Menu


Árvore-do-viajante dá boas-vindas a visitantes do Centro de Memória de Hortolândia

Espaço cultural da Prefeitura estará aberto neste sábado e domingo (24 e 25/09)

Que tal aproveitar o fim de semana para fazer um programa cultural? A dica da Prefeitura de Hortolândia é visitar o Centro de Memória Professor Leovigildo Duarte Junior. O espaço estará aberto, neste sábado e domingo (23 e 24/09), das 9h às 16h. O centro fica na rua Rosa Maestrello, 2, Vila São Francisco. O espaço abre todo último fim de semana de cada mês para visitação. 

O centro é uma viagem no tempo que o público pode conhecer a história do município. O espaço ocupa o prédio da antiga estação ferroviária Jacuba, que foi restaurado pela Prefeitura e inaugurado em 2014. O espaço guarda parte importante da história da cidade, com um acervo de objetos, fotos e materiais antigos.

Já na entrada, os visitantes se deparam com uma atração: um exemplar de uma espécie arbórea popularmente chamada “árvore-do-viajante” (foto), que foi plantada na época da restauração do prédio. De acordo com a engenheira agrônoma da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Alynne Sant’Anna, a árvore é de utilização ornamental. 

“É uma espécie que serve mais para uso paisagístico em jardins ou áreas verdes de grande extensão. Ela tem estrutura e tronco parecidos com a da bananeira. Porém, seu fruto não é comestível. Outra característica é a copa em forma de leque. A espécie é originária de Madagascar”, explica Alynne. 

Já de acordo com informações levantadas pela Secretaria de Cultura, o nome científico da espécie é Ravenala madagascariensis. Suas folhas são grandes, também parecidas com as da bananeira. Em razão disso, a planta acumula água, que servia para matar a sede dos viajantes, motivo pelo qual recebeu seu nome popular.

Atrativos tecnológicos

O Centro de Memória oferece dois atrativos tecnológicos para o público. O primeiro é uma câmera de monitoramento de trens que passam na via férrea ao lado do local. A câmera, do modelo 360º, funciona 24 horas. As imagens da câmera são exibidas em tempo real no canal no YouTube do grupo Railcam Brasil. O equipamento foi inaugurado no evento “Café Com Viola”, realizado, em maio deste ano, pela Prefeitura em comemoração ao 31º aniversário de emancipação política de Hortolândia.

O fornecimento e a instalação do equipamento foram feitos pelo grupo Railcam Brasil, que reúne admiradores e fãs de trens e ferrovias do Brasil e de outros países. Hortolândia é o segundo município a receber a câmera. A iniciativa conta com o apoio da empresa Rumo e da Prefeitura. O outro atrativo é Wi-Fi, cujo uso é gratuito somente para visitantes, mediante uso de senha, fornecida pelo centro. O sistema também foi oferecido pelo grupo Railcam Brasil.

Exposição sobre Mestre Chiquinho

Atualmente, o centro está com a exposição “Chiquinho: trajetória e legado do mestre do mundo”, em homenagem a Mestre Chiquinho, morador ilustre da cidade.  

A exposição, inaugurada em dezembro de 2021, reúne cerca de 100 objetos, dentre fotos, vestimentas, fantasias e outros itens, que fazem parte dos acervos pessoal de Mestre Chiquinho e do próprio centro. Um dos itens de destaque é uma foto antiga do avô de Mestre Chiquinho, que de acordo com ele, tem mais de 100 anos. “É a foto mais antiga da exposição”, conta o homenageado. 

Nascido em Arealva (SP), Mestre Chiquinho, cujo verdadeiro nome é Francisco Aparecido Borges de Almeida, mora em Hortolândia desde 1976. Ele é conhecido por seu trabalho de preservar tradições culturais populares na cidade. Nos anos 1980, ele ajudou a criar a Companhia de Santos Reis “Rosa dos Anjos”, que mantém viva a tradição da Folia de Reis. 

Mestre Chiquinho é também um dos criadores do grupo Pioneiros do Catira, em 2006, que faz apresentações de catira, estilo de dança popular cujo ritmo é conduzido pelas batidas dos pés e das mãos dos dançarinos. Ele ainda é um dos idealizadores da Orquestra de Viola de Hortolândia, criada em 2009, e que inicialmente chamava-se Orquestra de Viola Comitiva da Esperança. Mais recentemente, Mestre Chiquinho criou o grupo Rainhas do Catira, formado por mulheres. Desde 2006, em parceria com a Prefeitura, Mestre Chiquinho coordena e ministra aulas de violão e viola caipira.

Na exposição, os visitantes podem ainda conferir o documentário “Ao Mestre Chiquinho Com Carinho”. Com 30 minutos de duração, o documentário conta a vida do homenageado. O documentário apresenta entrevistas e depoimentos do próprio Mestre Chiquinho e de seus amigos, parentes, familiares e integrantes dos grupos coordenados por ele. 

O documentário foi realizado pela Secretaria de Cultura em parceria com a produtora Rumo Audiovisual. O município foi selecionado pelo programa “Juntos Pela Cultura”, iniciativa da associação Amigos da Arte em parceria com o governo do Estado, para produzir o documentário. A direção é de Diego Freitas e Julia Rany Campos Uzun. O documentário também está disponível no canal do YouTube da Secretaria de Cultura.

Durante a visita ao centro, que fica ao lado da via férrea, o público poderá ainda ter a sorte de ver o trem passar. Por motivo de segurança, o centro reforça a orientação para os visitantes que queiram tirar fotos ou fazer vídeos da passagem do trem para que permaneçam na área externa cercada com grade. Após o passeio, o público pode ainda descansar e usufruir a área externa do centro, onde há árvores frutíferas (duas mangueiras e uma caramboleira) que oferecem sombras acolhedoras, principalmente nos dias de sol forte.

5º Jacuba Festival de Graffiti atrai público de cerca de 500 pessoas

Evento, realizado no fim de semana pela Prefeitura, reuniu artistas que grafitaram um mural na Unidade Cultural Arlindo Zadi; uma das obras homenageia Mestre Chiquinho      

Quem passar pela Unidade Cultural Arlindo Zadi, no Jardim Amanda, nesta segunda-feira (22/08), vai ver um paredão com figuras coloridas. Esse é o resultado do 5º Jacuba Festival de Graffiti, realizado no fim de semana pela Prefeitura de Hortolândia. Segundo os idealizadores, o evento teve público de 500 pessoas, que conferiram o trabalho de criação dos artistas enquanto grafitavam o paredão de 11 metros de altura por cinco de largura. O prefeito José Nazareno Zezé Gomes também esteve presente, e inclusive deu uma grafitada no paredão. 

O festival contou com as participações de artistas de cinco estados brasileiros: Chermie (Amazonas), Korea (Sergipe), LudBird (Tocantis), Ramon Phanton (Goiás) e Veio Art (Recife). Também participaram três artistas da cidade e da região: Gui Nature, Lua e Q.Pirigo. 

Um dos destaques foi a obra do artista Korea, em homenagem a Mestre Chiquinho (nas fotos, à direita, imagem do homem rezando), ilustre morador de Hortolândia. Chiquinho é o tema da atual exposição em cartaz do Centro de Memória Professor Leovigildo Duarte Junior. O evento teve ainda food trucks, DJ e feira com exposição de trabalhos dos artistas participantes.

Durante a semana, Kranium e Cabelin, idealizadores do evento, grafitaram a caixa d´água da Unidade Cultural Arlindo Zadi. O reservatório, com 15 metros de altura, recebeu os desenhos de uma arara, criado por Kranium, e de uma raposa, grafitada por Cabelin. 

O prefeito Zezé Gomes ressaltou que o festival ajuda a impulsionar a arte do grafite que embeleza a paisagem da cidade. “O grafite está em alta na cidade. É uma arte urbana que vem preenchendo espaços que anteriormente eram pontos de pichação. A Prefeitura defende todas as expressões culturais e, no que depender do nosso governo, essa arte será ampliada, levando mais cores e alegria pelos quatro cantos de Hortolândia. O ‘Jacuba Festival de Graffiti’ foi um sucesso! Você, que gosta de cultura, venha conhecer o novo painel pintado na Unidade Cultural do Jardim Amanda. Ficou lindo demais! O painel traz uma homenageam ao nosso amigo Mestre Chiquinho. A imagem ficou muito realista e, sem dúvida, uma justa homenagem a esse grande hortolandense”, destacou o prefeito. 

O secretário de Cultura, Régis Athanázio Bueno, destacou que o festival fortalece o trabalho da Prefeitura para valorizar o grafite como expressão de arte urbana. “Estamos consolidando o grafite como elemento de política pública da cidade. Com isso todos ganham. Os artistas realizam o intercâmbio com representantes de outros estados e a cidade fica cada vez mais bonita”, salientou Bueno.

Centro de Memória de Hortolândia abre neste domingo (31/07)

Órgão da Prefeitura está equipado com câmera de monitoramento de trens e Wi-Fi

Hortolândia tem um atrativo turístico-cultural para quem gosta de trens e História. É o Centro de Memória Professor Leovigildo Duarte Júnior, órgão da Prefeitura. O espaço abre todo último fim de semana de cada mês para visitação. Exepcionalmente neste fim de semana, o centro estará aberto somente domingo (31/07), das 9h às 16h. O Centro de Memória está localizado na rua Rosa Maestrello, 2, Vila São Francisco. A Prefeitura reforça que é obrigatório o uso de máscara dentro do local durante a visitação.

O centro ocupa o prédio da antiga estação ferroviária Jacuba, que foi restaurado pela Prefeitura e inaugurado em 2014. O espaço guarda parte importante da história do município, com um acervo de objetos, fotos e materiais antigos. 

Atualmente, o espaço oferece duas novidades tecnológicas para o público. A primeira é a câmera de monitoramento de trens que passam na via férrea ao lado do local. A câmera, do modelo 360º, funciona 24 horas. As imagens da câmera são exibidas em tempo real no canal no YouTube do grupo Railcam Brasil.

O equipamento foi inaugurado no evento “Café Com Viola”, realizado, em maio deste ano, pela Prefeitura em comemoração ao 31º aniversário de emancipação política de Hortolândia.

O fornecimento e a instalação do equipamento foram feitos pelo grupo Railcam Brasil, que reúne admiradores e fãs de trens e ferrovias do Brasil e de outros países. Hortolândia é o segundo município a receber a câmera. A iniciativa conta com o apoio da empresa Rumo e da Prefeitura. 

Além da câmera, o grupo disponibilizou o Wi-Fi gratuito no Centro de Memória, cujo uso é gratuito somente para visitantes, mediante uso de senha, fornecida pelo espaço. 

Exposição sobre Mestre Chiquinho

Outro atrativo do Centro de Memória é a exposição “Chiquinho: trajetória e legado do mestre do mundo”, em homenagem ao Mestre Chiquinho, um dos moradores mais ilustres da cidade.  

A exposição, inaugurada em dezembro de 2021, reúne cerca de 100 objetos, dentre fotos, vestimentas, fantasias e outros itens, que fazem parte dos acervos pessoal de Mestre Chiquinho e do próprio centro. Um dos itens de destaque é uma foto antiga do avô de Mestre Chiquinho, que de acordo com ele, tem mais de 100 anos. “É a foto mais antiga da exposição”, conta o homenageado. 

Nascido em Arealva (SP), Mestre Chiquinho, cujo verdadeiro nome é Francisco Aparecido Borges de Almeida, mora em Hortolândia desde 1976. Ele é conhecido por seu trabalho de preservar tradições culturais populares na cidade. Nos anos 1980, ele ajudou a criar a Companhia de Santos Reis “Rosa dos Anjos”, que mantém viva a tradição da Folia de Reis. 

Mestre Chiquinho é também um dos criadores do grupo Pioneiros do Catira, em 2006, que faz apresentações de catira, estilo de dança popular cujo ritmo é conduzido pelas batidas dos pés e das mãos dos dançarinos. Ele ainda é um dos idealizadores da Orquestra de Viola de Hortolândia, criada em 2009, e que inicialmente chamava-se Orquestra de Viola Comitiva da Esperança. Mais recentemente, Mestre Chiquinho criou o grupo Rainhas do Catira, formado por mulheres. Desde 2006, em parceria com a Prefeitura, Mestre Chiquinho coordena e ministra aulas de violão e viola caipira.

Na exposição, os visitantes podem ainda conferir o documentário “Ao Mestre Chiquinho Com Carinho”. Com 30 minutos de duração, o documentário conta a vida do homenageado. O documentário apresenta entrevistas e depoimentos do próprio Mestre Chiquinho e de seus amigos, parentes, familiares e integrantes dos grupos coordenados por ele. 

O documentário foi realizado pela Secretaria de Cultura em parceria com a produtora Rumo Audiovisual. O município foi selecionado pelo programa “Juntos Pela Cultura”, iniciativa da associação Amigos da Arte em parceria com o governo do Estado, para produzir o documentário. A direção é de Diego Freitas e Julia Rany Campos Uzun. O documentário também está disponível no canal do YouTube da Secretaria de Cultura.

Prefeitura de Hortolândia promove batalha de rima

Evento será na próxima terça-feira (19/07), às 19h, no Centro de Memória; participantes deverão fazer inscrição no dia 

Você manda bem nas rimas? Tem um flow contagiante? Então, se liga! A Prefeitura de Hortolândia promoverá o evento “Batalhas, rimas e conhecimento”, na próxima terça-feira (19/07), às 19h, no Centro de Memória de Professor Leovigildo Duarte Junior, localizado na rua Rosa Maestrello, 2, Vila São Francisco. A batalha será aberta para manos e minas da cidade e da região. 

Quem quiser participar, é so comparecer no evento e fazer a inscrição na hora. As regras serão informadas antes do início das batalhas para os participantes e o público. A principal regra é que serão proibidos palavrões e ofensas às comunidades étnicas e LGBTQIAPN+, às mulheres, pessoas com deficiência (PCDs) ou qualquer outro tipo de insulto ou discriminação.

O evento terá batalhas em um ringue onde 12 duelistas vão “lutar” dois rounds, cada um com 30 segundos de duração. Em caso de empate, será disputado o terceiro round, no qual os competidores deverão mandar rimas sobre um tema relacionado com alguma área do conhecimento até que haja um vencedor. O tema será definido na hora pela plateia. De acordo com a Secretaria de Cultura, haverá premiação em dinheiro para os três primeiros colocados: 1º lugar – R$ 300,00; 2º lugar – R$ 200,00; 3º lugar – R$ 100,00.

As batalhas de rima surgiram praticamente junto com a cena de rap e hip hop nos Estados Unidos, nos anos de 1980. As batalhas se caracterizam pelo duelo entre MCs, que fazem rimas de improviso na hora.

Para o secretário de Cultura, Régis Athanázio Bueno, a realização do evento é pertinente, uma vez que as batalhas de rima fazem parte da cultura da cidade. “Os elementos do hip hop estão muito presentes na cultura de Hortolândia. Desta vez, vamos exaltar a poesia das quebradas, o improviso e a livre e responsável manifestação artística dos MCs. O Centro de Memória está voltando a ser um dos principais pontos de encontro da cidade. No século passado, era para ver o trem passar. Agora, é para curtir as mais diversas linguagens da nossa cultura”, destaca Bueno.

Atrações musicais

Para animar e inspirar ainda mais o público e os competidores, a batalha terá duas apresentações com as rappers Cris SNJ e Jovem MK (foto), de Hortolândia. 

Com 20 anos de carreira, Cris SNJ é conhecida como integrante do grupo SNJ (Somos Nós A Justiça), um dos principais nomes do rap brasileiro. Em paralelo, Cris também é artista solo, tendo já lançado o disco “Evoluindo através dos tempos”, no qual contou com a participação do rapper Rashid. 

Nascida em Hortolândia, MK é cantora e compositora. Com flows potentes e agressivos, a jovem artista independente já desponta na cena musical com músicas nos estilos trap, drill e funk rap. A batalha terá ainda como MC (mestre de cerimônia) Crônica Mendes e discotecagem com o DJ Romeu. 

Novidades tecnológicas e visitação

Além de torcer pelos seus rimadores favoritos e conferir as apresentações musicais, o público poderá ainda visitar o Centro de Memória, que estará aberto para visitação. O espaço ocupa o prédio da antiga estação ferroviária Jacuba, que foi restaurado pela Prefeitura e inaugurado em 2014. O espaço guarda parte importante da história do município, com um acervo de objetos, fotos e materiais antigos. 

O Centro de Memória está com duas novidades tecnológicas para o público. A primeira é a câmera de monitoramento de trens que passam na via férrea ao lado do local. A câmera, do modelo 360º, funciona 24 horas. As imagens da câmera são exibidas em tempo real no canal no YouTube do grupo Railcam Brasil. O equipamento foi inaugurado no evento “Café Com Viola”, realizado, em maio, pela Prefeitura em comemoração ao 31º aniversário de emancipação política de Hortolândia. 

O fornecimento e a instalação do equipamento foram feitos pelo grupo Railcam Brasil, que reúne admiradores e fãs de trens e ferrovias do Brasil e de outros países. Hortolândia é o segundo município a receber a câmera. A iniciativa conta com o apoio da empresa Rumo e da Prefeitura. 

Além da câmera, o grupo disponibilizou o Wi-Fi gratuito no Centro de Memória, cujo uso é gratuito somente para visitantes, mediante uso de senha, fornecida pelo espaço. 

Outro atrativo do Centro de Memória é a exposição “Chiquinho: trajetória e legado do mestre do mundo”, em homenagem ao Mestre Chiquinho, um dos moradores mais ilustres da cidade. A exposição, inaugurada em dezembro de 2021, reúne cerca de 100 objetos, dentre fotos, vestimentas, fantasias e outros itens, que fazem parte dos acervos pessoal de Mestre Chiquinho e do próprio centro. Um dos itens de destaque é uma foto antiga do avô de Mestre Chiquinho, que de acordo com ele, tem mais de 100 anos. “É a foto mais antiga da exposição”, conta o homenageado.

Hortolândia recebe trem com cores do arco-íris, nesta sexta-feira (01/07)

Passagem está prevista para às 16h; ação é comemorativa ao Dia Internacional do Orgulho LGBTQIAP+

Hortolândia receberá a passagem de um trem com as cores do arco-íris, nesta sexta-feira (01/07). De acordo com a empresa Rumo, concessionária  do transporte ferroviário na cidade e na região, a previsão do horário de passagem da composição é por volta das 16h. A ação é para marcar o Dia Internacional do Orgulho LGBTQIAP+, comemorado na quinta-feira (28/06). As cores do arco-íris, também estampadas em bandeiras, são o símbolo do movimento LGBT.

A população poderá acompanhar a passagem do trem no Centro de Memória Professor Leovigildo Duarte Junior, órgão da Prefeitura de Hortolândia, localizado na rua Rosa Maestrello, 2, Vila São Francisco. O centro estará aberto normalmente até às 16h30. Caso o trem ainda não tenha passado no horário previsto, o espaço fechará e a equipe do órgão ficará no local para orientar o público. Por questão de segurança, o centro reforça para que as pessoas não desçam no trilho para acompanhar a passagem da composição.

Quem quiser, também poderá acompanhar a passagem do trem pela câmera de monitoramento instalada no Centro de Memória. A câmera é do tipo 360º e funciona 24 horas. As imagens da câmera são exibidas em tempo real no canal no YouTube do grupo Railcam Brasil

O equipamento foi inaugurado no evento “Café Com Viola”, realizado, em maio, pela Prefeitura em comemoração ao 31º aniversário de emancipação política de Hortolândia. 

O fornecimento e a instalação do equipamento foram feitos pelo grupo Railcam Brasil, que reúne admiradores e fãs de trens e ferrovias do Brasil e de outros países. Hortolândia é o segundo município a receber a câmera. A iniciativa conta com o apoio da empresa Rumo e da Prefeitura. Além da câmera, o grupo disponibilizou o Wi-Fi gratuito no Centro de Memória, cujo uso é gratuito somente para visitantes , mediante uso de senha. 

O Centro de Memória ocupa o prédio da antiga estação ferroviária Jacuba, que foi restaurado pela Prefeitura e inaugurado em 2014. Com um acervo de objetos, fotos e materiais antigos, a unidade guarda parte importante da história do município.

Enquanto aguarda a passagem do trem, o público pode ainda conferir a atual exposição em cartaz, “Chiquinho: trajetória e legado do mestre do mundo”, em homenagem ao Mestre Chiquinho, um dos moradores mais ilustres de Hortolândia. 

A exposição, inaugurada em dezembro de 2021, reúne cerca de 100 objetos, dentre fotos, vestimentas, fantasias e outros itens, que fazem parte dos acervos pessoal de Mestre Chiquinho e do próprio centro. Um dos itens de destaque é uma foto antiga do avô de Mestre Chiquinho, que de acordo com ele, tem mais de 100 anos. “É a foto mais antiga da exposição”, conta o homenageado.

Rapper RAPadura Xique-Chico é atração do sarau Parada Poética, na segunda-feira (06/06)

Evento promovido pela Prefeitura de Hortolândia será, às 19h, no Centro de Memória

Quer saber como é a mistura de ritmos nordestinos como embolada, coco e maracatu com o rap? É só conferir as rimas e o flow do rapper RAPadura Xique-Chico (foto). Ele é o convidado especial do sarau Parada Poética que a Prefeitura de Hortolândia promove na próxima segunda-feira (06/06). O evento será às 19h no Centro de Memória Professor Leovigildo Duarte Junior, localizado na rua Rosa Maestrello, 2, Vila São Francisco.

Nascido no Ceará, o artista se mudou na adolescência para Brasília (DF), onde começou a se destacar na cena de hip hop ao participar de um disco do rapper Gog. Após ter lançado duas mixtapes (discos no formato de fita cassete), o rapper se consagrou com o álbum “Universo do canto falado”, com o qual foi indicado ao prêmio Grammy Latino, em 2020. No ano passado, RAPadura, junto com o comediante Whindersson Nunes e o grupo de percussão corporal Barbatuques, participou da música “Baião”, lançada pelo DJ Alok.

Além de conferir a participação de RAPadura, o público poderá soltar a voz no sarau para declamar poesias ou textos literários de autoria própria ou de escritores conhecidos. Para participar, é só comparecer no dia do sarau. A curadoria é do músico, escritor e mestre de cerimônia Renan Inquérito, criador do sarau. O evento terá ainda as intervenções musicais do DJ Viny, que comandará os toca-discos. O sarau tem classificação indicativa para pessoas com idade a partir de 16 anos.

Entre uma declamação e outra, o público poderá ainda conhecer o Centro de Memória. O espaço ocupa o prédio da antiga estação ferroviária Jacuba, que foi restaurado pela Prefeitura e inaugurado em 2014. Com um acervo de objetos, fotos e materiais antigos, a unidade guarda parte importante da história do município.

Atualmente, o centro está com a exposição “Chiquinho: trajetória e legado do mestre do mundo”, em homenagem ao Mestre Chiquinho, um dos moradores mais ilustres da cidade. O centro também está equipado com uma câmara de monitoramento de trens que passam na linha férrea, inaugurada no evento "Café Com Viola", no último domingo (29/05).

Parada Poética

O sarau foi criado pelo poeta e rapper Renan Inquérito, em 2013, e desde então já se tornou um evento de referência na região. O poeta já é conhecido em Hortolândia. Em 2019 e 2020, em parceria com a Prefeitura, Renan realizou o sarau “Aqui Trem Poesia”. Já em 2021, em virtude da pandemia, o evento teve edições on-line ao vivo. 

A primeira edição do sarau Parada Poética aconteceu em março deste ano. Desde então, o evento já contou com as participações de Fernando Anitelli, líder do grupo Teatro Mágico, os rappers Gog e Fabio Brazza, a cantora Ellen Oléria e o poeta Sergio Vaz. O evento é realizado pela Prefeitura sempre na primeira segunda-feira de cada mês. O público pode conferir como é o clima do sarau no canal do YouTube do próprio evento.

Crédito da da foto: Paola Vianna