Menu


Evento Abril Azul reúne famílias para celebrar mês de conscientização sobre Autismo em Hortolândia

Prefeito José Nazareno Zezé Gomes participou dos festejos, neste domingo (02/04), no Parque Socioambiental Chico Mendes

 

Cerca de 300 pessoas participaram, na manhã deste domingo (02/04), do evento “Abril Azul”, que comemora o Dia Mundial da Conscientização do Autismo. Neste ano, o lema foi “Mais informação, menos preconceito”. O prefeito José Nazareno Zezé Gomes e a primeira-dama Maria dos Anjos Assis Barros, presidente do Fundo Social de Solidariedade, também foram ao Parque Socioambiental Chico Mendes, no Remanso Campineiro, para acompanhar de perto a programação, especialmente elaborada para atender crianças e jovens no Espectro Autista. Promovido pela AMAAH-SP (Associação de Mães e Amigos do Autista de Hortolândia), o evento contou com o apoio da Prefeitura, por meio do Departamento de Direitos Humanos e Políticas Públicas para Mulheres da Secretaria de Governo. A diretora da pasta, Marlene Batista, também compareceu.

“Vivenciamos um daqueles momentos em que a obra de Deus nos surge e nos ensina como é importante sermos humildes, tolerantes e ter sabedoria para aceitar os outros como eles são, da forma que o Criador os colocou neste mundo. Falo da celebração ao Dia Mundial da Conscientização do Autismo, promovido pela AMAAH-SP, entidade tão bem dirigida pela Priscila D’Paula, uma mãe de autista. A construção de uma Hortolândia Inteligente e Sustentável precisa do envolvimento de todos. Por isso, é imprescindível a solidariedade e o envolvimento das pessoas e do Poder Público em demandas tão sensíveis e delicadas como é a questão das pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA)”, comentou Zezé Gomes.

Crianças e jovens no espectro, convidados, familiares e frequentadores do parque puderam se divertir, se informar sobre o TEA e explorar as atrações disponibilizadas nas tendas, dentre elas musicais, funcionais, sensoriais e de pintura facial. Uma delas, a de acolhimento familiar e jurídico, disponibilizou informações sobre a carteirinha do autista, emitida pela Prefeitura. O documento é fruto de solicitação da AMAAH-SP e do Conselho da Pessoa com Deficiência junto ao poder público. 

“Hortolândia é pioneira nessa emissão da carteirinha aqui na região de Campinas”, ressalta Priscila D’Paula. “Esse ano, disseminamos mais conhecimento. Mais pessoas nos procuraram para conhecer sobre o nosso trabalho e também famílias que tiveram o diagnóstico recentemente e querem fazer parte da AMAAH-SP”, celebra a presidente da AMAAH-SP.

Políticas públicas

Além de emitir a carteirinha do autista, a Administração Municipal disponibiliza outros serviços gratuitos a esta parcela da população. Segundo a Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia, a maioria das crianças com diagnóstico do TEA está incluída na rede regular de educação. O AEE (Atendimento Educacional Especializado) é uma das políticas públicas municipais voltadas à inclusão de crianças com deficiência na rede de ensino da Prefeitura. Este Atendimento Educacional Especializado vai da Educação Infantil à EJA (Educação de Jovens e Adultos).

Atualmente cerca de 300 crianças têm diagnóstico de autismo ou estão em hipótese diagnóstica. As crianças participam das atividades escolares e são acompanhadas uma ou duas vezes na semana pelo professor de AEE; algumas são acompanhadas pelo CIER-Saúde (Centro Integrado de Educação e Reabilitação) e o CAPS (Centro de Atenção Psicossocial), nas áreas de fonoaudiologia, psicologia e terapia ocupacional.

Além das crianças da Educação Especial atendidas exclusivamente no Cier, a Prefeitura de Hortolândia oferece o AEE a cerca de 800 crianças com deficiência (auditiva, visual, múltiplas, física, síndromes autismo e surdocegueira). Estes estudantes estão inseridos na rede regular de ensino, em 60 escolas municipais da rede.

Leia mais ...

Ponte Estaiada de Hortolândia recebe iluminação especial para marcar campanha “Abril Azul”

A partir da noite desta sexta-feira (31/03), ponte ficará iluminada na cor azul para conscientizar o público sobre o autismo 

As pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA) precisam ser tratadas com respeito e carinho. Para combater o prenconceito, a Prefeitura de Hortolândia aciona, na noite desta sexta-feira (31/03), uma iluminação especial na cor azul na Ponte da Esperança (Ponte Estaiada). A ação é para marcar a campanha “Abril Azul”, cujo objetivo é conscientizar o público sobre o autismo. De acordo com a Secretaria de Planejamento Urbano e Gestão Estratégica, a iluminação é acionada no período noturno, por volta das 19h15, e desliga automaticamente ao amanhecer.  

Além da iluminação especial na ponte, Hortolândia comemorará o Dia Mundial da Conscientização do Autismo com um evento, neste domingo (02/04), no parque socioambiental Chico Mendes. 

ILUMINAÇÃO DECORATIVA

O sistema de iluminação decorativa da Ponte da Esperança foi instalado na estrutura, de forma permanente, em 2019. De acordo com a Secretaria de Planejamento Urbano e Gestão Estratégica, os refletores do sistema de iluminação decorativa ficam instalados nos estais, no pilar central e na base inferior, com iluminação direcionada às colunas. Os equipamentos têm a possibilidade de mudar de cor, conforme a programação, marcando o comprometimento da Prefeitura de Hortolândia com causas sociais ou datas comemorativas, tais como o Dia Internacional da Mulher, as campanhas Outubro Rosa de prevenção ao câncer de mama e Novembro Azul de conscientização sobre o câncer de próstata.

Leia mais ...

Evento Abril Azul, neste domingo (02/04), abre mês de conscientização sobre Autismo em Hortolândia

Programação em comemoração ao Dia Mundial da Conscientização do Autismo acontecerá no Parque Socioambiental Chico Mendes*

 

Hortolândia celebrará o Dia Mundial da Conscientização do Autismo neste domingo (02/04), com programação gratuita e aberta ao público em geral, a partir das 9h, no Parque Socioambiental Chico Mendes, localizado Av. Olívio Franceschini, s/n, no Remanso Campineiro. O “Abril Azul” é promovido pela AMAAH-SP (Associação de Mães e Amigos do Autista de Hortolândia) e conta com o apoio da Prefeitura, por meio do Departamento de Direitos Humanos e Políticas Públicas para Mulheres da Secretaria de Governo.

O evento contará com atrações sensoriais relacionadas com o TEA (Transtorno do Espectro Autista). Segundo os organizadores, haverá diversas tendas com atividades ligadas ao tema do autismo.

“Esse ano vamos trabalhar com o tema ‘Mais informação, menos preconceito’. A cada momento, queremos falar sobre autismo, dando informações. Teremos lá uma tenda para divulgar a carteirinha do autista, que foi uma luta da AMAAH-SP e do Conselho da Pessoa com Deficiência para que essa carteirinha se tornasse uma realidade no município. Hortolândia é pioneira nessa emissão aqui na região de Campinas. O evento foi pensado nesse formato para que as famílias tivessem esse momento de lazer, é pensado no filho e na família como um todo. Tem dado muito certo. É o segundo ano que fazemos”, afirma Priscila D’Paula, presidente da AMAAH-SP.

Confira as atrações do “Abril Azul”:

    • Apresentação musical, 

    • Tenda Sensorial, 

    • Atividades funcionais ao ar livre, 

    • Tenda acolhimento familiar e jurídico, 

    • Tenda pintura facial.   

SERVIÇO:

 “Abril Azul” - programação para celebrar o Dia Mundial da Conscientização do Autismo

Data: domingo (02/04)

Hora: a partir das 9h

Local: Parque Socioambiental Chico Mendes, localizado Av. Olívio Franceschini, s/n, no Remanso Campineiro

 * Foto: Kdu Oliveira

Leia mais ...

Roda de conversa virtual sobre autismo reúne 50 pessoas em Hortolândia

No mês em que o mundo se mobiliza em torno do TEA (Transtorno do Espectro Autista), um debate promovido pela Prefeitura de Hortolândia reuniu cerca de 50 participantes, em uma roda de conversa, para trocar experiências e informações sobre o tema. O evento, intitulado de “Autismo: pelo direito de ser quem é”, foi realizado, na noite da última quarta-feira (14/04), via plataforma Zoom, em razão da pandemia do Coronavírus.

A iniciativa do Departamento de Direitos Humanos e Políticas Públicas para Mulheres da Secretaria de Governo, com o apoio do CMPCD (Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência de Hortolândia), buscou marcar o Dia Mundial do Autismo, que acontece em dois de abril. Além disso, para chamar atenção para a causa, a Ponte da Esperança também se iluminou de azul, a exemplo do que acontece em outros locais do mundo. 

O encontro reuniu agentes municipais, autistas e pais de pacientes, assim como profissionais e estudiosos da área. No chat de mensagens, uma mãe registrou seu agradecimento: “Quero aqui agradecer o acolhimento dos profissionais da cidade de Hortolândia por ter acolhido minha família. Viemos de São Paulo, com meu filho de 11 anos, sem nenhum diagnóstico. Porém, eu já tinha alguma ideia que ele teria algum transtorno. Em São Paulo, não conseguimos ajuda nem na escola, nem da rede pública de saúde. Graças a Deus, aqui a escola nos apontou a suspeita e nos encaminhou para os locais responsáveis. Hoje ele está bem, se desenvolvendo da melhor forma possível, Agradeço mesmo toda a equipe de inclusão desta cidade”, compartilhou Silvana Bueno.

Ao final da roda de conversa, os participantes registraram em uma “nuvem de mensagens”, as impressões sobre o encontro: aprendizagem, conhecimento, inclusão, maravilhoso, ótimo, importante pra esclarecer, inclusão, acolhimento, esperança e vida foram alguns dos atributos.

Segundo Regina A. dos Santos Loureiro, organizadora do evento, a roda de conversa foi muito satisfatória. Em agosto deste ano, a Administração Municipal planeja realizar um mês de conscientização sobre todas as deficiências. 

Sobre o autismo

Segundo a Revista Autismo, esta é “uma condição de saúde caracterizada por déficit em duas importantes áreas do desenvolvimento: comunicação social e comportamento. Não há só um tipo de autismo, mas muitos subtipos, que se manifestam de uma maneira única em cada pessoa. Tão abrangente que se usa o termo ‘espectro’, pelos vários níveis de comprometimento — há desde pessoas com outras doenças e condições associadas (comorbidades), como deficiência intelectual e epilepsia, até pessoas independentes, com vida comum, algumas nem sabem que são autistas, pois jamais tiveram diagnóstico.”

De acordo com a coordenadora da Educação Especial e Inclusiva da Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia, Regina Célia Dias A. Shigemoto, a ONU estima que aproximadamente 1% da população mundial esteja dentro do espectro do autismo, a maioria sem diagnóstico ainda. 

“O que temos observado em Hortolândia, como no mundo, é que, a cada ano, temos um número maior de crianças com diagnóstico do Transtorno do Espectro do Autismo em nossas escolas e também com menor idade. Este fato nos alegra, pois sabemos que, quanto mais precocemente iniciarmos os atendimentos e o convívio escolar, melhor será o desenvolvimento desta criança. Há um esforço grande da rede de atendimentos do município, seja na UBS (Unidade Básica de Saúde), seja no CIER-Saúde (Centro Integrado de Educação e Reabilitação), seja no CAPSij (Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil), seja na rede regular de Ensino, por meio da Coordenação de Educação Especial e Inclusiva. A maioria das crianças com diagnóstico do TEA está incluída na rede regular de ensino. Atualmente 192 crianças participam das atividades escolares e são acompanhadas uma ou duas vezes na semana pelo professor de AEE (Atendimento Educacional Especializado) e algumas são pelo CIER-Saúde e o CAPSij, nas áreas de fonoaudiologia, psicologia e terapia ocupacional”, ressalta a especialista.

Além disso, a Prefeitura disponibiliza, gratuitamente, formação continuada aos professores do AEE e formação esporádica aos profissionais da Educação, via simpósios que acontecem a cada dois anos e palestras pontuais nas escolas, na semana de formação oferecida pela Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia, por meio da Coordenação da Educação Especial e Inclusiva e com parcerias com a Unasp (Centro Universitário Adventista de São Paulo) e o Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência.

A Administração Municipal passou a emitir, desde dezembro de 2020, a CIA (Carteirinha de Identificação do Autista). A medida, além de auxiliar familiares e portadores do TEA, em situações de convivência com a comunidade, permitirá ao Poder Público identificar quantos autistas há no município e desenvolver políticas públicas para o segmento.

Algumas dicas para lidar com pessoas com TEA:

• Tenha paciência, persistência, amor e procure compreender o que cada comportamento quer te dizer; 

• Não faça por ele, estimule-o a executar a tarefa; 

• Estabeleça rotina – de preferência visuais; aos poucos, vá acrescentando outras tarefas; 

• Sempre que a rotina for alterada, converse antecipadamente sobre a mudança; 

• Procure descobrir o que o incomoda – sons altos, muitas luzes, sabores de alimentos, multidões etc; 

• Procure descobrir seus interesses; este será o caminho para você se aproximar e ajudá-lo a desenvolver-se; 

• Procure respeitar quando perceber que ele precisa ficar sozinho, ou repetir movimentos ou palavras, compreenda que ele utiliza deste comportamento para reequilibrar-se; 

• Brincar de esconde-esconde (aqui você tem que pensar onde seria difícil pra outra pessoa te encontrar, tem que prever acontecimentos); 

• Ofereça brinquedos, jogos diferentes; 

• Mostre-o no espelho; 

• Estimule-o na coordenação motora global, equilíbrio, percepções, sentidos, etc; 

• Construa bonecos com diversos materiais e diversas texturas; 

• Brincar de teatro (cada um é uma personagem e juntos podem construir como ela pensa, age, veste); 

• Jogo de mímica em que um finge que é algo para outro adivinhar (a criança tem que se colocar no lugar da personagem, animais, para imitá-lo);

• Jogo de perguntas para dedução (a criança vai ter que analisar as perguntas para ver qual resposta se encaixa melhor); 

• Planejar programas em família! (pensar no que cada um gostaria, no que pode acontecer e prevenir se pode acontecer algo inesperado como uma chuva… se acontecer, o que fazer?); 

• Adivinhações e enigmas (o que é o que é, qual é a música, qual é o filme, brincar de detetive); 

• Piadas; 

• Ver filmes, desenhos ou novelas juntos para explicar as brincadeiras (senso de humor) e o sarcasmo e também os sentimentos (porque a personagem chorou ou ficou preocupada?); 

• Colocar figuras em ordem para formar uma historinha (previsibilidade); 

• Quebra cabeças (previsibilidade); 

• Jogos de tabuleiros (previsibilidade, esportiva, saber lidar com frustração e espera).

• Jogos geradores de conversas como o Puxa Conversa e o que você faria se... 

• Playmobil (Se colocar no lugar de personagens em castelos, florestas, etc) 

• Vídeo game, tablet (previsibilidade, frustração, persistência – junte-se a ele, não o deixe isolado) 

• Criar funções diferentes para o mesmo objeto (banana vira telefone, vira uma meia lua, etc)

• Desenhar rostos no quadro ou caderno de acordo com o sentimento falado ou a história contada; na escola procure trabalhar sempre que possível dentro do mesmo conteúdo que está sendo oferecido para sala, talvez seja necessário diversificar as estratégias. 

 

Leia mais ...

Para marcar o Dia Mundial do Autismo, Ponte da Esperança recebe iluminação azul

Após três dias apagadas em sinal de luto e respeito pelo falecimento do prefeito Angelo Perugini, as luzes da Ponte da Esperança (estaiada), estrutura viária entregue por Perugini em 2019, voltarão a ser acesas na noite desta segunda-feira (05/04), com os estais iluminados em azul. A iluminação decorativa fez referência ao dia 02 de abril, “Dia Mundial da Conscientização do Autismo”. De acordo com a Secretaria de Planejamento Urbano e Gestão Estratégica, a cor permanece até o final deste mês. A iniciativa da Prefeitura busca chamar atenção das pessoas para o transtorno do espectro, comumente identificado nos primeiros anos de vida da criança, a fim de que os pais e a comunidade adotem uma postura acolhedora, proporcionando o melhor desenvolvimento possível ao autista.

O sistema de iluminação decorativa da Ponte da Esperança foi instalado na estrutura, de forma permanente também em 2019. Os equipamentos têm a possibilidade de mudar de cor, conforme a programação, marcando o comprometimento da Administração Municipal com diversas causas sociais ou datas comemorativas, como o Natal e a campanha Outubro Rosa de prevenção ao câncer de mama. Segundo a Secretaria de Planejamento Urbano e Gestão Estratégica, os refletores estão presentes nos estais, no pilar central e na base inferior, com iluminação direcionada às colunas.

CARTERINHA DE IDENTIFICAÇÃO DO AUTISTA

Em Hortolândia, pais e responsáveis por pessoas com TEA (Transtorno do Espectro do Autismo) já podem solicitar à Prefeitura a CIA (Carteira de Identificação do Autista). O documento pode ser solicitado, gratuitamente, ao Departamento de Direitos Humanos e Políticas Públicas para as Mulheres, órgão da Secretaria de Governo. Como os atendimentos presenciais estão suspensos por conta da "fase emergencial" do Plano São Paulo de Retomado Gradual e Consciente da Economia, os interessados em obter a carterinha podem ligar para o telefone 39651472 ou enviar um email para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .

 

Leia mais ...

Hortolândia promove debate online sobre autismo na próxima semana

O TEA (Transtorno do Espectro Autista), celebrado mundialmente no dia 02 de abril, estará em pauta, na próxima, em Hortolândia. Haverá um debate no próximo dia 14, via plataforma Zoom, em razão da pandemia do Coronavírus, para discussão do tema. Esta é uma iniciativa da Prefeitura, por meio do Departamento de Direitos Humanos e Políticas Públicas para Mulheres da Secretaria de Governo, com o apoio do CMPCD (Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência de Hortolândia).

A Administração Municipal passou a emitir, desde dezembro de 2020, a CIA (Carteirinha de Identificação do Autista). A medida, além de auxiliar familiares e portadores do TEA, em situações de convivência com a comunidade, permitirá ao Poder Público identificar quantos autistas há no município e desenvolver políticas públicas para o segmento.

Para dar mais visibilidade ao tema, a ONU (Organização das Nações Unidas) definiu o dia 02 de abril como sendo o Dia Mundial de Conscientização do Autismo.Nesta data, cartões-postais ao redor do planeta se iluminam de azul para marcar a data, como acontece com o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, representando o Brasil. Em Hortolândia, a Ponte da Esperança também se iluminará de azul para chamar atenção para a causa.

Além disso, no Brasil, pais e apoiadores da causa criaram uma campanha nacional para celebrar a data e conscientizar, usando a hashtag #RESPECTRO nas redes sociais (união das palavras “respeito” + “espectro”) e o tema “Respeito para todo o espectro”.

Segundo a Revista Autismo, esta é “uma condição de saúde caracterizada por déficit em duas importantes áreas do desenvolvimento: comunicação social e comportamento. Não há só um tipo de autismo, mas muitos subtipos, que se manifestam de uma maneira única em cada pessoa. Tão abrangente que se usa o termo ‘espectro’, pelos vários níveis de comprometimento — há desde pessoas com outras doenças e condições associadas (comorbidades), como deficiência intelectual e epilepsia, até pessoas independentes, com vida comum, algumas nem sabem que são autistas, pois jamais tiveram diagnóstico.”

De acordo com a coordenadora da Educação Especial e Inclusiva da Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia, Regina Célia Dias A. Shigemoto, a ONU estima que aproximadamente 1% da população mundial esteja dentro do espectro do autismo, a maioria sem diagnóstico ainda. 

“O que temos observado em Hortolândia, como no mundo, é que, a cada ano, temos um número maior de crianças com diagnóstico do Transtorno do Espectro do Autismo em nossas escolas e também com menor idade. Este fato nos alegra, pois sabemos que, quanto mais precocemente iniciarmos os atendimentos e o convívio escolar, melhor será o desenvolvimento desta criança. Há um esforço grande da rede de atendimentos do município, seja na UBS (Unidade Básica de Saúde), seja no CIER-Saúde (Centro Integrado de Educação e Reabilitação), seja no CAPSij (Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil), seja na rede regular de Ensino, por meio da Coordenação de Educação Especial e Inclusiva. A maioria das crianças com diagnóstico do TEA está incluída na rede regular de ensino. Atualmente 192 crianças participam das atividades escolares e são acompanhadas uma ou duas vezes na semana pelo professor de AEE (Atendimento Educacional Especializado) e algumas são pelo CIER-Saúde e o CAPSij, nas áreas de fonoaudiologia, psicologia e terapia ocupacional”, ressalta a especialista.

Além disso, a Prefeitura disponibiliza, gratuitamente, formação continuada aos professores do AEE e formação esporádica aos profissionais da Educação, via simpósios que acontecem a cada dois anos e palestras pontuais nas escolas, na semana de formação oferecida pela Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia, por meio da Coordenação da Educação Especial e Inclusiva e com parcerias com a Unasp (Centro Universitário Adventista de São Paulo) e o Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência.

Algumas dicas para lidar com pessoas com TEA:

• Tenha paciência, persistência, amor e procure compreender o que cada comportamento quer te dizer; 

• Não faça por ele, estimule-o a executar a tarefa; 

• Estabeleça rotina – de preferência visuais; aos poucos, vá acrescentando outras tarefas; 

• Sempre que a rotina for alterada, converse antecipadamente sobre a mudança; 

• Procure descobrir o que o incomoda – sons altos, muitas luzes, sabores de alimentos, multidões etc; 

• Procure descobrir seus interesses; este será o caminho para você se aproximar e ajudá-lo a desenvolver-se; 

• Procure respeitar quando perceber que ele precisa ficar sozinho, ou repetir movimentos ou palavras, compreenda que ele utiliza deste comportamento para reequilibrar-se; 

• Brincar de esconde-esconde (aqui você tem que pensar onde seria difícil pra outra pessoa te encontrar, tem que prever acontecimentos); 

• Ofereça brinquedos, jogos diferentes; 

• Mostre-o no espelho; 

• Estimule-o na coordenação motora global, equilíbrio, percepções, sentidos, etc; 

• Construa bonecos com diversos materiais e diversas texturas; 

• Brincar de teatro (cada um é uma personagem e juntos podem construir como ela pensa, age, veste); 

• Jogo de mímica em que um finge que é algo para outro adivinhar (a criança tem que se colocar no lugar da personagem, animais, para imitá-lo);

• Jogo de perguntas para dedução (a criança vai ter que analisar as perguntas para ver qual resposta se encaixa melhor); 

• Planejar programas em família! (pensar no que cada um gostaria, no que pode acontecer e prevenir se pode acontecer algo inesperado como uma chuva… se acontecer, o que fazer?); 

• Adivinhações e enigmas (o que é o que é, qual é a música, qual é o filme, brincar de detetive); 

• Piadas; 

• Ver filmes, desenhos ou novelas juntos para explicar as brincadeiras (senso de humor) e o sarcasmo e também os sentimentos (porque a personagem chorou ou ficou preocupada?); 

• Colocar figuras em ordem para formar uma historinha (previsibilidade); 

• Quebra cabeças (previsibilidade); 

• Jogos de tabuleiros (previsibilidade, esportiva, saber lidar com frustração e espera).

• Jogos geradores de conversas como o Puxa Conversa e o que você faria se.......... 

• Playmobil (Se colocar no lugar de personagens em castelos, florestas, etc) 

• Vídeo game, tablet (previsibilidade, frustração, persistência – junte-se a ele, não o deixe isolado) 

• Criar funções diferentes para o mesmo objeto (banana vira telefone, vira uma meia lua, etc)

• Desenhar rostos no quadro ou caderno de acordo com o sentimento falado ou a história contada; na escola procure trabalhar sempre que possível dentro do mesmo conteúdo que está sendo oferecido para sala, talvez seja necessário diversificar as estratégias.

 

Leia mais ...