Menu


Filme brasileiro “Se Deus vier que venha armado” é atração do projeto Pontos MIS

Sessão será sexta-feira (10/11), às14h30, com pipoca grátis para o público

Uma facção do crime organizado perpetrou ataques contra a Polícia Militar, no estado de São Paulo, em 2012. Este episódio violento é o pano de fundo do filme brasileiro “Se Deus vier que venha armado”. O longa-metragem é a atração desta semana do projeto Pontos MIS (Museu da Imagem e do Som), realizado pelo governo estadual em parceria com a Prefeitura de Hortolândia. A sessão do filme será nesta sexta-feira, às 14h30, na Escola de Artes Augusto Boal, localizada na rua Casemiro de Abreu, s/nº, Jardim Amanda. Outro atrativo para o público é que haverá pipoca grátis.

A produção é estrelada pelo ator Vinicius de Oliveira, que estreou no consagrado filme “Central do Brasil”, de Walter Salles, lançado em 1998. Em “Se Deus vier que venha armado”, o ator interpreta o personagem Damião, um presidiário beneficiado com uma saída temporária em razão do Dia das Mães. Ele visita o irmão, Josué, que está prestes a se casar. Damião também tem que se encontrar com um contato do crime organizado que lhe passará um trabalho que deve cumprir. Nesse ínterim, Damião reencontra seu amigo de infância, Palito. Por meio dele, o presidiário conhece a jovem Cleo. Juntos, o trio viaja para o litoral. Em paralelo, o filme mostra também Jéferson, um policial militar recém-formado que começa a trabalhar na periferia junto com o sargento Mauro. Ao longo da história, o destino irá unir os caminhos desses cinco personagens. A direção do filme é do cineasta paulistano Luiz Dantas.

Leia mais ...

Oficina para iniciantes ensina enquadramento e composição fotográfica, nesta quinta-feira (09/11)

Treinamento ofertado pelo Projeto Pontos MIS em parceria com a Prefeitura de Hortolândia será ministrado pela fotógrafa Melissa Szymanski, às 13h30

Quantas narrativas a linguagem da fotografia permite com uma simples mudança de enquadramento ou a adição de elementos de composição? Essa é a reflexão proposta pela “Oficina de Enquadramento e Composição Fotográfica para iniciantes” ofertada pela Prefeitura de Hortolândia, nesta quinta-feira (09/11), em parceria com o Projeto Pontos MIS (Museu da Imagem e do Som). A atividade gratuita será ministrada, das 13h30 às 17h30, pela fotógrafa Melissa Szymanski, na Escola de Artes Augusto Boal, localizada na Rua Casemiro de Abreu, s/nº, no Jd. Amanda. A oficina é voltada ao público a partir dos 13 anos. Não é necessária inscrição.

A “Oficina de Enquadramento e Composição Fotográfica” para iniciantes é um convite para a observação dos entusiastas da arte de registrar a realidade a partir das lentes. Durante o treinamento, os fotógrafos iniciantes aprenderão técnicas como a regra dos terços, que consiste em posicionar o objeto principal da foto na terça parte esquerda ou direita da imagem, deixando outros dois terços mais abertos. A fotógrafa Melissa Symanski também despertará nos participantes a seletividade do olhar por meio da exploração de recursos dos dispositivos fotográficos e das inúmeras possibilidades de ângulo e enquadramentos, como plano abertos, detalhes ou contra plongée. Embora algumas câmeras fotográficas sejam disponibilizadas durante a oficina, os participantes são convidados a levar o próprio equipamento para participar das atividades.

 

Sobre a fotógrafa Melissa Szymanski

Melissa Szymanski é fotógrafa formada e pós-graduada pela FASM (Faculdade Santa Marcelina). Participou de diversos cursos em Milão, Itália, nas áreas de Fotografia de Moda e Still Life. Trabalhou na Revista Italiana Moda Pelle na execução de editoriais. Atuou como docente de Fotografia na FASM, IED – Istituto Europeo di Design, Sesc, Centro Universitário Belas Artes e Escola São Paulo. Desenvolve seu trabalho como fotógrafa para agências de modelos e para diversas marcas, sites e reportagens. Colaborou em matérias sobre arte-educação em revistas como Veja SP, Caras, Revista Cásper Líbero e Canal TV Brasil.

 

SERVIÇO

Oficina de Enquadramento e Composição Fotográfica para Iniciantes – Com Melissa Szymanski

Data: quinta-feira, 9 de novembro

Horário: 13h30 às 17h30

Local: Escola de Artes Augusto Boal

Endereço: Rua Casemiro de Abreu, s/nº, Jd. Amanda

Vagas: 20

Classificação: a partir dos 13 anos

GRATUITO E NÃO PRECISA DE INSCRIÇÃO

Leia mais ...

Projeto Pontos MIS exibe filme “Em 97 era Assim”, nesta sexta-feira (27/10)

Longa-metragem será exibido às 14h, na Escola de Artes Augusto Boal

O Projeto Pontos MIS (Museu da Imagem e do Som) exibe, nesta sexta-feira (27/10), o filme brasileiro “Em 97 era Assim”. A sessão terá início às 14h, na Escola de Artes Augusto Boal, localizada na Rua Casemiro de Abreu, s/nº, no Jd. Amanda. A entrada é gratuita, com direito à pipoca. O Projeto Pontos MIS é uma iniciativa do Governo do Estado de São Paulo em parceria com a Prefeitura. A proposta do projeto é fomentar a difusão cultural e estimular a formação artística.

Contextualizado na década de 1990, o filme brasileiro “Em 97 era Assim” retrata as descobertas e dilemas sexuais de um grupo de amigos formado por quatro adolescentes de 15 anos. O longa dirigido por Zeca Brito apresenta à audiência vários elementos e comportamentos típicos da virada do milênio, como na cena em que um dos adolescentes aparece escutando música em um tocador de fita portátil. A caracterização das personagens somada à trilha sonora também contribui para criar um sentimento de nostalgia àqueles que vivenciaram a década. 

Lançado em 2017, o filme “Em 97 era Assim” ilustra as tensões e conflitos existenciais dos adolescentes, exaltando a importância das amizades. O elenco do longa é formado por atores jovens, em que se destaca João Pedro Corrêa Alves. As personagens transitam entre o nerd, o tarado, o transgressor e o romântico. 

 

SERVIÇO

Cinema Pontos Mis: Filme "Em 97 era assim"

Data: sexta-feira, 27 de outubro

Horário: 14h

Local: Escola de Artes Augusto Boal

Endereço: Rua Casemiro de Abreu, s/n | Jardim Amanda

Classificação: 16 anos

Gratuito e com pipoca grátis

Leia mais ...

Filme brasileiro “Colegas” é exibido pelo Projeto Pontos MIS, nesta quarta-feira (11/10)

Sessão terá início às 14h, na Escola de Artes Augusto Boal

O Projeto Pontos MIS (Museu da Imagem e Som) exibe, nesta quarta-feira (11/10), o filme “Colegas”. A sessão gratuita será exibida às 14h, na Escola de Artes Augusto Boal, localizada na Rua Casemiro de Abreu, s/nº, no Jd. Amanda. A sessão, que é livre para todos as idades, conta com pipoca grátis para o público presente. O Projeto Ponto MIS é um programa de formação e difusão cultura de iniciativa do Governo do Estado de São Paulo em parceria com a Prefeitura de Hortolândia.

Com a direção de Marcelo Galvão, o filme brasileiro “Colegas” retrata a história do trio de amigos Stallone, Aninha e Márcio, que viviam juntos em um instituto para portadores da Síndrome de Down. Cansados da monotonia do dia a dia e inspirados pelos inúmeros filmes a que assistiam na videoteca local, os amigos decidem fugir do instituto, roubando o carro do jardineiro, interpretado pelo ator Lima Duarte. A partir desse clímax, o filme explora as aventuras dos três jovens sonhadores e a repercussão que o caso ganhou com a imprensa e a polícia locais. “Colegas” é um fábula universal, com elementos lúdicos, que propõe a reflexão sobre as dificuldades e os sonhos, sem, no entanto, destacar diretamente a síndrome das personagens. O filme é estrelado por Ariel Goldenberg, Rita Pook e Breno Viola.

 

SERVIÇO

CINEMA PONTOS MIS: Filme “Colegas”

Filme: Colegas

Data: quarta-feira, 11 de outubro

Horário: 14h

Local: Escola de Artes Augusto Boal (Rua Casemiro de Abreu, s/nº | Jardim Amanda)

Livre para todas as idades | Gratuito e com pipoca grátis durante a sessão

Leia mais ...

“Em 97 era Assim” será exibido pelo Pontos MIS, nesta sexta-feira (29/09)

Sessão com pipoca grátis será às 14h, na Escola de Artes Augusto Boal

O projeto Pontos MIS (Museu da Imagem e do Som) exibe, nesta sexta-feira (29/09), o filme “Em 97 Era Assim”. A sessão gratuita terá início às 14h, na Escola de Artes Augusto Boal, localizada na Rua Casemiro de Abreu, s/nº, no Jd. Amanda. O projeto Pontos MIS é um programa de formação e difusão cultural de iniciativa do Governo do Estado de São Paulo em parceria com a Prefeitura de Hortolândia.

Com a direção de Zeca Brito, o longa de ficção “Em 97 Era Assim” explora as descobertas sexuais de um grupo de amigos formado por quatro adolescentes de 15 anos. Retratando arquétipos do tipo romântico, do nerd, do tarado e do transgressor, o filme exalta a amizade entre os amigos e remete à nostalgia da época, por meio de músicas, roupas e dispositivos eletrônicos típicos do final da década de 1990. Além da busca pela primeira experiência sexual, o longa, lançado em 2017, ilustra as tensões da adolescência e os compromissos do colégio. O elenco de “Em 97 Era Assim” é formado por um elenco jovem, em que se destaca o ator João Pedro Corrêa Alves. 

 

SERVIÇO

Cinema Pontos Mis: Filme "Em 97 era assim"

Data: sexta-feira, 29/9

Horário: 14h

Local: Escola de Artes Augusto Boal (

Endereço: Rua Casemiro de Abreu, s/n | Jardim Amanda)

Classificação: 16 anos

Gratuito e com pipoca grátis

Leia mais ...

Pontos MIS promove exibição do filme brasileiro “O Cortiço”

Sessão com pipoca grátis será nesta sexta-feira (25/08), às 19h, na Escola de Artes Augusto Boal 

O cinema brasileiro já produziu várias adaptações de obras importantes da literatura. Uma delas é “O Cortiço”, de Aluísio Azevedo, romance que é considerado um dos grandes exemplares do estilo Naturalismo. O projeto Pontos MIS (Museu da Imagem e do Som) exibirá o filme “O Cortiço”, nesta sexta-feira (25/08). A sessão com pipoca grátis será, às 19h, na Escola de Artes Augusto Boal, localizada na rua Casemiro de Abreu, s/nº, Jardim Amanda. O Pontos MIS é uma ação do governo do Estado que promove sessões e outras atividades relacionadas a cinema com o apoio da Prefeitura de Hortolândia.

No livro, Aluísio Azevedo mostra as condições precárias de vida da população pobre na cidade do Rio de Janeiro, no final do século XIX. “O Cortiço” conta a história de João Romão, ganancioso comerciante português que sonha ficar rico e ascender socialmente. Ele é dono de estabelecimentos comerciais e de um cortiço. Lá, mora Jeronimo, funcionário da pedreira de Romão. No cortiço, Jeronimo se apaixona por uma moradora, Rita Baiana. Por causa da paixão, ele abandona a esposa e a filha e comete um assassinato. 

O filme, lançado em 1978, é estrelado por Betty Faria (Rita Baiana), Mario Gomes (Jerônimo) e Armando Bógus (João Romão). A direção é do cineasta Francisco Ramalho Junior. A trilha sonora foi composta pelo maestro John Neschling, que posteriormente criou trilhas para outros fimes, como “O beijo da Mulher Aranha”, de Hector Babenco, e “Desmundo”, de Alain Fresnot.

Leia mais ...