Menu


Prefeitura e Puc-Campinas realizam Oficina de Sustentabilidade em Hortolândia

Prefeito Zezé Gomes compareceu ao evento, no Jardim Amanda, na manhã desta quinta-feira (24/11)

O prefeito José Nazareno Zezé Gomes participou, na manhã desta quinta-feira (24/11), da “Oficina de Sustentabilidade na Cidade”, projeto da Puc-Campinas (Pontifícia Universidade Católica de Campinas), em parceria com a Prefeitura de Hortolândia. O evento aconteceu no teatro Elizabeth Keller de Matos, no Jd. Amanda, e reuniu cerca de 120 pessoas, entre servidores, secretários municipais, professores da instituição de ensino superior e o ex prefeito de Monte Mor, Rodrigo Maia. A oficina é realizada por meio das secretarias de Planejamento Urbano e Gestão Estratégica e de Finanças, com o apoio da Escola de Gestão da Secretaria de Administração e Gestão de Pessoal.

O projeto visa despertar os municípios da região para reconhecerem potencialidades, identificarem desafios e traçarem estratégias para atingir metas que garantam melhor qualidade de vida aos cidadãos e às futuras gerações. Visa ainda mostrar a importância do planejar e executar de forma a garantir a sustentabilidade na cidade.

“A oficina tem por objetivo discutir o futuro da nossa cidade. Nosso Governo tem trabalhado no sentido de garantir os investimentos necessários em busca de uma cidade mais humana, sustentável e inteligente. Queremos garantir mais qualidade de vida hoje e para as próximas gerações. Por isso, ter uma cidade mais sustentável é a nossa meta e, tenho certeza, estamos no caminho certo", afirmou Zezé Gomes.

Logo na abertura do evento, o prefeito fez um alerta quanto à importância da volta do uso de máscaras e da vacinação contra a Covid-19. Destacou ainda o papel dos gestores públicos neste momento para sair da rotina, ampliar a visão e as possibilidades que existem, por meio do conhecimento.

Os quatro palestrantes – os professores Cândido Ferreira da Silva Filho, Diego de Melo Conti, Duarcides Ferreira Mariosa e Orandi Mina Falsarella – abordaram temas como Cidades e o Desenvolvimento Sustentável; Cidades Inteligentes e Sustentáveis; Indicadores na Gestão Sustentável de bacias hidrográficas e Bacias hidrográficas inteligentes utilizando TIC (Tecnologia da Informação e da Comunicação) para minimizar os desafios da Segurança Hídrica.

“Como universidade temos o compromisso de buscar o diálogo de forma a compartilhar os conhecimentos, pensando na realidade das cidades, principalmente, das pessoas. Nosso desafio não está somente nas questões do clima, mas também na comunicação entre os agentes públicos, privados, acadêmicos e sociedade. Esta oficina é o primeiro passo”, ressaltou a coordenadora do Programa de Mestrado em Sustentabilidade da Pus-Campinas, Profª. Bruna Ângela Branchi.

Durante o evento, os presentes puderam conhecer também as práticas do município nas áreas do planejamento e da sustentabilidade. O secretário de Planejamento Urbano e Gestão Estratégica, Carlos Roberto Prataviera Júnior, apresentou os projetos prioritários com foco sustentável e inteligente para a cidade, destacando a importância de planejar. "Pensar no planejamento da cidade é ter responsabilidade também na sustentabilidade, melhorando a qualidade de vida do cidadão e a manutenção para as futuras gerações”, afirmou o gestor.

“Esse evento é muito importante para a expansão do horizonte no tema da sustentabilidade. Essa reflexão e a parceria da academia são imprescindíveis para avançarmos na formulação e implantação das políticas públicas relacionadas a esse tema, cada vez mais urgente para o mundo”, ressaltou a secretária de Finanças, Maria Luisa Denadai.

No evento, houve ainda entrega simbólica de certificados a três dos vinte dois servidores que concluíram o curso de “Elaboração e Gestão de Projetos”, realizado pela Secretaria de Planejamento Urbano e a Escola de Gestão.

 

Leia mais ...

Prefeitura usa inteligência artificial para monitorar Hortolândia e apontar problemas de zeladoria

Serviço de monitoramento atenderá vários órgãos municipais que prestam serviços de manutenção e zeladoria urbana, tornando a gestão da cidade mais inteligente

A tecnologia a favor da gestão pública. A fim de otimizar a gestão e execução de diversos serviços municipais, da zeladoria à mobilidade urbana, a Prefeitura de Hortolândia contratou tecnologia que utiliza inteligência artificial para monitorar, fiscalizar e apontar uma série de problemas, a fim de solucioná-los melhor e mais rapidamente. As informações coletadas por meio de câmeras acopladas a um veículo são enviadas em tempo real, via internet, a um servidor em nuvem ao qual a Administração Municipal tem acesso.

O lançamento do sistema aconteceu, nesta quinta-feira (10/11), no gabinete do prefeito José Nazareno Zezé Gomes, no Paço Municipal, no Remanso Campineiro. “O nosso desejo é que a população saiba que estamos investindo em processos e tecnologias que vão trazer uma cidade mais organizada e confortável para se viver. Nossa maior preocupação é entregar os serviços municipais com qualidade e rapidez, dentro do que o cidadão espera da Prefeitura. Com o diagnóstico em mãos, nossas equipes são capazes de traçar estratégias para solucioná-los e prever manutenções futuras que os previnam. É essa a Hortolândia que queremos: limpa, organizada, bem conservada e inteligente”, afirma Zezé Gomes.

De acordo com a Secretaria de Planejamento Urbano e Gestão Estratégica, gestora do contrato, o projeto está inserido nas diretrizes do programa “Cidade Inteligente” e visa incorporar tecnologia aos procedimentos manuais hoje executados pela Prefeitura, a fim de reduzir a necessidade de contratação de mão de obra e trazer mais agilidade e eficiência na resposta a problemas voltados às áreas de mobilidade, limpeza e zeladoria urbana.

Em fase de teste na cidade há um mês, o sistema é capaz de detectar buracos, mato nas calçadas, lixo descartado irregularmente, entulho, animais soltos nas vias, tampas de bueiro fora de lugar, sinalização viária apagada, dentre outros. O relatório apresentado aos gestores mostra que a tecnologia consegue, em apenas quatro minutos, dar o diagnóstico de toda uma rua com fotos e indicadores de qualidade, enviando os dados para um servidor em nuvem, que alimenta um painel de controle operado pelas equipes da Prefeitura.

Para a Secretaria de Planejamento Urbano, além de trazer eficiência para a gestão municipal, a mudança também trará mais conforto para a população, que terá mais uma alternativa além dos canais de notificação direta à Prefeitura para informar esses problemas na porta de sua casa.

“Com essa tecnologia estamos olhando para a cidade de uma outra forma e trabalhando com uma visão estratégica. Sabendo de todos os problemas que precisamos resolver, agora conseguimos realizar uma programação de curto, médio e longo prazo, priorizando bairros com nível de manutenção crítico e dando solução pontual para demandas mais urgentes detectadas pela inteligência artificial”, avalia o secretário de Planejamento Urbano e Gestão Estratégica, Carlos Roberto Prataviera Júnior.

Ainda segundo a Secretaria de Planejamento Urbano e Gestão Estratégica, o veículo circula de segunda a sexta, das 8h às 17h. O monitoramento é diário e será realizado até o fim do contrato, que se encerra no segundo semestre de 2023. Ao final do contrato, a Administração Municipal vai avaliar a necessidade da continuidade do monitoramento diário ou poderá adotar vistorias periódicas em datas pontuais para acompanhar a cidade dali por diante.

Leia mais ...

5° lugar no ranking das “cidades inteligentes” 2021, Hortolândia apresenta ações em urbanismo

Em evento temático da empresa Urban Systems, realizado nesta terça-feira (19/07), Prefeitura apresentou a membros da comunidade de cidades inteligentes ações realizadas na cidade

Após obter a 5ª colocação no eixo urbanismo e a 78ª posição geral no “Ranking Smart Cities 2021”, que elenca os municípios brasileiros mais inteligentes e conectados, Hortolândia apresentou, nesta terça-feira (19/07), em evento temático, ações realizadas no município que possibilitaram essas conquistas. Quem representou a cidade junto à comunidade “Connected Smart Cities” foi o secretário de Planejamento Urbano e Desenvolvimento Estratégico, Carlos Roberto Prataviera Júnior.

O estudo anual que gera o ranking é desenvolvido pela empresa de consultoria Urban Systems, em parceria com a Necta. De acordo com o estudo, o recorte de urbanismo é composto por 10 indicadores: sete dizem respeito ao eixo de urbanismo, um ao de mobilidade e acessibilidade e dois ao de meio ambiente. A nota máxima é de 9,5 pontos, sendo que Hortolândia obteve 8,106.

Segundo a Secretaria de Planejamento Urbano e Desenvolvimento Estratégico, esta é a primeira vez que o “case” de Hortolândia é exposto em um evento temático, focado no desenvolvimento e monitoramento de cidades inteligentes. Em outubro, este modelo será novamente apresentado, dessa vez, em evento nacional da comunidade, em São Paulo. Após a exposição, a cidade foi convidada a contribuir com as normas técnicas para o Plano Diretor que a ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) está desenvolvendo.

Durante a apresentação, Júnior Prataviera apresentou o perfil do jovem município, de 31 anos: integrante do Arranjo Populacional de Campinas, com 62.416 km², população estimada de 237.570 pessoas e receita na casa de R$ 1.1 bilhões em 2022, cortado por duas importantes rodovias estaduais (Bandeirantes, SP-101) e cercado por outros importantes modais (as rodovias Anhanguera e D. Pedro, a linha férrea até Santos e o aeroporto de Viracopos). O gestor lembrou as lutas históricas desde a emancipação, em 1991, para a coleta e tratamento de água e esgoto, o asfaltamento sem custo aos moradores e o enfrentamento às enchentes recorrentes, melhorando a qualidade de vida. Abordou também a busca das gestões municipais por recursos nacionais e internacionais a fim de planejar o crescimento e viabilizar a realização de grandes e relevantes obras, que fomentam o desenvolvimento da cidade em bases sustentáveis, levando em conta aspectos como mobilidade urbana, coleta de resíduos e preservação ambiental.

O ranking mapeou todos os 677 municípios com mais de 50 mil habitantes, quatro a mais do que a edição anterior. O objetivo é definir as cidades com maior potencial de desenvolvimento do Brasil. A edição 2021 do estudo conta com 75 indicadores que atestam serviços inteligentes nas cidades brasileiras.

No caso de Hortolândia, além de ocupar a 78ª posição no geral, o município se destacou em algumas categorias, como a de Urbanismo (5ª posição), Economia (40ª posição) e Empreendedorismo (88ª posição).

Leia mais ...

Hortolândia ganhará mais 165 novos abrigos de ônibus

Hortolândia ganhará, em breve, 218 novos pontos de parada de ônibus. Técnicos da Secretaria de Mobilidade Urbana já iniciaram a instalação de mais 165 novos abrigos de ônibus e mais 53 totens que sinalizam locais de embarque e desembarque. Na tarde desta sexta-feira (30/04), o prefeito José Nazareno Zezé Gomes e o secretário da pasta, Atílio André Pereira, vistoriam um deles, recém-implantado, na Rua Luiz Camilo de Camargo, próximo ao atacadista Assaí, na Região Central.

Modernos, os novos equipamentos garantem comodidade e segurança aos usuários do transporte público. Além de confortáveis, os novos pontos contam com painéis que permitirão aos usuários consultar o itinerário e o tempo de chegada dos ônibus. Os abrigos dispõem de iluminação, espaço para cadeirante e piso tátil para deficientes visuais, assim como bancos reforçados para obesos.

Segundo a Secretaria de Mobilidade Urbana, abrigos e totens serão instalados em toda a cidade, em ruas e avenidas de grande fluxo de pessoas.

“O abrigo de ônibus é o ponto de partida para a viagem. É tão importante quanto o ônibus para segurança e conforto para os usuários do transporte público”, ressaltou o secretário.

Segundo o prefeito, trata-se de uma importante ação que mantém Hortolândia no ranking das cidades mais inteligentes do Brasil. 

“Esta é mais uma ação que coloca Hortolândia no mapa das cidades inteligentes, pois estes pontos vão contar, muito em breve, com Wi-Fi para que todos possam acompanhar os horários e itinerários por meio de aplicativo na internet. O trabalho segue em frente, preparando Hortolândia para ser uma cidade inteligente, que atrai investimentos e gera emprego e renda, seguindo com o legado de Perugini e trabalhando para melhorar a vida de nosso povo”, afirmou Zezé.

 

Leia mais ...

Hortolândia participa da elaboração da Carta Brasileira para Cidades Inteligentes

Além de realizar ações relacionadas ao meio ambiente em âmbito local, Hortolândia também integra importantes iniciativas sobre o tema em escala nacional. Um exemplo disso é que o município participou da elaboração da “Carta brasileira para cidades inteligentes”. O lançamento do documento aconteceu via online dentro da programação do evento digital Smart City Session 2020, nesta terça-feira (08/12). Participaram do lançamento mais de 1.000 pessoas, dentre as quais autoridades, do Brasil e de outros países.

A carta é uma iniciativa da Secretaria Nacional de Mobilidade e Desenvolvimento Regional e Urbano do Ministério do Desenvolvimento Regional, em parceria com o Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovações e com o Ministério das Comunicações. A ação conta ainda com o apoio do projeto Andus (Apoio à Agenda Nacional de Desenvolvimento Urbano Sustentável), projeto de cooperação dos governos federais brasileiro e alemão para apoio à agenda nacional de desenvolvimento urbano sustentável no Brasil, com a participação da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH (Agência de cooperação técnica alemã) e financiada pela Iniciativa Internacional de Proteção do Clima (IKI) do Ministério do Meio Ambiente, Conservação da Natureza e Segurança Nuclear (BMU). Hortolândia é uma das seis cidades brasileiras participantes do projeto Andus.

A carta foi elaborada coletivamente por mais de 200 representantes dos governos federal, estaduais e municipais, órgãos e entidades públicas e privadas do Brasil ligadas às áreas de tecnologia, engenharia, planejamento urbano e ecologia urbana. O objetivo é, por meio do documento, expressar e articular uma agenda pública brasileira sobre a transformação digital nas cidades do país. A Prefeitura de Hortolândia participou da redação do documento por meio da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável. 

O processo de elaboração da carta foi lançado em março de 2019. A partir daí, foram realizadas várias atividades, dentre as quais três oficinas de trabalho, sendo duas presenciais, em 2019, e uma online (foto), em abril deste ano.

Durante a elaboração da carta, foram definidos quatro itens. O primeiro é o conceito do termo “cidades inteligentes”, adaptado à realidade brasileira. O segundo são os princípios balizadores para cidades inteligentes. O terceiro são as diretrizes norteadoras para cidades inteligentes. O quarto item é a agenda pública propriamente, que traz oito objetivos estratégicos e recomendações. 

De acordo com o assessor técnico da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Gustavo Cherubina, a Prefeitura buscou fazer sugestões para que a carta incluísse o conceito de cidade inteligente associado ao conceito de desenvolvimento econômico igualitário, com geração de trabalho e renda, e ecologicamente sustentável. “Também buscamos incluir a questão da democracia participativa com suporte das tecnologias”, ressalta Cherubina.

Cherubina ainda salienta que outra questão apresentada pela Prefeitura que também foi bem recebida pelos demais participantes é de que a cidade inteligente pudesse trabalhar com o conhecimento e a inteligência da população. “Com isso, as cidades inteligentes poderiam promover a erradicação do analfabetismo e realizar, simultaneamente e de maneira universal, a elevação da escolaridade de todos”, ressalta Cherubina. 

Ainda de acordo com o assessor técnico, com o lançamento da carta, o documento deverá ser encaminhado para os governos federal, estaduais e municipais, bancos de desenvolvimento, fundos de investimentos, universidades com pesquisas relacionadas às áreas abordadas pelo documento e empresas de inovação. A carta está disponível por meio deste LINK.

Leia mais ...

Hortolândia é escolhida para participar da criação de programa federal de cidades inteligentes

Hortolândia é uma das duas cidades da região escolhidas para participar da criação de um programa federal de cidades inteligentes sustentáveis. De acordo com a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, o município receberá, na próxima semana, a visita de um grupo de pesquisadores do Centro de Tecnologia da Informação (CTI) “Renato Archer”, órgão do Ministério da Ciência, Tecnologia, Informações e Comunicações (MCTIC). 

O grupo virá ao Paço Municipal “Palácio das Águas”, onde coletará informações junto aos secretários municipais, gestores e técnicos das Secretarias de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável; Finanças; Planejamento Urbano e Gestão Estratégica; Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Turismo e Inovação; e Inclusão e Desenvolvimento Social. 

De acordo com o CTI, o objetivo é compreender a realidade e conhecer quais são as questões e os desafios enfrentados pelo município. A partir das informações coletadas, os pesquisadores irão elaborar um sistema de avaliação das cidades inteligentes do país. O sistema também fornecerá subsídios para a criação de um programa federal de cidades inteligentes sustentáveis. Ainda de acordo com o CTI, o sistema será disponibilizado posteriormente numa plataforma on line para que os municípios façam sua avaliação. A criação do sistema é uma parceria entre o CTI “Renato Archer” e a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), esta também vinculada ao MCTIC.

Um dos motivos para Hortolândia ter sido escolhida, segundo o CTI, é o fato do município fazer parte do projeto ANDUS (Apoio à Agenda Nacional de Desenvolvimento Sustentável no Brasil), parceria entre a Prefeitura, Governo Federal e a Agência Alemã de Cooperação Técnica Internacional, a GIZ GmbH (Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit).

Para o assessor técnico da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento, Gustavo Belic Cherubina, o fato de Hortolândia ter sido escolhida para receber os pesquisadores do CTI, é um reconhecimento ao trabalho que a Prefeitura tem realizado para estimular o desenvolvimento da cidade, aliando sustentabilidade e novas tecnologias. “A Prefeitura se sente honrada em receber a equipe do CTI “Renato Archer”. Ao ter sido escolhido para participar desse projeto, o município se destaca, em âmbito nacional e internacional, como referência na questão do desenvolvimento com sustentabilidade, mas sem perder de vista os aspectos econômico e social. Hortolândia se afirma, cada vez mais, como uma cidade que enfrenta seus desafios”, destaca Cherubina. 

PROJETO ANDUS

De acordo com a Secretaria de Planejamento Urbano e Gestão Estratégica, a parceria para cooperação técnica internacional pelo Projeto Andus proporcionará transferência tecnológica, capacitação de servidores e ferramentas para a implementação do Plano Diretor em Hortolândia, de modo a tornar Hortolândia cidade modelo de sustentabilidade. A cooperação se dará por um período de um ano. Hortolândia é um dos cinco municípios brasileiros selecionados para participar do projeto. Além de Hortolândia, os demais municípios contemplados na parceria são: Fortaleza e Euzébio, no Ceará; Anápolis, em Goiás; e Tomé Açú, no Pará.

A parceria internacional vem ao encontro das ações do PIC (Programa de Incentivo ao Crescimento), que tem como objetivo promover o desenvolvimento urbano, social, econômico, ambiental e humano de Hortolândia, de modo sustentável, preparando a cidade para o crescimento urbano dos próximos 30 anos. Por meio do PIC, Hortolândia já iniciou uma série de investimentos para tornar a cidade inteligente, do ponto de vista tecnológico e de sustentabilidade.

Leia mais ...