Menu


Equipe de Educação Ambiental orienta sobre importância do descarte correto de resíduos

Mais de 3,7 mil pessoas já foram orientadas sobre o tema neste ano em Hortolândia

A correta gestão dos resíduos sólidos é fundamental para garantir o equilíbrio ambiental e a saúde das pessoas que moram em uma cidade. A fim de sensibilizar e orientar a população de Hortolândia, a Prefeitura realiza ações periódicas sobre como fazer o correto descarte desses resíduos, sejam eles orgânicos, sejam eles recicláveis e reaproveitáveis.

Esse trabalho é feito pela equipe de Educação Ambiental da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável. Somente neste ano, os ambientalistas já ministraram 20 ações educativas acerca do tema, entre palestras, atendimentos porta a porta e distribuição de panfletos informativos. Ao todo, tiveram a oportunidade de orientar e sensibilizar  mais de 3.700 pessoas sobre a questão. Neste mês, a equipe esteve no Jardim Terras de Santo Antônio para falar sobre o uso dos equipamentos públicos coletores de recicláveis e reaproveitáveis, os LEVs (Locais de Entrega Voluntária) e os PEVs (Pontos de Entrega Voluntária) e observou problemas no descarte.   

“A limpeza desse ambiente aqui na Rua Um foi realizada há menos de uma semana. Quando voltamos para conferir, o ambiente estava repleto de lixo espalhado pelo chão, ao lado dos pontos de descarte. A sensibilização é necessária e não pode ser ignorada”, pondera Benedito Carlos de Campos, membro da Equipe de Educação Ambiental, alertando para a importância da mudança de hábito por parte dos munícipes.

Segundo a equipe, realizar o descarte apropriado de resíduos é crucial por diversos motivos: promover a boa convivência entre vizinhos, evitando a propagação de odores desagradáveis; auxiliar nas questões de saúde e segurança pública, evitando obstruir o sistema de drenagem e prevenindo alagamento e enchentes, bem como combatendo a disseminação de agentes transmissores de doenças, como mosquitos e ratos, responsáveis pela propagação de doenças como dengue, zika, chikungunya, leptospirose, dentre outras. 

A equipe alerta que nos contêineres de descarte de resíduos orgânicos, o chamado “lixo doméstico”,  é proibido descartar pneus, materiais recicláveis, eletrodomésticos, móveis, galhos, lâmpadas, vidros, entulhos e remédios. Todos estes materiais recicláveis e reaproveitáveis devem ser depositados em equipamentos apropriados para este tipo de resíduo – os LEVs e PEVs, distribuídos em todas as regiões da cidade.

O “lixo doméstico”, com restos de alimentos, papéis, além de embalagens de produtos usados, deve ser descartado nos contêineres próprios, em embalagens plásticas (sacolas ou sanitos). Estes resíduos podem ser depositados pela população no dispositivo, a qualquer hora. O lixo descartado será recolhido na data habitual em cada bairro e o contêiner será desinfetado, por meio de maquinário, voltando ao local instalado.

 

Leia mais ...

Modo correto de descartar máscaras garante proteção a coletores e à comunidade

Entre as orientações para a prevenção e o combate à COVID-19 está o uso de máscaras de proteção individual. Esse material, no entanto, pode trazer graves consequências ao meio ambiente e à saúde dos coletores e da comunidade em geral, se descartado incorretamente, alerta a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável. Por isso, a Prefeitura de Hortolândia faz um alerta quanto aos cuidados necessários na hora do descarte destes equipamentos. A recomendação é que a população utilize máscara de tecido, que pode ser reutilizada após a lavagem, seguindo todas as orientações e os cuidados necessários.

Caso seja utilizada máscara descartável, após o uso, ela deve ser descartada dentro de um saco plástico bem amarrado, depois colocado junto com o lixo do banheiro. O saco plástico diminui o risco de contaminação e cria uma barreira de proteção, quando coletado pelos catadores. O material, em hipótese alguma, deve ser separado para coleta seletiva, destinada a recicláveis.

O cuidado é pessoal, mas os benefícios são coletivos. Além de se proteger contra o vírus, que pode estar circulando à sua volta, a pessoa impede a transmissão da COVID-19 aos demais, caso esteja com a doença e ainda não saiba.

Casos suspeitos ou confirmados

Em residências em que há casos suspeitos ou confirmados, todos os resíduos, não apenas máscaras ou luvas de proteção, devem ser descartados como lixo orgânico, colocados em dois sacos plásticos, com até dois terços de sua capacidade e fechados com lacre ou dois nós.

Neste caso, nenhum item deve ser separado para a coleta seletiva, para evitar o contágio e proliferação da doença. É importante também respeitar dias e horários de coleta.

Proteção

Segundo a Secretaria de Saúde, para retirar a máscara de proteção com segurança, após uso, é preciso tomar alguns cuidados. Segure pelo elástico por trás das orelhas, mantendo a máscara afastada do rosto, do cabelo e das roupas, não tocando nas superfícies externas para evitar a contaminação. Assim que depositada no lixo, lave as mãos com água e sabão ou passe álcool em gel para higienização. Esta orientação vale também para utilização de luvas.

#HortolândiaSolidária #FiqueEmCasa #Coronavírus

 

Leia mais ...