Menu


Fundo Social de Hortolândia prepara lançamento da Campanha do Agasalho, nesta quinta-feira (18/04)

Entre roupas e cobertores, campanha foi responsável pela doação de mais de 100 mil peças, em 2023

Manifestar o amor ao próximo por meio de um gesto de carinho e solidariedade. É com esse convite à população que o Fundo Social de Solidariedade lança oficialmente, nesta quinta-feira (18/04), a edição 2024 da Campanha do Agasalho. Neste ano, a ação promovida pelo órgão vinculado à Secretaria de Governo da Prefeitura contará com 65 pontos oficiais de coleta, entre prédios públicos e estabelecimentos comerciais.

A Campanha do Agasalho foi idealizada pelo Fundo Social com o objetivo de acolher famílias em situação de vulnerabilidade social, sobretudo durante a época mais fria do ano. Em 2023, a campanha mobilizou a arrecadação de 101 mil peças de roupas e de 3.500 cobertores. Todos os itens foram doados às famílias atendidas pelo FunSol e para instituições e entidades de natureza assistencial da cidade, entre as quais o Núcleo Vinde a Mim, Associação MORIAH, Casa da Criança Feliz, Comunidade São Pedro, Escola Evangelho Esperança, Instituição IESHER, ONG Esperançar, Casa Betânia da Paz, Instituto Pernas Voluntárias, ONG Cadefi (Centro de Apoio ao Deficiente Físico), entre outras. 

Além de atender entidades assistenciais, a Campanha do Agasalho também colaborou para a Operação Inverno, ação intersetorial organizada pela Prefeitura que tem o objetivo de proteger da temporada de frio pessoas em situação de rua.

Para a presidente do Fundo Social de Solidariedade de Hortolândia, Maria dos Anjos, o sucesso da campanha depende da participação da população. “A doação de um cobertor ou de uma peça de roupa pode parecer um gesto muito simples, mas que acaba tendo um impacto imenso na vida de muitas pessoas, principalmente daquelas que mais precisam. Mais do que arrecadar esses itens, a Campanha do Agasalho busca sensibilizar as pessoas a praticarem essa atitude de amor e carinho. É um gesto de solidariedade que, sem dúvidas, vai levar conforto aos lares e aquecer os corações de tantas famílias que não têm condições de se protegerem do frio”, declara Maria dos Anjos.

Assim como aconteceu no ano passado, a Campanha do Agasalho contará com um Dia D de arrecadação de roupas e cobertores. A ação, programada para maio deste ano, deve mobilizar a população por meio do sistema de doação drive-thru. Detalhes, como data e local, ainda estão sendo definidos pelo FunSol.

Em 2023, outras campanhas do FunSol também impactaram positivamente a vida de muitas famílias. Por meio da “Campanha Alimento Solidário”, o Fundo Social contabilizou a arrecadação de 75 toneladas de alimentos. As ações sociais também ajudaram mulheres em situação de vulnerabilidade social com a entrega de mais de 160 mil absorventes e de cerca de 1.500 kits de maternidade. Já a campanha “Natal Solidário” arrecadou aproximadamente 6.200 brinquedos para alegrar o final de ano das crianças. Lançada em junho de 2023, a campanha "Farmácia Solidária" contabilizou mais de 350 atendimentos. A capacitação profissionalizante também foi destaque, com a formação de mais de 400 aprendizes em 28 cursos ofertados gratuitamente.

Embora a Campanha do Agasalho 2024 não tenha sido lançada oficialmente, qualquer pessoa pode visitar o FunSol para realizar doações diversas.

 

FUNDO SOCIAL DE SOLIDARIEDADE DE HORTOLÂNDIA

Endereço: Rua José Athanázio Bueno, 260, no Jd. Santana

Atendimento: segunda à sexta-feira, das 8h às 17h

Telefone: (19) 3819-1005

Leia mais ...

Aprendizes se formam em cursos ofertados pelo Fundo Social de Hortolândia

Cerca de 40 alunos se formaram nos cursos de Instalação de Sistemas para Microgeração Fotovoltaica e Inspeção de Qualidade

Uma parceria que vem apresentando bons resultados. O Fundo Social de Solidariedade, órgão vinculado à secretaria de Governo, realizou, nesta quarta-feira (10/04), a 19ª formatura de cursos profissionalizantes ofertados em parceria com o Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial). A cerimônia de diplomação reuniu autoridades públicas, alunos e familiares na Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, no Jd. Sumarezinho.

Presente no evento, o prefeito de Hortolândia, José Nazareno Zezé Gomes, participou da entrega simbólica dos certificados aos alunos. “Quando eu vejo esses alunos, eu acabo lembrando parte da minha história. Minha faculdade foram os cursos profissionalizantes que cursei no Senai. Fiz oito cursos na época, o que me capacitou para conseguir um emprego em uma multinacional e mudar minha vida. Hortolândia vive um momento muito especial, com os recentes investimentos em infraestrutura e a chegada de grandes empresas para nossa cidade. Esses cursos são a porta de entrada para muitos que buscam uma recolocação no mercado de trabalho”, declarou Zezé Gomes. Entre as empresas que anunciaram, neste ano, investimentos no município estão a Microsoft e a Takoda Data Centers.

Recolocação no mercado formal de trabalho foi justamente o propósito que motivou o morador do bairro Chácaras Assay, Valdir Oliveira Peres, a participar do curso de Inspeção de Qualidade. “Estou há oito meses desempregado. Sempre quando fico sabendo dos cursos ofertados pelo Fundo Social, eu participo, porque, geralmente, esses cursos são bem caros. Este já é o terceiro curso do Fundo Social do qual participo. É uma alegria muito grande receber este certificado, que pode abrir as portas de emprego para mim”, revela Valdir, ao informar que já tem uma entrevista de emprego agendada em uma montadora de veículos da região.

Se para muitos alunos a participação nos cursos gratuitos ofertados pelo FunSol representa a expectativa de contratação no mercado de trabalho, para o morador do Pq. Hortolândia, Flávio Reti, o curso tem outro significado. “Eu sou professor aposentado, lecionava latim, português e inglês. Há alguns anos, tenho me aprofundado em conhecimentos sobre eletricidade, principalmente sobre repositores de TV, um hobby para mim. Com esse certificado em mãos, podemos dizer que tenho uma nova experiência de vida. Já sei projetar, dimensionar e executar uma microestação geradora de energia fotovoltaica, trabalho que contribui com a demanda energética em nosso país”, avalia.

A oferta de cursos profissionalizantes é uma das missões basilares do Fundo Social de Solidariedade de Hortolândia. Apenas neste ano, o órgão vinculado à Secretaria de Governo já disponibilizou cursos gratuitos nas áreas de Estética Facial, Design de Sobrancelhas, Técnicas de Vendas, Auxiliar de Logística e Assistente de Recursos Humanos, entre outros. Em 2023, foram mais de 400 alunos formados em 28 cursos. A presidente do FunSol, Maria dos Anjos, explica os impactos positivos com a oferta de cursos.

“O Fundo Social realiza diversas campanhas de cunho social, mas a qualificação profissional é algo que enche nossos corações de alegria, porque sabemos que esses cursos têm o poder de abrir as portas de emprego e mudar a vida de tantas pessoas. A qualificação é uma das primeiras etapas para realização de sonhos”, comenta.

Maria dos Anjos também contextualiza a parceria com o Senai para a oferta do curso de Instalação de Sistemas para Microgeração Fotovoltaica. “Devido aos recentes investimentos em energia limpa e renovável, Hortolândia ganhou reconhecimento nacional em geração de energia fotovoltaica. Aproveitando este gancho, nós identificamos uma demanda futura no mercado local por profissionais que estejam habilitados a atuarem neste segmento”, avalia Maria dos Anjos.

Também estiveram presentes na formatura o presidente e líder eclesiástico responsável pela unidade da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias de Hortolândia, Marcos Molina, e o presidente da Câmara dos Vereadores, Edivaldo Araújo. Durante o evento, o presidente do Poder Legislativo anunciou que a Câmara Municipal doou 43 computadores ao Fundo Social de Hortolândia. Os equipamentos serão usados em cursos de capacitação profissional.

Leia mais ...

Idosos de Hortolândia se divertem com os passinhos do flashback

Atividade compõe as ações programadas pelo CCMI Remanso em comemoração ao Mês da Atividade Física

“Exercícios físicos não mudam apenas o corpo, mas também a mente, as atitudes e o humor”. Foi com essa mensagem que idosos de Hortolândia participaram do aulão de flashback organizado pelo CCMI (Centro de Convivência da Melhor Idade) do Remanso Campineiro em parceria com o Programa Viva Mais, ambos órgãos da Secretaria de Governo da Prefeitura de Hortolândia.

Ao som de clássicos do estilo flashback dos anos 1980, como Abba, Ritche e Roupa Nova, os idosos cadastrados no CCMI Remanso puderam aprender alguns elementos básicos do estilo de dança comumente conhecido como “passinho”. A atividade foi adaptada ao público da melhor idade, como explica a professora de flashback do Programa Viva Mais, Lucimara Cristina Rossini. 

“Como a atividade foi voltada ao público da terceira idade, buscamos apresentar passinhos mais fáceis de serem executados, usando mais o movimentos dos braços, para permitir que a maioria conseguisse participar. Por se tratar de um aulão, focamos mais na coreografia e não exploramos muito as técnicas dos passos. A adesão do público do CCMI foi muito grande, porque é um povo muito animado”, esclarece Lucimara.

Uma dessas idosas que demonstrou muita animação durante o aulão de flashback foi a moradora do Pq. Orestes Ôngaro, Maria Aparecida Pereira. “Eu achei ótima a atividade. Eu já conhecia alguns passinhos, não é um estilo totalmente novo pra mim. Tudo o que vier de dança aqui (no CCMI), nós dançamos”, afirma.

O aulão de flashback também foi uma boa atividade recreativa para os alunos menos familiarizados com o estilo, como é o caso da idosa Maria Moraes, de 71 anos. “Eu faço de tudo  um pouco aqui na Melhor Idade, desde ginástica até Lian Gong. Eu já dancei muito na vida, quando era solteira. Eu estou aprendendo passinho agora. Antigamente era acostumada a dançar forró”, revela a moradora do Remanso Campineiro.

A psicóloga e coordenadora do CCMI Remanso, Fernanda Fadiga, explica o propósito da ação. “Buscamos a parceria do programa Viva Mais para trazer um aulão de flashback, como forma de despertar outro olhar nos idosos. Essa atividade também tem relação com a temática dos exercícios físicos, já que no dia 06 de abril comemoramos o Dia Mundial da Atividade Física”, comenta.

Fernanda Fadiga considera também que a promoção de ações conjuntas promovidas pelos diversos departamentos da Prefeitura facilita o acesso dos idosos a vários serviços públicos.  “Outro benefício que percebemos durante a atividade foi a integração multigeracional, já que a ação reuniu pessoas de diferentes idades. Os alunos do programa Viva Mais se empenharam em ajudar nossos idosos a executarem as danças, demonstrando muito carinho e paciência. Esse tipo de parceria com outras secretarias e serviços ofertados pela Prefeitura tem feito a diferença”, declara Fernanda Fadiga. 

Neste mês, uma das ações intersetoriais promovidas pela Prefeitura de Hortolândia foi a vacinação contra a gripe de mais de cem idosos cadastrados no CCMI Remanso. A ação contou com o apoio da Secretaria de Saúde.

Leia mais ...

Peça teatral resgata memória de idosos de Hortolândia

Circo-teatro do grupo Chico Pepeu divertiu os idosos do CCMI Remanso 

Um dia para relembrar a juventude e se divertir com uma típica história da roça. Assim foi a manhã desta quinta-feira (04/04) para os idosos inscritos no CCMI (Centro de Convivência da Melhor Idade) Remanso, órgão vinculado à Secretaria de Governo, durante a exibição do projeto circense itinerante “Circo-Teatro: Eu Fui”, de autoria do grupo Chico Pepeu Produções Artísticas. A atividade cultural contou com o apoio da Secretaria de Cultura.

Inspirada em piadas de duplos sentidos, em figurinos caricatos e nas peripécias de palhaços caipiras que marcaram uma geração, como Casquinha, Barnabé e Mazzaropi, a peça teatral “Circo-Teatro: Eu fui” narra a história de um pai ciumento e controlador, o Tonho, que morre de ciúmes da filha Rosinha, sua única companhia na humilde casa onde vivem.

Do café da manhã simples ao rádio que toca clássicos da música sertaneja raiz, como “Velha Porteira”, de Lourenço & Lourival, o cotidiano pacato de pai e filha começa a mudar quando um terceiro personagem surge na história: Nénzinho é um homem apaixonado e um tanto atrapalhado, que sonha em se casar com Rosinha, mas que não encontra a coragem necessária para pedir a mão da jovem em casamento.

O clímax do enredo explora as tentativas de Rosinha em esconder Nénzinho, já que seu pai, Tonho, não tolera a presença de outro homem na casa. E para isso, vale de tudo, desde cenas de esconderijo, enganação bem frente aos olhos e Nénzinho se passando por sombra de Tonho e, até mesmo, por santo. 

Para o criador do grupo e diretor da peça teatral, Chico Pepeu, o espetáculo busca trabalhar com a memória do público. “Esta peça é para retratar o circo antigo, o chamado circo-teatro. Esses dramas eram comuns na década de 1970, por isso é destinado ao público da melhor idade, que se lembra da época em que frequentavam os circos”, explica. 

Durante a encenação, o protagonista quebra, em vários momentos, a quarta parede, improvisando diálogos com a plateia. “É muito satisfatório se apresentar para o público da melhor idade de Hortolândia. Nós percebemos, em visita a outras cidades, que não há a mesma estrutura e ações voltadas ao idosos. Nós buscamos despertar nos idosos a vontade de atuar”, comenta Chico Pepeu.

A atriz Priscila Martins dá vida à personagem Rosinha. A artista comenta sobre a troca entre público e atores. “É maravilhoso ver os idosos resgatarem por meio da comédia, do circo-teatro, os momentos que eles viveram na juventude. Durante a apresentação, conseguimos perceber que eles têm essa nostalgia aflorada”, afirma.

Um dos idosos que se viu encantado pelo resgate da memória foi o membro do CCMI Remanso, Manoel Pereira de Souza. “O rádio me faz lembrar do tempo em que eu morava no sítio. Eu também me lembro das cartas de namoro. Eu cheguei a fazer isso”, revela.

Para o ator Pedro França, o Nénzinho, a interação com os idosos foi muito positiva. “Eu atuo há quinze anos, mas essa está sendo uma experiência nova para mim, já que estou acostumado a atuar para o público infantil. É muito bom receber essa energia alegre e feliz. É um prazer enorme fazer esse tipo de espetáculo para a melhor idade”, declara o ator.

A psicóloga e coordenadora do CCMI Remanso, Fernanda Fadiga, esclarece que a atração artística tem por objetivo complementar as diversas atividades ofertadas ao público da melhor idade. “Rir também é um santo remédio, faz bem para o corpo e para a alma. Este tipo de atividade transmite a mensagem de que rir das coisas e rir de si mesmo faz uma diferença muito grande, pois nos ajuda a, naturalmente, não dar tanto peso para nossos problemas”, encerra Fernanda Fadiga.

 

FICHA TÉCNICA

“Circo-Teatro: Eu Fui!”

Realização: Secretaria de Governo e Secretaria de Cultura

Elenco: Chico Pepeu, Pedro França e Priscila Martins

Direção Artística: Chico Pepeu

Produção: Chico Pepeu Produções Artísticas

Sonoplastia e Iluminação: Pietro Wallace

Videomaker: Rafael Morales

Duração: 50 minutos

Classificação: Livre

Leia mais ...

Takoda Data Centers anuncia investimento de R$ 2 bilhões em Hortolândia

Após a chegada da Tech Town, Ascenty, Odata e Microsoft, município vem se consolidando como um dos maiores polos de tecnologia do Brasil e América do Sul

Hortolândia vem reafirmando, a cada dia, sua vocação para o acolhimento de empresas de alta tecnologia, caminhando a passos largos para se tornar o Vale do Silício na América do Sul. Nesta quinta-feira, 4 de abril, no gabinete do prefeito José Nazareno Zezé Gomes, a Takoda Data Centers anunciou investimento de R$ 2 bilhões, pelos próximos 4 anos, na construção e operação de um complexo de Data Centers.

Os data centers funcionam como uma “base física” onde são armazenados aplicativos e dados essenciais de vários tipos de empresas. A demanda por esse tipo de serviço cresceu com o uso cada vez mais comum da chamada “computação em nuvem”, que permite o acesso aos mesmos softwares e informações por dispositivos diferentes, sem a necessidade de uma conexão física, por cabo.

De acordo com o prefeito hortolandense, empresas de tecnologia vem procurando Hortolândia para se estabelecer, especialmente, por conta da infraestrutura do município, que conta com grandes viários, coleta e tratamento de esgoto e por estar localizada numa região com potencial energético capaz de receber grandes empreendimentos que necessitam de energia elétrica em larga escala para operacionalizar os equipamentos de alta tecnologia. “Hortolândia foi construída nos últimos 20 anos com planejamento e, agora, estamos colhendo os frutos. Nos últimos anos, diversas empresas de tecnologia vieram se instalar no município. Mais recentemente, anunciamos a chegada de duas plantas da Microsoft em nossa cidade e, agora, temos a honra de anunciar a chegada da Takoda Data Centers, que investirá cerca de R$ 2 bilhões pelos próximos 4 anos. Isso significa, num primeiro momento, uma injeção direta de emprego e renda na construção civil e em toda a sua cadeia produtiva, o que é muito bom para os trabalhadores da nossa cidade”, destacou Zezé.

Para o secretário municipal de Governo, Cafu César, a chegada da Takoda demonstra que o planejamento adotado pelo ex-prefeito Angelo Perugini, e que teve continuidade com o prefeito Zezé Gomes, vem fazendo a diferença, resultando na atração de grandes empresas e fortalecimento da cidade como polo de alta tecnologia. “Mesmo durante períodos de crise, como foi durante a pandemia de Covid-19, Hortolândia não deixou de crescer. A todo momento, novos empreendimentos chegaram e foram se instalando. Mais recentemente, Hortolândia recebeu a Microsoft e, agora, chega a Takoda. Isso não está sendo por acaso e, por conta do planejamento, novos empreendimentos estão por chegar. Por isso que Hortolândia é uma das cidades que mais crescem no Estado de São Paulo e no Brasil”, avaliou Cafu.

O presidente da Takoda Data Centers, Eduardo Sodero, informou que a empresa será construída pela Afonso França Engenharia em uma área de 100 mil metros quadrados. A primeira fase prevê investimentos de R$ 700 milhões na implantação de um primeiro galpão, com dois andares. O cronograma prevê o início da construção em 2024 e a sua entrega deve ocorrer num prazo de 16 meses. “O nosso complexo terá cerca de 80 mil metros de área construída e os trabalhos consumirão investimentos de R$ 2 bilhões ao longo de 4 anos. A primeira fase já está definida e esperamos iniciar a construção ainda neste primeiro semestre”, destacou Sodero.

Para o gerente comercial da Afonso França Engenharia, Fábio Pezutto, em Hortolândia a primeira fase de construção do Data Center deve gerar cerca de 800 empregos diretos. “É um investimento que vai aquecer a construção civil em Hortolândia, assim como outras cadeias do setor de serviços, proporcionando a abertura de novas vagas de forma indireta, fortalecendo a economia local”, destacou Pezutto. A Afonso França Engenharia, 13ª maior construtora do Brasil, segundo ranking da engenharia brasileira 2023, divulgada pela revista OE (O Empreiteiro), conhece muito bem o município. Ela foi a responsável pela construção do Data Center da Odata, às margens da rodovia Jornalista Francisco Aguirre Proença (SP-101). “Nossa empresa foi responsável pela construção de 10 data centers pelo Brasil e estamos construindo outros cinco grandes projetos de datacenter no país, ao mesmo tempo em que disputamos outros contratos para a construção de novos”, destacou Pezutto.

 

MICROSOFT

Em Hortolândia a construção das duas plantas dos Data Centers da Microsoft estão a todo vapor. As obras acontecem na região das Chácaras Recreio Alvorada e da Taquara Branca.

No caso de Hortolândia, a cidade foi escolhida por conta do polo de tecnologia local, que permite a integração dos serviços. Além disso, também foi considerada a proximidade com a capital São Paulo e o acesso a uma infraestrutura de telecomunicações de alta qualidade. 

A Microsoft também se comprometeu a investir em programas de qualificação profissional e desenvolvimento social. No Brasil, o serviço de computação em nuvem oferecido pela Microsoft é o Azure, considerado um dos mais populares do mercado, por conta da integração com o pacote Office.

Leia mais ...

Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência conscientiza escola de Hortolândia

Encontro estimulou debate sobre as atribuições do Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência

O Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência de Hortolândia segue promovendo o programa “Conselho em Ação” em diferentes prédios públicos da cidade. Nesta quarta-feira (03/04), o órgão vinculado à Secretaria de Governo por meio do Departamento de Direitos Humanos, visitou o CIER Educação (Centro Integrado de Educação e Reabilitação), no Pq. Santo André.

O programa  “Conselho em Ação” foi aprovado por unanimidade pelos 20 membros titulares que compõem o Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência de Hortolândia. O propósito do programa é visitar unidades de ensino, de saúde e espaços públicos diversos para divulgar a atuação do Conselho e engajar famílias a debaterem as políticas públicas voltadas às pessoas com deficiência, como esclarece o Presidente do órgão, Alexandre Amaro.

“Uma das funções do Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência de Hortolândia é desenvolver parcerias em prol da luta pelos direitos da pessoa com deficiência. Nesse sentido, a participação direta da comunidade é fundamental”, comenta Alexandre Amaro.

A ação contou com um bate papo mediado pela vice-presidente do Conselho, Niceia Tenório. “O Conselho se coloca à disposição da população para que possamos construir juntos políticas públicas para o segmento”, afirma.

A conselheira municipal representante do TEA (Transtorno do Espectro Autista) e mãe de um menino autista, Elisa Guimarães, expôs os desafios da promoção de políticas públicas às pessoas com deficiência no âmbito familiar. “Hoje não tem quem cuida de quem cuida. Nós temos muitos olhares para o autista, mas não fazemos ideia da sobrecarga para as famílias. Uma pesquisa do Instituto Baresi aponta que cerca de 78% dos pais abandonam as mães de crianças com deficiências, entre as quais o autismo. Um dos propósitos do Conselho é caminhar diretamente com a comunidade, para entender quais as políticas públicas necessárias para a promoção da acessibilidade”, opina Elisa.

Além de promover o acolhimento do núcleo familiar, o programa “Conselho em Ação” busca compartilhar os direitos das pessoas com deficiência. Para a diretora do CIER de Hortolândia, Maria Lúcia Delgado, a participação do Conselho na reunião de pais foi importante para esclarecer o suporte e acolhimento às famílias. “As mães puderam se colocar e contar de forma emocionante um pouco de sua trajetória com os cuidados dos filhos. Acreditamos que a parceria entre CIER Educação e Conselho enriquece o nosso trabalho e luta pela inclusão social e pelo atendimento efetivo e de qualidade às pessoas com deficiência”, avalia.

Conheça as ações do Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência de Hortolândia e participe do debate de políticas públicas voltadas ao segmento. Siga a página do órgão nas redes sociais em @conselhomunicipalpcdh.

Leia mais ...