Menu


Descarte irregular de resíduos é crime ambiental sujeito à multa

O descarte irregular de resíduos em vias e espaços públicos pode causar problemas, como proliferação de animais peçonhentos e insetos, entre eles o mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como Dengue, Zika e Chikungunya. Para coibir esta prática, a Prefeitura monitora e circula a cidade diariamente, inclusive aos finais de semana. Em Hortolândia, o descarte irregular de resíduos é crime ambiental, sujeito à multa.

Neste trabalho de monitoramento, os agentes de fiscalização da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável circulam por diferentes bairros da cidade. No último fim de semana, os agentes flagraram e constataram grande quantidade de resíduos descartados irregularmente em um ponto viciado no Jardim Interlagos. O ponto viciado fica próximo ao PEV (Pontos de Entrega Voluntária de entulho e outros materiais recicláveis) existente no bairro.

A secretária adjunta de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Eliane Nascimento Oliveira, salienta que, em caso de flagrante de descarte irregular de resíduos em vias e áreas públicas, os agentes realizam trabalho de orientação com o infrator. “O objetivo da Prefeitura é conscientizar a população sobre o tema. Infelizmente, foi uma surpresa negativa quando constatamos o ponto viciado na região do Jardim Interlagos, pois perto do local já existe um PEV. Se queremos uma cidade limpa e com boa qualidade de vida, a população precisa se conscientizar sobre a importância de descartar corretamente os resíduos”, ressalta Eliane. A cidade conta atualmente com 11 PEVs onde a população pode fazer o descarte correto de resíduos (Confira abaixo a lista dos PEVs existentes).  

Caso o morador flagrado não atenda a orientação dos agentes no prazo de até 30 dias, ele é multado. De acordo com a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, o valor da multa varia de 10 a 10.000 UFMH (Unidade Fiscal Municipal de Hortolândia, que neste ano é de R$ 3,6970), conforme lei municipal Nº 873 de 2001 (Código de Posturas). 

Já no caso de descarte irregular de resíduos em terreno particular, os agentes notificam o proprietário para que faça a limpeza do local. Caso não o faça, o proprietário é multado. O valor da multa também varia de 10 a 10.000 UFMH.  

A Prefeitura também realiza a fiscalização de outros crimes ambientais, tais como corte e poda irregular de árvore, injúria física e anelamento (retirada de uma porção do caule da árvore para matá-la). De acordo com a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, caso os agentes constatem algum deste crimes, eles encaminham um relatório, acompanhado de fotos, para o Departamento do Verde, que fará a análise técnica da ocorrência. A partir desta análise, será determinado o valor da multa que será aplicada ao infrator. A poda ou o corte de árvore somente podem ser feitos com autorização da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável.

A população pode denunciar os crimes ambientais de descarte irregular de resíduos, poda e corte irregular de árvores por meio do aplicativo do programa Agenda Verde, da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, disponível para download gratuito, nas plataformas Google Play ou App Store. As denúncias também podem ser feitas pelos telefones 3845-1149 ou 3965-1400, ramal 7911.

Veja a lista de PEVs existentes na cidade:

• PEV 1 – Jardim Nossa Senhora Auxiliadora: rua Antônio João de Amorim, esquina com a rua Sebastiana Oliveira da Silva

• PEV 2 – Jardim Adelaide: rua Paulo Roberto Soares (antiga rua 9), esquina com a Rua Benedito Macedo

• PEV 3 – Parque Gabriel: avenida Joaquim Martarolli, 2005

• PEV 4 – Jardim Interlagos: rua Rio Tapajós (antiga rua 5)

• PEV 5 – Vila Real: rua Orlando Cavalcante, esquina com a rua Joaquim Gregório de Moraes

• PEV 6 – Jardim Amanda: rua Augusto dos Anjos, s/nº

• PEV 7 – Orestes Ôngaro: rua Rio Pardo (antiga rua 13), 50, dentro do Aterro de Inertes

• PEV 8 – Jardim Santiago: rua João Joaquim Calixto, 230

• PEV 9 – Jardim Nossa Senhora de Fátima: rua Manoel Antônio da Silva, 610

• PEV 10 – Jardim Santa Emília: rua Luísa Febrônio Marini

• PEV 11 – Jardim Santa Esmeralda: rua Ágata, s/nº 

Em construção:

• PEV 12 – Jardim Nova Alvorada: rua Alcebíades Marques (antiga rua 5), próxima ao Parque Socioambiental Lago da Fé

• PEV 13 – Jardim  São Sebastião: rua Prof. Lúcio Alves da Costa (praça 2), no Loteamento Adventista Campineiro, próximo à AMCRESS (Associação dos Moradores do Jardim São Sebastião)

População utiliza PEVs para fazer descarte correto de resíduos

Graças ao trabalho de educação ambiental desenvolvido pela Prefeitura de Hortolândia, cresce a adesão da população em utilizar os PEVs (Pontos de Entrega Voluntária de entulho e outros materiais recicláveis) para fazer o descarte correto de resíduos. Este resultado positivo foi percebido na ação casa a casa que a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável concluiu no Jardim Santa Esmeralda, nesta segunda-feira (22/02). Foram visitados mais de 1.800 imóveis. Na região está localizado um dos três PEVs inaugurados recentemente pela Prefeitura, em julho de 2020. Os outros dois estão no Jardim Nossa Senhora de Fátima e no Jardim Santa Emília.

A implantação dos PEVs foi viabilizada com recursos do convênio firmado pela Prefeitura com o Ministério das Cidades, por meio da Caixa Econômica Federal. Ao promover a ação de casa a casa na região, a Prefeitura cumpre o plano de trabalho de educação ambiental com os moradores, estabelecido pelo convênio.

Durante o trabalho, os agentes deram orientações e distribuíram material informativo aos moradores sobre a importância de fazer o descarte correto de resíduos no PEV da região. 

Ao comparar a situação do bairro antes e depois da implantação do PEV, o coordenador do Núcleo de Educação Ambiental da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Ricardo Zanoni, destaca que a mudança de comportamento dos moradores foi notável. 

“Ao percorrer o bairro, percebemos que a diferença é gritante. Antes, havia grande quantidade de resíduos descartados em calçadas, vielas e terrenos baldios. Hoje não há descarte destes materiais. As vielas estão limpas e transitáveis. A maioria dos moradores já conhece e usa o PEV. Com isso, percebemos que, devagar, as pessoas estão entendo a necessidade de se viver em um lugar mais limpo. Com isto evita-se também a proliferação de animais peçonhentos”, salienta Zanoni.   

PEVS E LEVS

A população pode fazer o descarte correto de resíduos nos PEVs (Pontos de Entrega Voluntária de entulho e outros materiais recicláveis) e LEVs (Locais de Entrega Voluntária de Recicláveis) da Prefeitura existentes na cidade.

Nos PEVs, os moradores podem descartar com segurança, gratuitamente, resíduos recicláveis e reaproveitáveis, como entulhos de construção, isopor, plástico PET, sofás, colchões velhos, o chamado “resíduo eletrônico”, dentre outros. Neles, não é permitido o descarte de lixo orgânico, resíduos industriais e provenientes dos serviços de saúde.

No caso dos resíduos de construção, a quantidade de descarte é limitada a 1m³ por pessoa por mês, quantidade que equivale a 1.300kg, ou seja, cerca de 26 sacos de ráfia de 50kg ou o volume de uma caixa d’água de 1.000 litros. O horário de funcionamento dos PEVs é de segunda a domingo, inclusive feriados, das 8h às 12h e das 13h às 16h30, com exceção dos PEVs Orestes Ôngaro e Jardim Santiago. 

Atualmente, o município tem 11 PEVs. Estão em fase de construção mais dois no Jardim Nova Alvorada e no Jardim São Sebastião (Confira abaixo a lista dos PEVs existentes na cidade). Em razão da pandemia, a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável ressalta que a população só pode utilizar os PEVs para fazer o descarte com o uso obrigatório de máscara. 

Já nos LEVs é possível descartar materiais como embalagens de vidro, garrafas pet, plásticos, papéis e papelões, isopor, copo descartável, entre outros materiais. Os LEVs recebem materiais 24h, todos os dias (Confira abaixo a lista dos LEVs existentes na cidade). 

Os materiais descartados pela população nos PEVs e LEVs é encaminhado para a Cooperativa Águia de Ouro, parceira da Prefeitura. A venda de recicláveis pela cooperativa gera renda para os cooperados, que são pessoas em situação de vulnerabilidade social. 

Veja a lista de PEVs existentes na cidade:

• PEV 1 – Jardim Nossa Senhora Auxiliadora: rua Antônio João de Amorim, esquina com a rua Sebastiana Oliveira da Silva

• PEV 2 – Jardim Adelaide: rua Paulo Roberto Soares (antiga rua 9), esquina com a Rua Benedito Macedo

• PEV 3 – Parque Gabriel: avenida Joaquim Martarolli, 2005

• PEV 4 – Jardim Interlagos: rua Rio Tapajós (antiga rua 5)

• PEV 5 – Vila Real: rua Orlando Cavalcante, esquina com a rua Joaquim Gregório de Moraes

• PEV 6 – Jardim Amanda: rua Augusto dos Anjos, s/nº

• PEV 7 – Orestes Ôngaro: rua Rio Pardo (antiga rua 13), 50, dentro do Aterro de Inertes

• PEV 8 – Jardim Santiago: rua João Joaquim Calixto, 230

• PEV 9 – Jardim Nossa Senhora de Fátima: rua Manoel Antônio da Silva, 610

• PEV 10 – Jardim Santa Emília: rua Luísa Febrônio Marini

• PEV 11 – Jardim Santa Esmeralda: rua Ágata, s/nº 

Em construção:

• PEV 12 – Jardim Nova Alvorada: rua Alcebíades Marques (antiga rua 5), próxima ao Parque Socioambiental Lago da Fé

• PEV 13 – Jardim  São Sebastião: rua Prof. Lúcio Alves da Costa (praça 2), no Loteamento Adventista Campineiro, próximo à AMCRESS (Associação dos Moradores do Jardim São Sebastião) 

Veja a lista de LEVs existentes na cidade:

1. LEV Parque Ortolândia: rua Pastor Germano Ritter (Praça Vereador José Costa Camargo, próximo à Sabesp)

2. LEV Jd. Firenze: rua Veneza (em frente ao Fórum) 

3. LEV Amanda: rua Tiradentes (em frente à lagoa)

4. LEV Parque Socioambiental Chico Mendes: rua João Mendes, s/nº, Parque Ortolândia 

5. LEV Jardim Everest: rua Pico do Atatiaia, em frente ao Nº 88

6. LEV Lago da Fé: avenida Wesley Dias Rodrigues, Jardim Nova Alvorada 

7. LEV Vila Real: avenida São Francisco de Assis (Praça da Paróquia Nossa Senhora do Rosário)

8. LEV Jardim Santa Esmeralda: rua Turmalina (em frente à EMEF Jardim Santa Esmeralda) 

9. LEV Jardim Nossa Senhora de Fátima: rua Cícero Ramos Meira (em frente à E.E. Pastor Roberto) 

10. LEV Jardim Nossa Senhora de Fátima: rua Albina Rodrigues Pereira, s/nº 

11. LEV Jardim Nossa Senhora de Fátima: rua Armelinda Espúrio da Silva, 785 (dentro da EMEB Josias da Silva Macedo) 

12. LEV São Sebastião (metálico): rua Pastor Ernesto Roth, 705, Loteamento Adventista Campineiro (divisa com Residencial São Sebastião)

13. LEV Jardim Novo Horizonte: rua Moacir de Souza Campos (em frente à EMEF Taquara Branca)

14. LEV Palácio das Águas: rua José Cláudio Alves dos Santos, 585, Remanso Campineiro               

15. LEV Câmara Municipal: rua Joseph Paul Julien Burlandy, 250, Parque Gabriel                                 

16. LEV Rua Luiz Camilo de Camargo, 630, Remanso Campineiro (ao lado da Casas Bahia)

17. LEV Rua Alda Lourenço, em frente ao Nº 221, Remanso Campineiro (Praça do Bambino)

18. LEV E.E Priscila Fernandes da Rocha: rua Santos Dumont, Jardim Amanda               

19. LEV E.E Prof. Conceição Aparecida Terza Gomes Cardinales: rua Visconde do Rio Branco, Jardim Amanda

20. LEV do Remanso das Águas: Estrada Municipal Sabina Baptista de Camargo, perto do quiosque

21. LEV Jardim Santa Clara do Lago: rua Bolívia, ao lado do CREAPE, em frente a EMEF Viva Mais

22. LEV Parque Orestes Ôngaro: rua Domingos Batista de Souza, na praça ao lado do quiosque

Lagoa do Creape recebe grade de proteção e equipamentos para preservar a qualidade da água

A Prefeitura de Hortolândia continua a fazer a parte dela para manter a limpeza da cidade. Um exemplo disto é a instalação de uma grade de proteção na borda da lagoa do Creape (Centro de Referência em Educação Ambiental Parque Escola), localizado na rua Bolívia, 290, no Jardim Santa Clara do Lago. A gestão do parque é da Secretaria de Educação. Já os serviços de zeladoria são responsabilidade das Secretarias de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável e de Serviços Urbanos.

De acordo com a secretária adjunta de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Eliane Nascimento Oliveira, a grade foi instalada na semana passada para facilitar a limpeza e impedir que resíduos, a maioria materiais recicláveis, ultrapassem a barreira e contaminem a lagoa.

A instalação da grade já dá resultado. Nesta semana, em ação conjunta das Secretarias de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável e de Serviços Urbanos, foram recolhidos cerca de 15 sacos de 50 kg de material reciclável, tais como garrafas PET, restos de matérial plástico e isopor e até brinquedos, que estavam presos na grade. 

A secretária adjunta Eliane Nascimento Oliveira salienta que a população precisa se conscientizar e evitar de fazer o descarte de recicláveis em vias públicas, uma vez que tais resíduos são carregados pelas chuvas e podem chegar até a lagoa por meio dos bueiros. “A Prefeitura tem se empenhado em reestabelecer as condições naturais da lagoa. Mas precisamos da colaboração da população para que realize o descarte dos resíduos de forma adequada. As ligações de esgoto também precisam estar com descarte de forma correta para que não seja lançado diretamente na rede de águas pluviais que chegarão na lagoa, ocasionando a contaminação”, reforça Eliane.

Outra ação importante que a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável realizou nesta semana para reestabelecer as condições naturais da lagoa foi a colocação de dois aeradores flutuantes. Os equipamentos são utilizados para oxigenar a água, e com isso possibilitar que a lagoa seja habitada por peixes. 

O parque Creape está fechado para o público desde 2019 para trabalhos de reforma e revitalização. De acordo com a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, o parque tem previsão para ser reaberto em breve para a população. A Prefeitura também utiliza o Creape para realizar ações de educação ambiental.

PEVS

A população pode fazer o descarte correto de resíduos nos PEVs (Pontos de Entrega Voluntária de entulho e outros materiais recicláveis) e LEVs (Locais de Entrega Voluntária de Recicláveis) da Prefeitura existentes na cidade.

Nos PEVs, os moradores podem descartar com segurança, gratuitamente, resíduos recicláveis e reaproveitáveis, como entulhos de construção, isopor, plástico PET, sofás, colchões velhos, o chamado “resíduo eletrônico”, dentre outros. Neles, não é permitido o descarte de lixo orgânico, resíduos industriais e provenientes dos serviços de saúde. 

No caso dos resíduos de construção, a quantidade de descarte é limitada a 1m³ por pessoa por mês, quantidade que equivale a 1.300kg, ou seja, cerca de 26 sacos de ráfia de 50kg ou o volume de uma caixa d’água de 1.000 litros. O horário de funcionamento dos PEVs é de segunda a domingo, inclusive feriados, das 8h às 12h e das 13h às 16h30, com exceção dos PEVs Orestes Ôngaro e Jardim Santiago.

Atualmente, o município conta com 11 PEVs. Em julho do ano passado, a Prefeitura inaugurou, em parceria com a Caixa Econômica Federal, novos PEVs nas regiões do Jardim Nossa Senhora de Fátima, Jardim Santa Emília e no Jardim Santa Esmeralda. Em razão da pandemia, a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável ressalta que a população só pode utilizar os PEVs para fazer o descarte com o uso obrigatório de máscara. Estão em fase de construção mais dois PEVs no Jardim Nova Alvorada e no Jardim São Sebastião. (Confira abaixo a lista dos PEVs existentes na cidade)

Já nos LEVs é possível descartar materiais como embalagens de vidro, garrafas pet, plásticos, papéis e papelões, isopor, copo descartável, entre outros materiais. Os LEVs recebem materiais 24h, todos os dias (Confira abaixo a lista dos LEVs existentes na cidade). 

Os materiais descartados pela população nos PEVs e LEVs é encaminhado para a Cooperativa Águia de Ouro, parceira da Prefeitura. A venda de recicláveis pela cooperativa gera renda para os cooperados, que são pessoas em situação de vulnerabilidade social.

Veja a lista de PEVs existentes na cidade:

• PEV 1 – Jd. Nossa Senhora Auxiliadora: rua Antônio João de Amorim, esquina com a rua Sebastiana Oliveira da Silva

• PEV 2 – Jd.Adelaide: rua Paulo Roberto Soares (antiga rua 9), esquina com a Rua Benedito Macedo

• PEV 3 – Parque Gabriel: avenida Joaquim Martarolli, 2005

• PEV 4 – Jardim Interlagos: rua Rio Tapajós (antiga rua 5)

• PEV 5 – Vila Real: rua Orlando Cavalcante, esquina com a rua Joaquim Gregório de Moraes

• PEV 6 – Jardim Amanda: rua Augusto dos Anjos, s/nº

• PEV 7 – Orestes Ôngaro: rua Rio Pardo (antiga rua 13), 50, dentro do Aterro de Inertes

• PEV 8 – Jd. Santiago: rua João Joaquim Calixto, 230

• PEV 9 – Jd. Nossa Senhora de Fátima: rua Manoel Antônio da Silva, 610

• PEV 10 – Jd. Santa Emília: rua Luísa Febrônio Marini

• PEV 11 – Jd. Santa Esmeralda: rua Ágata, s/nº 

Em construção:

• PEV 12 – Jd. Nova Alvorada: rua Alcebíades Marques (antiga rua 5), próxima ao Parque Socioambiental Lago da Fé

• PEV 13 – Jd.  São Sebastião: rua Prof. Lúcio Alves da Costa (praça 2), no Loteamento Adventista Campineiro, próximo à AMCRESS (Associação dos Moradores do Jardim São Sebastião)

Veja a lista de LEVs existentes na cidade:

1. LEV Pq. Ortolândia: rua Pastor Germano Ritter (Praça Vereador José Costa Camargo, próximo à Sabesp)

2. LEV Jd. Firenze: rua Veneza (em frente ao Fórum) 

3. LEV Amanda: rua Tiradentes (em frente à lagoa)

4. LEV Pq. Socioambiental Chico Mendes: rua João Mendes, s/nº, Pq. Ortolândia 

5. LEV Jardim Everest: rua Pico do Atatiaia, em frente ao Nº 88

6. LEV Lago da Fé: avenida Wesley Dias Rodrigues, Jd. Nova Alvorada 

7. LEV Vila Real: avenida São Francisco de Assis (Praça da Paróquia Nossa Senhora do Rosário)

8. LEV Jd. Santa Esmeralda: rua Turmalina (em frente à EMEF Jd. Santa Esmeralda) 

9. LEV Jd. Nossa Senhora de Fátima: rua Cícero Ramos Meira (em frente à E.E. Pastor Roberto) 

10. LEV Jd. Nossa Senhora de Fátima: rua Albina Rodrigues Pereira, s/nº 

11. LEV Jd. Nossa Senhora de Fátima: rua Armelinda Espúrio da Silva, 785 (dentro da EMEB Josias da Silva Macedo) 

12. LEV São Sebastião (metálico): rua Pastor Ernesto Roth, 705, Loteamento Adventista Campineiro (divisa com Residencial São Sebastião)

13. LEV Jd. Novo Horizonte: rua Moacir de Souza Campos (em frente à EMEF Taquara Branca)

14. LEV Palácio das Águas: rua José Cláudio Alves dos Santos, 585, Remanso Campineiro               

15. LEV Câmara Municipal: rua Joseph Paul Julien Burlandy, 250, Parque Gabriel                                 

16. LEV Rua Luiz Camilo de Camargo, 630, Remanso Campineiro (ao lado da Casas Bahia)

17. LEV Rua Alda Lourenço, em frente ao Nº 221, Remanso Campineiro (Praça do Bambino) 

18. LEV E.E Priscila Fernandes da Rocha: rua Santos Dumont, Jd. Amanda               

19. LEV E.E Prof. Conceição Aparecida Terza Gomes Cardinales: rua Visconde do Rio Branco, Jd. Amanda          

20. LEV do Remanso das Águas: Estrada Municipal Sabina Baptista de Camargo, perto do quiosque

21. LEV Jardim Santa Clara do Lago: rua Bolívia, ao lado do CREAPE, em frente a EMEF Viva Mais

22. LEV Pq Orestes Ongaro: rua Domingos Batista de Souza, na praça ao lado do quiosque

Coleta seletiva porta a porta registra aumento da participação dos moradores em 2019

Hortolândia mostra que separar e descartar corretamente resíduos reaproveitáveis é uma prática consolidada entre a população. Prova disso é que o serviço de coleta seletiva porta a porta, implantado pela Prefeitura, recolheu cerca de 375 toneladas de materiais recicláveis em 2019. Em 2018, quando o serviço foi implantado foram recolhidos cerca de 116 toneladas de materiais recicláveis.

O serviço de coleta seletiva porta a porta foi implantado pela Prefeitura de Hortolândia inicialmente nos bairros Parque Ortolândia e Jd. Firenze. Hoje, o serviço beneficia 32 dos 114 bairros da cidade, atendendo cerca de 20 mil famílias. A meta da Prefeitura é atender toda a cidade, pouco a pouco.  

A coleta seletiva (porta a porta e voluntária) é uma ação da Prefeitura, vinculada ao PIC (Programa de Incentivo ao Crescimento) e à Agenda Verde. Ambas as iniciativas visam envolver a população na tarefa de fazer o descarte correto de lixo e manter a cidade limpa. Incluem diversas ações de cidadania, dentre elas palestras de conscientização ambiental e plantio de árvores, bem como ações de zeladoria e coleta de lixo e entulho descartados irregularmente pelas ruas de Hortolândia.

O serviço é realizado pela Secretaria de Serviços Urbanos por meio do consórcio Horto Ambiental. A Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável realiza o monitoramento diário da coleta com o objetivo de ampliar e melhorar a forma do descarte de recicláveis. De acordo com dados do consórcio, houve ampliação e participação significativa da população, sendo que em dezembro de 2019 foram coletadas 36,5 toneladas. Já em dezembro de 2018, o total de material reciclável coletado foi de cerca de 26 toneladas.  

A coleta seletiva é importante por trazer melhor qualidade de vida para a população. O serviço também representa economia, uma vez que o município poupa recursos com o transporte e aterramento dos resíduos. O material recolhido pelo serviço é encaminhado para a Cooperativa Águia de Ouro, parceira da Prefeitura. Fundada em 2001, a cooperativa reúne atualmente 25 cooperados, pessoas entre 29 e 62 anos de idade, em situação de vulnerabilidade social. Com o que a cooperativa arrecada com a coleta, triagem e venda de recicláveis, cada cooperado ganha de R$ 1.180,00 a R$1.500,00 por mês. A cooperativa também recebe os materiais recicláveis que a população descarta nos oito PEVs (Pontos de Entrega Voluntária de Entulhos e outros materiais recicláveis) e 21 LEVs (Locais de Entrega Voluntária de recicláveis) existentes na cidade.

A secretária adjunta da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Eliane Nascimento Oliveira, comemora os números positivos do serviço de coleta seletiva em 2019, em especial, no mês de dezembro, destacando que este bom desempenho é resultado do trabalho que a Prefeitura tem realizado junto com a população. “Os dados demonstram que  a Administração Municipal avança na sustentabilidade, pois, além de proteger o meio ambiente,  minimiza o impacto no aterro sanitário e ainda fortalece a cooperativa de reciclagem do município, gerando emprego e renda, atendendo assim a Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei Federal Nº 12.305/2010) e os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS). Com isso, a Prefeitura proporciona uma cidade mais limpa, organizada e com qualidade vida”, destaca Eliane.

Prefeitura realiza campanha para prevenir acidentes com escorpião

  • Publicado em Saúde

Tempo quente aumenta ocorrências relacionadas a estes animais; manter quintais livres de entulhos é medida mais eficaz de prevenção

A Prefeitura de Hortolândia, por meio da Secretaria de Saúde, realiza uma campanha com distribuição de material educativo para a população sobre os cuidados que devem ser adotados a fim de evitar acidentes com escorpião e outros animais peçonhentos. Neste época do ano, com dias bastante quentes, o risco de acidentes aumenta pois estes animais circulam com mais frequência. O escorpião é um animal que só pica se for tocado por alguém. Por isso, caso alguém encontre um perto de casa, deve acionar imediatamente a UVZ (Unidade de Vigilância e Zoonoses), por meio do telefone (19) 3897-3312. Os agentes irão até o local recolher o animal e vistoriar a área, para saber se há mais animais da mesma espécie. Neste ano, a Prefeitura registra, até o momento, 132 acidentes com picada de escorpião.

De acordo com o veterinário Evandro Alves Cardoso, da UVZ (Unidade de Vigilância e Zoonoses), os escorpiões são animais de hábitos noturnos. Durante o dia, eles se escondem em locais de difícil visibilidade, de onde saem à noite para se alimentar de baratas e pequenos insetos que vivem próximos das casas. Ao sair dos ninhos, eles podem subir pelas paredes ou entrar por frestas de janelas e portas durante a noite. Por isso, a recomendação é evitar acumular tijolos e telhas encostados nas paredes de casa, pois eles podem subir, entrar na residência e se esconder em calçados, armários e guarda roupas, por exemplo.

Caso seja necessário manter algum material armazenado em casa, que seja em local afastado da residência e sempre sobre um apoio (um estrado ou um pallet, por exemplo). No entanto, restos de construção civil, que não serão mais utilizados, devem ser descartados. Para auxiliar nesta tarefa, a Prefeitura desenvolve a ação Agenda Verde – Mutirão de Limpeza e Zeladoria, que recolhe entulhos e limpa terrenos, eliminando materiais onde os escorpiões fazem ninhos. A medida colabora para conscientizar a população sobre a importância de manter quintais limpos. A Prefeitura também disponibiliza os PEVs (Pontos de Entrega Voluntária de Entulhos e Recicláveis) para o descarte correto de materiais sem uso.

A UVZ não recomenda o uso de veneno ou inseticida comum em caso de suspeita da existência de escorpiões, pois estes produtos podem deixar os animais mais agitados e provocar um acidente com picada. Uma orientação importante é observar peças de roupas e calçados antes de vestir. Já em caso de picada, socorro imediato deve ser procurado no Hospital Mario Covas. O atendimento é de urgência e o paciente precisa receber, além do soro antiescorpiônico, uma anestesia no local da picada para amenizar a dor. Crianças menores de cinco anos e idosos devem receber atenção especial, uma vez que a picada do escorpião pode ser fatal.

Assinar este feed RSS