamentos e inundações, que causam transtornos à população. 

O Plano vigora até o dia 31 deste mês, mas pode ser prorrogado, de acordo com a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil. Por meio dele, a Administração Municipal mobiliza os integrantes do Simpdec (Sistema Municipal de Proteção e Defesa Civil) e demais órgãos de atendimento emergencial, otimizando os recursos existentes. Fazem parte do sistema todas as secretarias municipais (Segurança, Obras, Habitação, Governo, Serviços Urbanos, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Inclusão e Desenvolvimento Social, Esportes, Assuntos Jurídicos, Saúde, Mobilidade Urbana, dentre outras).

O decreto sobre a Operação Chuvas de Verão 2022/2023 do Sistema Municipal de Proteção e Defesa Civil está na edição 1725 do Diário Oficial Eletrônico do Município, publicado nesta quinta-feira (01/12) e disponível neste link.

 

Leia mais ...