Menu


Histórico de pico de Dengue nesta época do ano exige cuidados redobrados

  • Publicado em Saúde

Prefeitura e população, unidas, conseguem combater reprodução do Aedes aegypti

A Prefeitura de Hortolândia reforça a orientação para a população redobrar os cuidados para combater a reprodução do mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como Dengue, Chikungunya e Zika. O veterinário da UVZ (Unidade de Vigilância e Zoonoses), órgão da Secretaria de Saúde, Evandro Alves Cardoso explica que, historicamente, março/abril é considerado o período de pico de transmissão de Dengue, e portanto, é esperado haver o aumento de casos da doença. Por esse motivo, a Prefeitura reforça, nessa época do ano, o combate ao inseto com as ações de busca ativa e nebulização.

É importante que cada morador também faça sua parte e ajude o poder público nessa luta. A Prefeitura continua a fazer a parte dela com as ações de busca ativa e nebulização em diferentes regiões do município. Nesta semana, a UVZ realiza busca ativa nas regiões do Jardim Carmem Cristina e Jardim São Camilo. Já a nebulização acontece no Jardim Santa Clara do Lago II. A Prefeitura salienta que essas ações são feitas em regiões onde foram notificados casos positivos de Dengue.

O veterinário ressalta ainda que, especificamente, neste ano, outros fatores têm contribuído para o aumento das notificações. “Neste ano, tivemos um mês de janeiro chuvoso. Além disso, já estamos no outono e, no entanto, as temperaturas ainda têm se mantido altas. Essas duas condições, chuvas e calor, favorecem a proliferação do Aedes aegypti”, explica Cardoso.

A Vigilância Epidemiológica, órgão também da Secretaria de Saúde, pondera que, em virtude do isolamento social e das restrições sanitárias impostas pela pandemia da COVID-19, medidas que impactaram no movimento das pessoas pela cidade, nos últimos dois anos não foi registrado aumento expressivo das notificações de Dengue. Com a flexibilização das restrições, o público pôde voltar a circular neste ano em maior quantidade pelo município. 

SINAIS DE ALARME

Caso o morador apresente algum dos sintomas de Dengue, Chikungunya ou Zika, a Prefeitura orienta para que ele procure a UBS (Unidade Básica de Saúde) mais próxima de onde mora para receber atendimento adequado, possibilitando que a Secretaria de Saúde faça a notificação correta do caso.

A Vigilância Epidemiológica, órgão da Secretaria de Saúde, salienta que os sintomas de Dengue, Chikungunya e Zika são parecidos. Dentre os principais sintomas da Dengue estão dores no corpo, de cabeça e na parte atrás dos olhos, febre, manchas e/ou pontos vermelhos no corpo, náusea e vômito. Já o sintoma principal de Chikungunya são dores nas articulações que persistem durante dias. Os sintomas da Zika são febre, mas não tão elevada, vermelhidão no corpo e nos olhos (neste último sem formação de pus). 

Já em caso de aparecimentos dos chamados sinais de alarme de Dengue, que são dor abdominal intensa, vômitos persistentes, pressão arterial baixa, sangramento na gengiva, letargia e/ou irritabilidade, a Vigilância Epidemiológica orienta para que o morador procure atendimento nas UPAs (Unidades de Pronto Atendimento)-24h ou no hospital municipal. 

Para ter maior rapidez na avaliação de casos suspeitos de Dengue, a Secretaria de Saúde oferece teste rápido da doença nas UBSs. A Vigilância Epidemiológica ressalta que os testes são aplicados somente mediante avalição prévia do paciente pela equipe de saúde da unidade. 

De acordo com dados da Vigilância Epidemiológica, órgão da Secretaria de Saúde, o município registra neste ano 892 notificações de Dengue, das quais 193 casos positivos. Já de Chikungunya são quatro casos notificados, dos quais um positivo, dois negativos e um aguarda resultado. Neste ano, o município ainda não registra nenhuma notificação de Zika e nenhum óbito das três doenças.

DEIXAR OS AGENTES ENTRAREM

Na ação de busca ativa, os agentes da UVZ visitam as casas para fazer a busca e a eliminação de possíveis criadouros do Aedes aegypti. O objetivo é eliminar o inseto ainda na fase de larva. Caso sejam encontradas larvas, algumas delas são recolhidas para identificação em laboratório. De acordo com o órgão, 80% dos focos de criadouros do mosquito estão nas casas das pessoas.

Já na nebulização, os agentes entram nas casas para espalhar no ar um tipo de inseticida para eliminar os mosquitos já adultos. Na ação, os agentes utilizam nebulizadores costais motorizados para espalhar o inseticida em forma de vapor.

O veterinário Evandro Alves Cardoso reforça a solicitação para que os moradores permitam a entrada dos agentes em suas casas. Os agentes estão identificados com crachá e uniforme. Eles entram nas residências somente para realizar as ações. “Muita gente não tem deixado os agentes entrarem alegando que isso não precisa ser feito. Se os agentes não entrarem, fica difícil para a Prefeitura fazer o combate adequado ao Aedes aegypti. Por isso, é importante que as pessoas deixem os agentes entrarem para realizarem a busca ativa e a nebulização”, reforça o veterinário. 

A Prefeitura orienta a população para ficar atenta contra golpes. Nas visitas, os agentes não solicitam nenhum dado bancário ou informação pessoal dos moradores. Em caso de dúvidas e para saber em quais regiões serão realizadas as ações, os moradores podem entrar em contato com a UVZ pelos telefones (19) 3897-3312 ou (19) 3897-5974.

MEDIDAS PREVENTIVAS

A Prefeitura de Hortolândia reforça para a população redobrar os cuidados e manter as medidas preventivas contra a proliferação do Aedes aegypti. Os moradores devem limpar constantemente quintais, jardins e áreas externas de suas casas. 

Nesses locais é importante também verificar e recolher materiais, recipientes plásticos, baldes, garrafas PET, entre outros objetos que possam acumular água parada. É em água parada que a fêmea do Aedes aegypti deposita os ovos que darão origem a mais mosquitos. Também é importante manter tampados tonéis, barris e caixas d’água. Já as pessoas que moram em casas com laje exposta sem teto também devem verificar se houve acúmulo de água da chuva na laje e façam a retirada da água.

Outras medidas importantes são colocar telas em ralos e mantê-los limpos, e encher os pratinhos de vasos de plantas com areia até a borda para evitar o acúmulo de água parada.

Outra ação que a população deve adotar no combate ao Aedes aegypti é fazer o descarte correto de resíduos e recicláveis nos PEVs (Pontos de Entrega Voluntária de entulho e outros materiais recicláveis). Atualmente, Hortolândia tem 13 PEVs. Os moradores podem consultar qual é o PEV mais perto de onde mora na lista disponível no site da Prefeitura, por meio deste LINK.

População deve permitir entrada de agentes da Prefeitura para ações de busca ativa e nebulização contra Aedes aegypti

  • Publicado em Saúde

Prefeitura realiza nesta semana busca ativa nas regiões do Parque Residencial Maria de Lourdes, Jardim Rosolém e Jardim Santa Cândida; trabalho de nebulização acontece no Jardim Amanda

A população precisa colaborar no combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como Dengue, Chikungunya e Zika. Para isso, a Prefeitura de Hortolândia reforça a solicitação para que os moradores permitam a entrada dos agentes da UVZ (Unidade de Vigilância e Zoonoses), órgão da Secretaria de Saúde, em suas casas para realizar a busca ativa e a nebulização para eliminar o inseto. A Prefeitura realiza constantemente as duas ações em diferentes regiões da cidade. Nesta semana, a UVZ realiza busca ativa nas regiões do Parque Residencial Maria de Lourdes, Jardim Rosolém e Jardim Santa Cândida. Já o trabalho de nebulização acontece no Jardim Amanda. Ainda de acordo com o órgão, as ações são feitas em regiões onde foram notificados casos positivos de Dengue.

O veterinário do órgão, Evandro Alves Cardoso, salienta que os agentes estão identificados com crachá e uniforme. Eles entram nas residências somente para realizar as duas ações. A Prefeitura orienta a população para ficar atenta contra golpes. Nas visitas, os agentes não solicitam nenhum dado bancário ou informação pessoal dos moradores. Em caso de dúvidas e para saber em quais regiões serão realizadas as ações, os moradores podem entrar em contato com a UVZ pelos telefones (19) 3897-3312 ou (19) 3897-5974.

Cardoso ressalta ainda que o município tem registrado grande quantidade de notificações de Dengue. “Estamos ainda em período de transmissão da doença. Historicamente, esse período vai até maio. Por isso, precisamos contar com a ajuda e a compreensão da população para evitar a proliferação do mosquito. Por isso, é importante que as pessoas deixem os agentes entrarem para realizar a busca ativa e a nebulização”, reforça o veterinário.

Na ação de busca ativa, os agentes visitam as casas para fazer a busca e a eliminação de possíveis criadouros do mosquito. O objetivo é eliminar o inseto ainda na fase de larva. Caso sejam encontradas larvas, algumas delas são recolhidas para identificação em laboratório. De acordo com o órgão, 80% dos focos de criadouros do mosquito estão nas casas das pessoas.

Na nebulização, os agentes entram nas casas para espalhar no ar um tipo de inseticida para eliminar os mosquitos já adultos. Eles usam nebulizadores costais motorizados para espalhar o inseticida em forma de vapor.

De acordo com dados da Vigilância Epidemiológica, órgão da Secretaria de Saúde, o município registra neste ano 783 casos notificados de Dengue, dos quais 186 positivos. Já de Chikungunya, são quatro casos notificados, sendo um positivo, dois negativos e um aguarda resultado do exame. Neste ano, o município ainda não registra nenhuma notificação de Zika.

Pessoas que trabalham em escritórios também devem redobrar cuidados no combate ao Aedes aegypti

  • Publicado em Saúde

Prefeitura prossegue nesta semana com ações de busca ativa e nebulização para eliminar mosquito Aedes aegypti 

Você trabalha em escritório ou prédio com salas comerciais? A Prefeitura de Hortolândia orienta as pessoas que atuam nesses tipos de locais para que também redobrem os cuidados e façam sua parte no combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como Dengue, Chikungunya e Zika. 

A UVZ (Unidade de Vigilância e Zoonoses), órgão da Secretaria de Saúde, salienta que nesses ambientes de trabalho as pessoas também devem estar atentas para evitar deixar em áreas externas de uso comum objetos ou recipientes que possam acumular água parada, que é a condição propícia para a fêmea do mosquito depositar ovos que irão gerar mais mosquitos. 

“Dentro dos escritórios, orientamos para que as pessoas fiquem atentas com ralos de pias de banheiros e geladeiras de uso comum. As geladeiras tem a bandeja, que é o recipiente que fica embaixo do eletrodoméstico para armazenar a água proveniente do sistema de degelo. Já em áreas externas de uso comum, em especial estacionamentos, é importante que as pessoas também verifiquem se há algum local onde possa acumular água parada”, ressalta o veterinário do órgão, Evandro Alves Cardoso.

BUSCA ATIVA E NEBULIZAÇÃO

A Prefeitura de Hortolândia continua com as ações de busca ativa e de nebulização em diferentes regiões da cidade. Nesta semana, a UVZ, realiza busca ativa nas regiões do Parque Gabriel e São Miguel. Já outra equipe realiza a nebulização no Jardim Adelaide. De acordo com o órgão, as ações são feitas em regiões onde foram notificados casos positivos de Dengue. 

Na ação de busca ativa, os agentes visitam as casas para fazer a busca e a eliminação de possíveis criadouros do mosquito. O objetivo é eliminar o inseto ainda na fase de larva. Caso sejam encontradas larvas, algumas delas são recolhidas para identificação em laboratório. De acordo com o órgão, 80% dos focos de criadouros do mosquito estão nas casas das pessoas.

Na nebulização, os agentes entram nas casas para espalhar no ar um tipo de inseticida para eliminar os mosquitos adultos. Eles utilizam nebulizadores costais motorizados para espalhar o inseticida em forma de vapor.

O veterinário Evandro Alves Cardoso ressalta que muitos moradores tem se recusado a deixar os agentes entrarem em suas casas para realizar as ações. “Se os agentes não entrarem, fica difícil para a Prefeitura fazer o combate adequado ao Aedes aegypti. O município tem registrado grande quantidade de notificações de Dengue. Estamos ainda em período de transmissão da doença. Historicamente, esse período vai até maio. Por isso, precisamos contar com a ajuda e a compreensão da população para evitar a proliferação do mosquito. Por isso, é importante que as pessoas deixem os agentes entrarem para realizarem a busca ativa e a nebulização”, reforça Cardoso.

Os agentes estão identificados com crachá e uniforme. A Prefeitura ainda orienta a população a ficar atenta contra golpes. Nas visitas, os agentes não solicitam nenhum dado bancário ou informação pessoal dos moradores. Em caso de dúvidas, para saber em quais regiões da cidade será realizada as ações, a população pode ligar na UVZ nos telefones (19) 3897-3312 ou (19) 3897-5974.

De acordo com dados da Vigilância Epidemiológica, órgão da Secretaria de Saúde, o município registra neste ano 543 casos notificados de Dengue, dos quais 115 positivos. Já de Chikungunya, são três casos notificados, sendo dois negativos e um aguarda resultado do exame. Neste ano, o município ainda não registra nenhuma notificação de Zika.

População deve ficar atenta com aparecimento de sintomas de Dengue, Chikungunya ou Zika

  • Publicado em Saúde

Sintomas podem ser confundidos aos de COVID-19; orientação é procurar atendimento médico para evitar agravamento

Tem gente que continua a fazer pouco caso da Dengue, Chikungunya e Zika, doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti. A Prefeitura de Hortolândia reforça a orientação para a população ficar atenta com essas três enfermidades que podem provocar complicações mais graves, caso não sejam devidamente tratadas. 

A Vigilância Epidemiológica, órgão da Secretaria de Saúde, salienta que os sintomas de Dengue, Chikungunya e Zika são parecidos. No caso da Dengue, os principais sintomas são dores no corpo, de cabeça e na parte atrás dos olhos, febre, manchas e/ou pontos vermelhos no corpo, náusea e vômito. Já o sintoma principal de Chikungunya são dores nas articulações que persistem por dias. Os sintomas da Zika são febre, mas não tão elevada, vermelhidão no corpo e olhos (neste último sem formação de pus).

Caso o morador apresente algum dos sintomas acima mencionados, a Prefeitura orienta para ele procurar a UBS (Unidade Básica de Saúde) mais próxima de onde mora para receber atendimento adequado, possibilitando que a Secretaria de Saúde faça a notificação correta do caso.

Foi o que fez Cleober Padovani Amaral, de 47 anos, morador do Jardim Campos Verdes. Ele relata que contraiu Dengue no fim do ano passado. Em virtude de ter sentido febre, inicialmente Cleober procurou a Unidade Respiratória, montada na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Nova Hortolândia, por achar que estava com COVID-19. Após passar por exames, ele foi informado que estava com Dengue Hemorrágica, e sendo transferido para o Hospital Municipal Mario Covas.

“Essa doença é traiçoeira. Tive febre só um dia. Os médicos estavam muito preocupados comigo. A minha contagem de plaquetas estava em 9.000. O nível considerado normal é 150.000. Os médicos me disseram que meu estado era grave, que meu organismo poderia começar a parar. Senti muita fraqueza no corpo. Só conseguia ficar deitado. Foi muito sério. Mas, graças a Deus eu me recuperei. Quando voltei para casa, eu me alimentei bem e tomei bastante líquido. Hoje estou bem!”, conta Cleober.

De acordo com a Vigilância Epidemiológica, a Dengue Hemorrágica é uma complicação mais grave da Dengue. Os principais sintomas são dor abdominal intensa e contínua, vômitos persistentes, queda abrupta da temperatura do corpo, sangramentos, agitação ou sonolência, tontura ou desmaio, pele fria e pálida, diminuição da quantidade de urina, dificuldade de respirar e andar, e choro persistente em crianças. Esses sintomas podem aparecer a partir do terceiro dia. Por isso, no caso de aparecimento de algum desses sintomas, a Vigilância Epidemiológica reforça a orientação para que a pessoa procure atendimento médico na unidade de saúde mais próxima da residência. 

De acordo com dados da Vigilância Epidemiológica, o município registra neste ano 455 casos notificados de Dengue, dos quais 97 positivos. Já de Chikungunya, são três casos notificados, dos quais dois negativos e um aguarda resultado do exame. Neste ano, o município ainda não registra nenhuma notificação de Zika. 

BUSCA ATIVA E NEBULIZAÇÃO

Para combater o mosquito Aedes aegypti, transmissor de Dengue, Zika e Chikungunya, a Prefeitura de Hortolândia prossegue com as ações de busca ativa e eliminação de criadouros do inseto e de nebulização em diferentes regiões da cidade. Nesta semana, a UVZ (Unidade de Vigilância e Zoonoses), órgão da Secretaria de Saúde, realiza busca ativa com duas equipes nas regiões da Vila Real e Vila Real Continuação. Já outra equipe executa a nebulização no Jardim Amanda. Segundo o órgão, as duas ações são feitas em regiões onde foram notificados casos positivos de Dengue. 

Na ação de busca ativa, os agentes visitam as casas para fazer a busca e a eliminação de possíveis criadouros do mosquito. O objetivo é eliminar o inseto ainda na fase de larva. Caso sejam encontradas larvas, algumas delas são recolhidas para identificação em laboratório. De acordo com o órgão, 80% dos focos de criadouros do mosquito estão nas casas das pessoas.

Na nebulização, os agentes entram nas casas para espalhar no ar um tipo de inseticida para eliminar os mosquitos adultos. Eles utilizam nebulizadores costais motorizados para espalhar o inseticida em forma de vapor. 

Além disso, o órgão reforça para que a população também faça sua parte e ajude no combate ao mosquito. Dentre as principais atitudes estão recolher recipientes e evitar o armazenamento de materiais em áreas externas ou quintais que possam acumular água parada, que é condição ideal para a fêmea do Aedes aegypti depositar ovos que darão origem a mais mosquitos. 

O veterinário da UVZ, Evandro Alves Cardoso ressalta para que os moradores permitam a entrada dos agentes. “Muita gente não tem deixado os agentes entrarem alegando que não precisa. Reforçamos a importância de realizar a nebulização, pois é um meio eficiente para eliminar o Aedes aegypti”, reforça Cardoso.

Os agentes estão identificados com crachá e uniforme. A Prefeitura ainda orienta a população a ficar atenta contra golpes. Nas visitas, os agentes não solicitam nenhum dado bancário ou informação pessoal dos moradores. A ação consiste somente na identificação e eliminação de criadouros do mosquito. Em caso de dúvidas, para saber em quais regiões da cidade será realizada a ação de casa a casa, a população pode ligar na UVZ nos telefones (19) 3897-3312 ou (19) 3897-5974.

Proprietários de imóveis não habitados também devem tomar cuidados para evitar a proliferação do Aedes aegypti

  • Publicado em Saúde

Prefeitura orienta donos para que façam regularmente limpeza de seus imóveis para evitar formação de criadouros do mosquito 

Você tem algum imóvel que não está habitado ou em uso? Se sim, saiba que você também deve tomar cuidados para evitar criadouros do Aedes aegypti. A Prefeitura de Hortolândia orienta os proprietários para que façam a limpeza de seus imóveis e/ou terrenos. A medida é importante no combate à proliferação do mosquito, que é o transmissor de doenças como Dengue, Chikungunya e Zika.

O veterinário da UVZ (Unidade de Vigilância e Zoonoses), órgão da Secretaria de Saúde, Evandro Alves Cardoso, salienta para que os donos verifiquem regularmente seus imóveis e/ou terrenos e providenciem ações de limpeza, tais como poda e corte de mato. Outra ação recomendada pelo veterinário é para que os proprietários evitem armazenar materiais e/ou objetos que possam acumular água parada, condição que favorece a reprodução do Aedes aegypti. É em água parada que a fêmea deposita os ovos que darão origem a mais mosquitos.

A UVZ realiza ações casa a casa de busca ativa e eliminação de criadouros em diferentes regiões da cidade. Na ação, os agentes anotam os imóveis que estão fechados e retornam em outro horário para visitá-los. Caso não seja possível entrar nos imóveis fechados, o órgão busca localizar os próprietários para que permitam a entrada dos agentes. 

“Em caso de não conseguirmos localizar os donos e haja suspeita de que os imóveis estejam com criadouros do mosquito, os proprietários podem ser notificados e até multados. Para localizar os donos dos imóveis, buscamos também o apoio das imobiliárias”, salienta Cardoso. Ainda de acordo com o veterinário, em média, de 30% a 40% dos imóveis visitados pelos agentes estão fechados ou são terrenos.

NEBULIZAÇÃO

Nesta semana, a UVZ prossegue com a ação de busca ativa na região do Jardim Amanda. Já outra equipe percorre, também nesta semana, as regiões do Jardim Santa Esmeralda e Chácara Assay para realizar nebulização. 

Na nebulização, os agentes entram nas casas para espalhar no ar um tipo de inseticida para eliminar os mosquitos adultos. Eles utilizam nebulizadores costais motorizados para espalhar o inseticida em forma de vapor. Segundo o veterinário Evandro Alves Cardoso, a nebulização é realizada em regiões onde foram notificados casos positivos de Dengue. 

Cardoso ressalta para que os moradores permitam a entrada dos agentes. “Muita gente não tem deixado os agentes entrarem alegando que não precisa. Reforçamos a importância de realizar a nebulização, pois é um meio eficiente para eliminar o Aedes aegypti”, reforça o veterinário.

Os agentes estão identificados com crachá e uniforme. A Prefeitura ainda orienta a população a ficar atenta contra golpes. Nas visitas, os agentes não solicitam nenhum dado bancário ou informação pessoal dos moradores. A ação consiste somente na identificação e eliminação de criadouros do mosquito. Em caso de dúvidas, para saber em quais regiões da cidade será realizada a ação de casa a casa, a população pode ligar na UVZ nos telefones (19) 3897-3312 ou (19) 3897-5974.

SINTOMAS

Caso o morador apresente algum dos sintomas de Dengue, Chikungunya ou Zika, a Prefeitura orienta para que ele procure a UBS (Unidade Básica de Saúde) mais próxima de onde mora para receber atendimento adequado, possibilitando que a Secretaria de Saúde faça a notificação correta do caso.

A Vigilância Epidemiológica, órgão da Secretaria de Saúde, salienta que os sintomas de Dengue, Chikungunya e Zika são parecidos. Dentre os principais sintomas da Dengue estão dores no corpo, de cabeça e na parte atrás dos olhos, febre, manchas e/ou pontos vermelhos no corpo, náusea e vômito. Já o sintoma principal de Chikungunya são dores nas articulações que persistem durante dias. Os sintomas da Zika são febre, mas não tão elevada, vermelhidão no corpo e nos olhos (neste último sem formação de pus). 

De acordo com dados da Vigilância Epidemiológica, o município registra neste ano 205 casos notificados de Dengue, dos quais 38 positivos. Já de Chikungunya são 2 casos notificados, dos quais um negativo e um aguarda resultado. O município ainda não registra nesse ano nenhum caso de Zika.

Prefeitura de Hortolândia orienta empresas a também tomar cuidados no combate ao Aedes aegypti

  • Publicado em Saúde

Unidade de Vigilância e Zoonoses realiza visitas regulares a grandes empresas e estabelecimentos de reciclagem de materiais

Empresas instaladas em Hortolândia também devem colaborar no combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como Dengue, Zika e Chikungunya. A Prefeitura reforça a orientação para que indústrias e estabelecimentos comerciais se mantenham atentos e tomem os cuidados necessários para evitar a proliferação do inseto.

O veterinário do órgão, Evandro Alves Cardoso, salienta que a UVZ realiza constantemente visitas a grandes empresas e estabelecimentos, em especial dos segmentos de reciclagem de materiais e de autopeças. “As visitas são mensais, e conforme o setor em que a empresa ou o estabelecimento atua, podem ser quinzenais”, salienta Cardoso.

De acordo com o veterinário, as orientações e medidas preventivas para empresas são as mesmas recomendadas para imóveis residenciais. Os responsáveis e ou proprietários de empresas e estabelecimentos devem estar atentos com áreas externas e de armazenagem de materiais e mantê-las limpas e sem objetos e/ou recipientes que possam acumular água parada, condição que favorece a reprodução do Aedes aegypti.

“Nas últimas visitas feitas, percebemos que as empresas e estabelecimentos têm tomado os cuidados necessários para evitar a proliferação do mosquito. Muitas empresas já têm responsáveis ou departamentos designados para cuidar dessa tarefa”, destaca Cardoso.

Nas visitas, se a UVZ constatar a presença de criadouros e larvas do inseto, é feita a eliminação dos mesmos. Em caso de falta de cuidados ou acúmulo de materiais que possam servir de criadouro para o inseto, a UVZ notifica ou multa os responsáveis e donos da empresa ou estabelecimento. Já as borracharias são visitadas nas ações de casa a casa que o órgão realiza em diferentes regiões da cidade. As borracharias também podem ser  notificadas ou serem multadas pelos agentes do órgão em caso de descumprimento das orientações e da falta de cuidados para evitar a proliferação do mosquito.

BUSCA ATIVA

A UVZ continua com a busca ativa de criadouros em imóveis residenciais. Nessa semana, os agentes do órgão percorrem os bairros Jardim Amanda e Jardim Adelaide.

Caso o morador apresente algum dos sintomas de Dengue, Chikungunya ou Zika, a Prefeitura orienta para que ele procure a UBS (Unidade Básica de Saúde) mais próxima de onde mora para receber atendimento adequado, possibilitando que a Secretaria de Saúde faça a notificação correta do caso.

A Vigilância Epidemiológica, órgão da Secretaria de Saúde, salienta que os sintomas de Dengue, Chikungunya e Zika são parecidos. Dentre os principais sintomas da Dengue estão dores no corpo, de cabeça e na parte atrás dos olhos, febre, manchas e/ou pontos vermelhos no corpo, náusea e vômito. Já o sintoma principal de Chikungunya são dores nas articulações que persistem durante dias. Os sintomas da Zika são febre, mas não tão elevada, vermelhidão no corpo e nos olhos (neste último sem formação de pus).

De acordo com dados da Vigilância Epidemiológica, o município registra neste ano 205 casos notificados de Dengue, dos quais 38 positivos. Já de Chikungunya são 2 casos notificados, dos quais um negativo e um aguarda resultado. O município ainda não registra nesse ano nenhum caso de Zika.