Menu


“Saúde mental e integralidade” é o tema do 6º episódio de podcast criado a partir de memórias de idosos de Hortolândia

Série de podcasts resulta de projeto feito por extensionistas da PUC Campinas em parceria com a Prefeitura

No 6º episódio do podcast “Sísifo e o cuidado”, o debate gira agora em torno de mais um tema essencial, sobretudo em tempos de pandemia do Coronavírus: “saúde mental e integralidade”. Idosas de Hortolândia, integrantes do Grupo da Melhor Idade do CCS (Centro de Convivência Social) do Jardim Rosolém, relembram as agruras da falta de oferta de cuidados de saúde no Brasil, e de atendimento ao adoecimento mental, antes da criação do SUS (Sistema Único de Saúde), no final dos anos de 1980. Eis o tema de mais um capítulo da série, que já está disponível nas plataformas digitais.Para ouvir basta clicar nos links: Spotify (https://open.spotify.com/episode/6Uv59JPQRXryDDRYHR122j?si=5ca0f8431d4e4824) e Âncora (https://anchor.fm/stela-godoi/episodes/Sade-Mental-e-Integralidade-e1ak50m).

A série de podcasts, lançada em setembro deste ano, resgata as memórias de idosas e idosos moradores da região do Jardim Rosolém, em Hortolândia. O produto técnico-cultural é fruto do Projeto de Extensão “ARTiculadas”, desenvolvido por extensionistas da PUC Campinas (Pontifícia Universidade Católica de Campinas). O projeto acontece em parceria com a Prefeitura de Hortolândia, por meio do CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) Jd. Novo Ângulo, órgão da Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social.

No 6º episódio, após o relato das memórias de quatro idosas, a Prof.ª Dr.ª Stela Cristina de Godoi conduz um bate-papo com dois convidados: o enfermeiro Marlos Aparecido Olivino, especialista em Enfermagem Psiquiátrica e Saúde Mental do CAPS III Vida, de Hortolândia, e a professora doutora Tatiana Slonczewski, docente Extensionista da PUC-Campinas, responsável pelo Projeto Girassóis, que promove ações de conscientização comunitária sobre a importância da promoção da saúde mental e da prevenção do comportamento suicida e violências.

“A pandemia da Covid-19 revelou a urgência da atenção em saúde mental das pessoas, pois as situações de sofrimento psíquico foram agravadas nesse contexto. Como o trabalho do CRAS é o auxílio no desenvolvimento da família e no fortalecimento de vínculos, a saúde mental é um assunto sempre presente nas discussões de equipe”, afirma a coordenadora do CRAS Jd. Novo Ângulo, Eliane Silva. 

Sobre o projeto:

Após contatos travados ainda em 2019, os relatos de vida foram coletados em plena pandemia do Coronavírus, no segundo semestre de 2020, depois que os pesquisadores começaram a acompanhar as atividades socioeducativas realizadas de maneira remota com os grupos de idosos vinculados ao CCS (Centro de Convivência Social) do Jardim Rosolém. O contato foi fundamental para que fosse identificado o perfil sociocultural do grupo.

“Tratava-se de um grupo majoritariamente formado por mulheres acima de 60 anos, migrantes estabelecidas na região desde a emancipação de Hortolândia e que haviam tido uma trajetória de vida marcada pelo trabalho do cuidado: o cuidado direto e indireto das pessoas da família e as ações voluntárias de cuidado do outro no âmbito das pastorais católicas, organizações da sociedade civil e comunidades do bairro. Em 2021, passamos a realizar a coleta dessas memórias do cuidado, por meio da aplicação da metodologia da História Oral, com vistas a produção de materiais socioeducativos que promovessem a sensibilização da sociedade para a importância do trabalho cuidado para a reprodução social, valorizando, ao mesmo tempo, as histórias de vida das mulheres idosas do CCS do Jardim Rosolém de Hortolândia e fortalecendo o Grupo da Melhor Idade do qual fazem parte. O resultado principal dessa ação tem sido o retorno positivo da própria população ouvida pela equipe de alunos voluntários de extensão, sobre o sentimento de valorização que o contato com o projeto tem trazido. Consideramos que esses relatos de alegria e satisfação de contar sua história de vida são importantes indicadores de que a valorização da pessoa idosa e de sua contribuição para a reprodução social de sua família e comunidade, são mecanismos sociais fundamentais para a garantia dos direitos humanos e sociais da pessoa idosa”, ressalta a Prof.ª Dr.ª Stela Cristina de Godoi, da Faculdade de Ciências Sociais e também extensionista da Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários da PUC Campinas, que está à frente do projeto.

Sobre o mito de Sísifo:

Na mitologia grega, Sísifo era um homem que ousou desafiar os deuses. Capturado, sofreu punição severa. Para toda eternidade, teria de empurrar uma pesada pedra da base até o topo de uma montanha; a pedra rolaria para baixo e ele teria que começar tudo novamente, a cada dia. Para o filósofo Albert Camus, que trouxe às gerações atuais importantes reflexões sobre este mito, ele enfoca um ser que, mesmo condenado a uma tarefa sem sentido, vive a vida ao máximo, lutando contra a morte. Mesmo reconhecendo a falta de sentido no que faz, Sísifo continua executando sua tarefa diária. 

Confira a descrição do 6o. Episódio:

Ao longo de muitos anos a população brasileira sofreu sem a oferta de cuidados de saúde pública. Com a Reforma Sanitária, a Reforma Psiquiátrica e a redemocratização do país, a partir da década de 1980, a saúde foi considerada direito de todos os cidadãos. No âmbito da saúde mental, a luta coletiva de profissionais da saúde em conjunto com as pessoas em sofrimento psíquico e seus familiares, construiu denúncias e críticas sobre o modelo manicomial em prática, no qual prevalecia a opressão e a contenção de uma população indesejada pela sociedade. Portanto, a construção de um modelo de saúde pública e de saúde mental mais digno foi resultado da luta pelos direitos das categorias sociais em sofrimento, que resultou na constituição do SUS e dos seus equipamentos de atenção. Nesse episódio vamos narrar as histórias de vida da Emília, Alice, Marillene e Terezinha, participantes do Grupo da Melhor Idade do Centro de Convivência Social (CCS) do Jardim Rosolem, do município de Hortolândia-SP.

5º episódio de podcast criado a partir de memórias de idosos do Jd. Rosolém aborda os temas seguridade social e direitos humanos

Podcast é resultado de projeto feito por extensionistas da PUC Campinas em parceria com a Prefeitura

O grande desafio para o país é oferecer justiça social para os cidadãos. Em linhas gerais, o conceito de justiça social se refere à igualdade de oportunidades, participação e liberdade para as pessoas. Dois itens fundamentais dentro desse conceito são seguridade social e direitos humanos. Os dois itens são os temas do 5º episódio do podcast “Sísifo e o cuidado”. O episódio já está disponível nas plataformas digitais Spotify (CLIQUE AQUI) e Anchor (CLIQUE AQUI).

O podcast, que resgata as memórias de idosas e idosos moradores da região do Jardim Rosolém, em Hortolândia, é resultado do Projeto de Extensão “ARTiculadas”, responsável por transformar pesquisa em produto técnico-cultural. O projeto é desenvolvido por extensionistas da PUC Campinas (Pontifícia Universidade Católica de Campinas), em parceria com a Prefeitura de Hortolândia, por meio do CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) Novo Ângulo, órgão da Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social.

O 5º episódio está dividido em três partes. Na primeira, a Prof.ª Dr.ª Stela Cristina de Godoi, que está à frente do projeto, fará uma introdução sobre os temas. Na segunda parte, serão apresentados depoimentos de três idosas participantes do projeto que relatam experiências positivas e dificuldades relacionadas aos dois temas que elas vivenciaram. Por fim, na terceira parte haverá um bate-papo com a Prof.ª Dr.ª Stela Cristina de Godoi e os convidados Jesus José Ribeiro da Costa, gerente da Proteção Social Básica da Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social e Presidente do Conselho Municipal de Assistência Social de Hortolândia (CMASH), e com a professora Camilla Marcondes Massaro, cientista social e coordenadora do Projeto Vínculos da Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários da PUC Campinas.

Sobre o projeto:

Após contatos travados ainda em 2019, os relatos de vida foram coletados em plena pandemia do Coronavírus, no segundo semestre de 2020, depois que os pesquisadores começaram a acompanhar as atividades socioeducativas realizadas de maneira remota com os grupos de idosos vinculados ao CCS (Centro de Convivência Social) do Jardim Rosolém. O contato foi fundamental para que fosse identificado o perfil sociocultural do grupo.

“Tratava-se de um grupo majoritariamente formado por mulheres acima de 60 anos, migrantes estabelecidas na região desde a emancipação de Hortolândia e que haviam tido uma trajetória de vida marcada pelo trabalho do cuidado: o cuidado direto e indireto das pessoas da família e as ações voluntárias de cuidado do outro no âmbito das pastorais católicas, organizações da sociedade civil e comunidades do bairro. Em 2021, passamos a realizar a coleta dessas memórias do cuidado, por meio da aplicação da metodologia da História Oral, com vistas a produção de materiais socioeducativos que promovessem a sensibilização da sociedade para a importância do trabalho cuidado para a reprodução social, valorizando, ao mesmo tempo, as histórias de vida das mulheres idosas do CCS do Jardim Rosolém de Hortolândia e fortalecendo o Grupo da Melhor Idade do qual fazem parte. O resultado principal dessa ação tem sido o retorno positivo da própria população ouvida pela equipe de alunos voluntários de extensão, sobre o sentimento de valorização que o contato com o projeto tem trazido. Consideramos que esses relatos de alegria e satisfação de contar sua história de vida são importantes indicadores de que a valorização da pessoa idosa e de sua contribuição para a reprodução social de sua família e comunidade, são mecanismos sociais fundamentais para a garantia dos direitos humanos e sociais da pessoa idosa”, ressalta a Prof.ª Dr.ª Stela Cristina de Godoi, da Faculdade de Ciências Sociais e também extensionista da Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários da PUC Campinas, que está à frente do projeto.

Sobre o mito de Sísifo:

Na mitologia grega, Sísifo era um homem que ousou desafiar os deuses. Capturado, sofreu punição severa. Para toda eternidade, teria de empurrar uma pesada pedra da base até o topo de uma montanha; a pedra rolaria para baixo e ele teria que começar tudo novamente, a cada dia. Para o filósofo Albert Camus, que trouxe às gerações atuais importantes reflexões sobre este mito, ele enfoca um ser que, mesmo condenado a uma tarefa sem sentido, vive a vida ao máximo, lutando contra a morte. Mesmo reconhecendo a falta de sentido no que faz, Sísifo continua executando sua tarefa diária.

Quarto podcast criado a partir de memórias de idosos de Hortolândia-SP enfoca “envelhecimento e vulnerabilidade social”

Série “Sísifo e o cuidado” é um projeto de Extensão da PUC de Campinas, que conta com o apoio da Prefeitura

“Envelhecimento e vulnerabilidade” é o tema do quarto podcast da série “Sísifo e o cuidado”, que resgata as memórias de idosas e idosos moradores da Região do Jd. Rosolém, em Hortolândia. Ouvintes que acompanham os episódios semanais já podem acessar gratuitamente a mais nova edição na internet, em sistemas de “streaming” (veja abaixo). Para ouvir o episódio quatro, clique aqui: https://open.spotify.com/episode/4ahcjkqBuogzsj7HKXRfJv?si=-eekUXS9RJCtcJXtTkUm5w&utm_source=whatsapp&dl_branch=1&nd=1

Fruto do Projeto de Extensão “ARTiculadas”, responsável por transformar pesquisa em produto técnico-cultural, a série poderá ser ouvida também na plataforma Anchor. O projeto é desenvolvido por extensionistas da PUC Campinas (Pontifícia Universidade Católica de Campinas), em parceria com a Prefeitura de Hortolândia, por meio do CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) Novo Ângulo, órgão da Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social. 

Desta vez, para refletir sobre conquistas, direitos e desafios ligados ao envelhecer e à vulnerabilidade, em tempos de pandemia, foram convidados o professor extensionista do Observatório da PUC Campinas, Cristiano Monteiro Silva, e o chefe de gabinete da Prefeitura de Hortolândia, Claudinei Prazeres. Segundo dados apresentados no episódio, coletados junto ao Cadastro Único, o município conta com uma população idosa de baixa renda (isto é, com uma renda per capita de até meio salário mínimo) de quase 10 mil idosos, atualmente.

“Durante a pandemia e no pós-pandemia, o município tem tido um olhar muito especial à pessoa idosa. O objetivo da Administração é garantir emprego e comida na mesa das pessoas, das famílias. Hortolândia se mobilizou e o programa Viva Mais tem como objetivo principal promover a melhoria, a elevação da qualidade de vida e a longevidade da nossa população”, afirma Prazeres.

“O podcast ‘Sísifo e o Cuidado’ vem de um projeto de ampla escuta dos nossos idosos do CRAS Novo Ângulo, mais especificamente do CCS Jardim Rosolém. Essa escuta é de suma importância para o desenvolvimento de tudo o que acontece dentro do equipamento CRAS, mas ela serve como valorização dos nossos munícipes, pois eles trazem a sua historicidade, a sua bagagem, pois nos ajudaram a construir a nossa cidade”, afirma o secretário de Inclusão e Desenvolvimento Social, Francisco Raimundo da Silva.

Sobre o projeto

Após contatos travados ainda em 2019, os relatos de vida foram coletados em plena pandemia do Coronavírus, no segundo semestre de 2020, depois que os pesquisadores começaram a acompanhar as atividades socioeducativas realizadas de maneira remota com os grupos de idosos vinculados ao CCS (Centro de Convivência Social) do Jardim Rosolém. O contato foi fundamental para que fosse identificado o perfil sociocultural do grupo.

“Tratava-se de um grupo majoritariamente formado por mulheres acima de 60 anos, migrantes estabelecidas na região desde a emancipação de Hortolândia e que haviam tido uma trajetória de vida marcada pelo trabalho do cuidado: o cuidado direto e indireto das pessoas da família e as ações voluntárias de cuidado do outro no âmbito das pastorais católicas, organizações da sociedade civil e comunidades do bairro. Em 2021, passamos a realizar a coleta dessas memórias do cuidado, por meio da aplicação da metodologia da História Oral, com vistas a produção de materiais socioeducativos que promovessem a sensibilização da sociedade para a importância do trabalho cuidado para a reprodução social, valorizando, ao mesmo tempo, as histórias de vida das mulheres idosas do CCS do Jardim Rosolém de Hortolândia e fortalecendo o Grupo da Melhor Idade do qual fazem parte. O resultado principal dessa ação tem sido o retorno positivo da própria população ouvida pela equipe de alunos voluntários de extensão, sobre o sentimento de valorização que o contato com o projeto tem trazido. Consideramos que esses relatos de alegria e satisfação de contar sua história de vida são importantes indicadores de que a valorização da pessoa idosa e de sua contribuição para a reprodução social de sua família e comunidade, são mecanismos sociais fundamentais para a garantia dos direitos humanos e sociais da pessoa idosa”, ressalta a Prof.ª Dr.ª Stela Cristina de Godoi, da Faculdade de Ciências Sociais e também extensionista da Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários da PUC Campinas, que está à frente do projeto.

Sobre o mito de Sísifo

Na mitologa grega, Sísifo era um homem que ousou desafiar os deuses. Capturado, sofreu punição severa. Para toda eternidade, teria de empurrar uma pesada pedra da base até o topo de uma montanha; a pedra rolaria para baixo e ele teria que começar tudo novamente, a cada dia. Para o filósofo Albert Camus, que trouxe às gerações atuais importantes reflexões sobre este mito, ele enfoca um ser que, mesmo condenado a uma tarefa sem sentido, vive a vida ao máximo, lutando contra a morte. Mesmo reconhecendo a falta de sentido no que faz, Sísifo continua executando sua tarefa diária.

Confira a descrição do podcast no Spotify 

Envelhecimento é um processo natural, um caminho entre a vida e a morte que todos desejamos atravessar. Mas como a vida transcorre e quais oportunidades sociais acessamos ao longo dela nada tem a ver com as forças da natureza, com o destino, nossa sorte ou azar. Viver é perigoso, mas o risco de vulnerabilidade social não se distribui igualmente entre todas as pessoas e grupos sociais. A pandemia do coronavírus mostrou que, se estamos todos no mesmo barco, quando o barco afunda só alguns conseguem um lugar no bote salva vidas. Ou seja, para corrigir essas desigualdades de oportunidades, enfrentar e prevenir o risco social, é fundamental a ampliação das políticas de proteção social.

Links de acesso:

ANCHOR

https://anchor.fm/stela-godoi/episodes/Envelhecimento-e-Vulnerabilidade-Social-e18d493

SPOTIFY

https://open.spotify.com/episode/4ahcjkqBuogzsj7HKXRfJv?si=ZKxKngt3QrCvHKp7evowDw&dl_branch=1

"Trabalho e economia nacional" são o tema do terceiro episódio da série de podcasts "Sísifo e o Cuidado", que resgata as memórias de idosas do Jardim Rosolém

Produto técnico feito em Projeto de Extensão da PUC de Campinas com o apoio da Prefeitura já está disponível na internet, gratuitamente

Ouvintes de Hortolândia que acompanham o podcast “Sísifo e o cuidado”, que resgata as memórias de idosas e idosos moradores da Região do Jd. Rosolém, já podem escutar o terceiro episódio da série. O mais novo capítulo, sobre "Trabalho e Economia Nacional", traz como convidadas a advogada e ex-deputada federal pela região, Ana Perugini, e a economista e professora extensionista da PUCCampinas (Pontifícia Universidade Católica de Campinas), Eliane Rosandiski, que analisam os depoimentos de três participantes dos grupos da Melhor Idade entrevistadas no podcast. A série está disponível, gratuitamente, na internet, neste link: https://open.spotify.com/episode/2j4hlPiDWDh6QHV3tZvVME?si=of_ZBMnbT72KdK2z47bJdw&dl_branch=1.   

Fruto do Projeto de Extensão “ARTiculadas”, responsável por transformar pesquisa em produto técnico-cultural, a série poderá ser ouvida em plataformas de “streaming”, como Spotify e Anchor (veja abaixo). O projeto é desenvolvido por extensionistas da PUCCampinas, em parceria com a Prefeitura de Hortolândia, por meio do CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) Novo Ângulo, órgão da Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social. 

A cada semana, um novo episódio é publicado, dando voz a idosas da região e trazendo sentido a estas memórias. O primeiro podcast apresentou o projeto, explicou o mito de Sísifo (veja abaixo) e os muitos aspectos do cuidar. O segundo, sobre "Migrações e Territórios" contou um pouco da história de Hortolândia, entrelaçada a de seus moradores. Para a coordenadora do CRAS Novo Ângulo, ao qual o CCS Jd. Rosolém está ligado, Eliane Silva, “o objetivo é valorizar o trabalho invisível de cada um, e também identificar a importância deste trabalho na construção da nossa cidade”, comenta ela. 

“O podcast ‘Sísifo e o Cuidado’ vem de um projeto de ampla escuta dos nossos idosos do CRAS Novo Ângulo, mais especificamente do CCS Jardim Rosolém. Essa escuta é de suma importância para o desenvolvimento de tudo o que acontece dentro do equipamento CRAS, mas ela serve como valorização dos nossos munícipes, pois eles trazem a sua historicidade, a sua bagagem, pois nos ajudaram a construir a nossa cidade”, afirma o secretário de Inclusão e Desenvolvimento Social, Francisco Raimundo da Silva.

Sobre o projeto

Após contatos travados ainda em 2019, os relatos de vida foram coletados em plena pandemia do Coronavírus, no segundo semestre de 2020, depois que os pesquisadores começaram a acompanhar as atividades socioeducativas realizadas de maneira remota com os grupos de idosos vinculados ao CCS (Centro de Convivência Social) do Jardim Rosolém. O contato foi fundamental para que fosse identificado o perfil sociocultural do grupo. 

“Tratava-se de um grupo majoritariamente formado por mulheres acima de 60 anos, migrantes estabelecidas na região desde a emancipação de Hortolândia e que haviam tido uma trajetória de vida marcada pelo trabalho do cuidado: o cuidado direto e indireto das pessoas da família e as ações voluntárias de cuidado do outro no âmbito das pastorais católicas, organizações da sociedade civil e comunidades do bairro. Em 2021, passamos a realizar a coleta dessas memórias do cuidado, por meio da aplicação da metodologia da História Oral, com vistas a produção de materiais socioeducativos que promovessem a sensibilização da sociedade para a importância do trabalho cuidado para a reprodução social, valorizando, ao mesmo tempo, as histórias de vida das mulheres idosas do CCS do Jardim Rosolém de Hortolândia e fortalecendo o Grupo da Melhor Idade do qual fazem parte. O resultado principal dessa ação tem sido o retorno positivo da própria população ouvida pela equipe de alunos voluntários de extensão, sobre o sentimento de valorização que o contato com o projeto tem trazido. Consideramos que esses relatos de alegria e satisfação de contar sua história de vida são importantes indicadores de que a valorização da pessoa idosa e de sua contribuição para a reprodução social de sua família e comunidade, são mecanismos sociais fundamentais para a garantia dos direitos humanos e sociais da pessoa idosa”, ressalta a Prof.ª Dr.ª Stela Cristina de Godoi, da Faculdade de Ciências Sociais e também extensionista da Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários da PUC Campinas, que está à frente do projeto.

Sobre o mito de Sísifo

Na mitologa grega, Sísifo era um homem que ousou desafiar os deuses. Capturado, sofreu punição severa. Para toda eternidade, teria de empurrar uma pesada pedra da base até o topo de uma montanha; a pedra rolaria para baixo e ele teria que começar tudo novamente, a cada dia. Para o filósofo Albert Camus, que trouxe às gerações atuais importantes reflexões sobre este mito, ele enfoca um ser que, mesmo condenado a uma tarefa sem sentido, vive a vida ao máximo, lutando contra a morte. Mesmo reconhecendo a falta de sentido no que faz, Sísifo continua executando sua tarefa diária.

Confira a descrição do podcast no Spotify 

Nesse episódio vamos ouvir as histórias de vida de três mulheres do Grupo da Melhor Idade do CCS do Jardim Rosolen. Os relatos vão nos ajudar a refletir sobre a economia política da vida das mulheres. Quanta riqueza gera o trabalho de cuidado que realizamos à gerações? Se um médico ou uma professora fazem seu trabalho com amor, sua atividade não deixa de ser trabalho, mas parece que essa regra não vale quando se trata de mensurar o trabalho doméstico e de cuidado, realidade pelas mulheres na invisibilidade do cotidiano. Trata-se de um trabalho com “amor” e não de um não-trabalho.

O podcast estará disponível nas seguintes plataformas de streaming:

Links de acesso:

ANCHOR

https://anchor.fm/stela-godoi/episodes/Trabalho-e-Economia-Nacional-e17t145

SPOTIFY

https://open.spotify.com/episode/2j4hlPiDWDh6QHV3tZvVME?si=of_ZBMnbT72KdK2z47bJdw&dl_branch=1

 

Segundo episódio da série de podcasts "Sísifo e o Cuidado" relaciona história de Hortolândia a memórias de idosos do Jardim Rosolém

Episódio "Migrações e Território", feita em Projeto de Extensão da PUC de Campinas com o apoio da Prefeitura, já está disponível na internet

Já está disponível para os ouvintes o segundo episódio da série de podcasts “Sísifo e o cuidado”, que traz as memórias de idosas e idosos de Hortolândia, moradores da Região do Jd. Rosolém, às voltas com a tarefa de cuidar do outro. "Migrações e Territórios" fala sobre as andanças destas personagens, vindas de diversos cantos do País, até chegar ao município, às voltas com a emancipação de Sumaré, e sua contribuição para formar o território do Jardim Novo Ângulo. Além do relato destes moradores, o episódio traz o depoimento do secretário de Inclusão e Desenvolvimento Social, Francisco Raimundo da Silva.

Fruto do Projeto de Extensão “ARTiculadas”, responsável por transformar pesquisa em produto técnico-cultural, a série poderá ser ouvida em seis plataformas de “streaming” (veja abaixo). O projeto é desenvolvido por extensionistas da PUCCampinas (Pontifícia Universidade Católica de Campinas), em parceria com a Prefeitura de Hortolândia, por meio do CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) Novo Ângulo, órgão da Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social. 

Para ouvir o episódio, basta clicar no seguinte link: https://open.spotify.com/episode/5oecRzjuQfx0RjCADPMAj7?si=pmf4o4XyRdStQmv-1AcE7g&utm_source=whatsapp&dl_branch=1. A cada semana, um novo episódio será publicado.

Para a coordenadora do CRAS Novo Ângulo, ao qual o CCS Jd. Rosolém está ligado, Eliane Silva, “o objetivo é valorizar o trabalho invisível de cada um, e também identificar a importância deste trabalho na construção da nossa cidade”, comenta ela. 

“O podcast ‘Sísifo e o Cuidado’ vem de um projeto de ampla escuta dos nossos idosos do CRAS Novo Ângulo, mais especificamente do CCS Jardim Rosolém. Essa escuta é de suma importância para o desenvolvimento de tudo o que acontece dentro do equipamento CRAS, mas ela serve como valorização dos nossos munícipes, pois eles trazem a sua historicidade, a sua bagagem, pois nos ajudaram a construir a nossa cidade”, afirma o secretário de Inclusão e Desenvolvimento Social, Francisco Raimundo da Silva.

Sobre o projeto

Após contatos travados ainda em 2019, os relatos de vida foram coletados em plena pandemia do Coronavírus, no segundo semestre de 2020, depois que os pesquisadores começaram a acompanhar as atividades socioeducativas realizadas de maneira remota com os grupos de idosos vinculados ao CCS (Centro de Convivência Social) do Jardim Rosolém. O contato foi fundamental para que fosse identificado o perfil sociocultural do grupo. 

“Tratava-se de um grupo majoritariamente formado por mulheres acima de 60 anos, migrantes estabelecidas na região desde a emancipação de Hortolândia e que haviam tido uma trajetória de vida marcada pelo trabalho do cuidado: o cuidado direto e indireto das pessoas da família e as ações voluntárias de cuidado do outro no âmbito das pastorais católicas, organizações da sociedade civil e comunidades do bairro. Em 2021, passamos a realizar a coleta dessas memórias do cuidado, por meio da aplicação da metodologia da História Oral, com vistas a produção de materiais socioeducativos que promovessem a sensibilização da sociedade para a importância do trabalho cuidado para a reprodução social, valorizando, ao mesmo tempo, as histórias de vida das mulheres idosas do CCS do Jardim Rosolém de Hortolândia e fortalecendo o Grupo da Melhor Idade do qual fazem parte. O resultado principal dessa ação tem sido o retorno positivo da própria população ouvida pela equipe de alunos voluntários de extensão, sobre o sentimento de valorização que o contato com o projeto tem trazido. Consideramos que esses relatos de alegria e satisfação de contar sua história de vida são importantes indicadores de que a valorização da pessoa idosa e de sua contribuição para a reprodução social de sua família e comunidade, são mecanismos sociais fundamentais para a garantia dos direitos humanos e sociais da pessoa idosa”, ressalta a Prof.ª Dr.ª Stela Cristina de Godoi, da Faculdade de Ciências Sociais e também extensionista da Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários da PUC Campinas, que está à frente do projeto.

Sobre o mito de Sísifo

Na mitologa grega, Sísifo era um homem que ousou desafiar os deuses. Capturado, sofreu punição severa. Para toda eternidade, teria de empurrar uma pesada pedra da base até o topo de uma montanha; a pedra rolaria para baixo e ele teria que começar tudo novamente, a cada dia. Para o filósofo Albert Camus, que trouxe às gerações atuais importantes reflexões sobre este mito, ele enfoca um ser que, mesmo condenado a uma tarefa sem sentido, vive a vida ao máximo, lutando contra a morte. Mesmo reconhecendo a falta de sentido no que faz, Sísifo continua executando sua tarefa diária.

Confira a descrição do podcast no Spotify 

Os afazeres domésticos com a casa, o cuidado direto com as pessoas (as crianças, os idosos, os enfermos), todas essas atividades ocupam boa parte de nossas vidas e são fundamentais para o nosso bem-estar físico e emocional. Nós humanos, somos seres de cuidado, somos todos Sísifo trabalhando pela nossa reprodução biológica e social. O trabalho do cuidado é uma pedra pesada de carregar sozinha e, pior de tudo, ela é invisível, sobretudo se você for mulher. https://open.spotify.com/show/0MEmUW1M53YEAglaOWVmWb 

O podcast estará disponível nas seguintes plataformas de streaming:

Âncora: https://anchor.fm/stela-godoi

Disjuntor: https://www.breaker.audio/sisifo-e-o-cuidado

Podcast do Google: https://www.google.com/podcasts?feed=aHR0cHM6Ly9hbmNob3IuZm0vcy82OGFiMzBjMC9wb2RjYXN0L3Jzcw==

Pocket Casts: https://pca.st/mggkit3c

Radio Public:https://radiopublic.com/ssifo-e-o-cuidado-6vPNjl

SpotifY: https://open.spotify.com/show/0MEmUW1M53YEAglaOWVmWb

Projeto da PUC de Campinas conta as memórias de idosos do Jardim Rosolém em série de podcasts, lançada nesta terça-feira (14/09)

Produção tem o apoio da Prefeitura de Hortolândia

As memórias de vidas dedicadas a cuidar do outro, de idosas e idosos moradores da Região do Jd. Rosolém, em Hortolândia, estão agora eternizadas em mensagens sonoras que as gerações futuras poderão consultar, navegando pelas ondas da rede mundial de computadores. Elas serão contadas em diversos episódios, num formato próximo ao do rádio, porém, mais moderno e flexível: o podcast, disponibilizado gratuitamente via internet. Nesta terça-feira (14/09), a equipe do Projeto de Extensão “ARTiculadas”, responsável por transformar pesquisa em produto técnico-cultural, lança o primeiro episódio da série “Sísifo e o cuidado”, que poderá ser ouvido em seis plataformas de “streaming” (veja abaixo). O projeto é desenvolvido por extensionistas da PUCCampinas (Pontifícia Universidade Católica de Campinas), em parceria com a Prefeitura de Hortolândia, por meio do CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) Novo Ângulo, órgão da Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social. 

O trailer já está disponível. Para ouvi-lo basta clicar no seguinte link: https://open.spotify.com/episode/5Oxu9lbxnsNB6s2RGQZHAh?si=7GiyqoKqSY20-koLuQm0Uw&utm_source=whatsapp&dl_branch=1. A cada semana, um novo episódio será publicado.

Após contatos travados ainda em 2019, os relatos de vida foram coletados em plena pandemia do Coronavírus, no segundo semestre de 2020, depois que os pesquisadores começaram a acompanhar as atividades socioeducativas realizadas de maneira remota com os grupos de idosos vinculados ao CCS (Centro de Convivência Social) do Jardim Rosolém. O contato foi fundamental para que fosse identificado o perfil sociocultural do grupo. 

“Tratava-se de um grupo majoritariamente formado por mulheres acima de 60 anos, migrantes estabelecidas na região desde a emancipação de Hortolândia e que haviam tido uma trajetória de vida marcada pelo trabalho do cuidado: o cuidado direto e indireto das pessoas da família e as ações voluntárias de cuidado do outro no âmbito das pastorais católicas, organizações da sociedade civil e comunidades do bairro. Em 2021, passamos a realizar a coleta dessas memórias do cuidado, por meio da aplicação da metodologia da História Oral, com vistas a produção de materiais socioeducativos que promovessem a sensibilização da sociedade para a importância do trabalho cuidado para a reprodução social, valorizando, ao mesmo tempo, as histórias de vida das mulheres idosas do CCS do Jardim Rosolém de Hortolândia e fortalecendo o Grupo da Melhor Idade do qual fazem parte. O resultado principal dessa ação tem sido o retorno positivo da própria população ouvida pela equipe de alunos voluntários de extensão, sobre o sentimento de valorização que o contato com o projeto tem trazido. Consideramos que esses relatos de alegria e satisfação de contar sua história de vida são importantes indicadores de que a valorização da pessoa idosa e de sua contribuição para a reprodução social de sua família e comunidade, são mecanismos sociais fundamentais para a garantia dos direitos humanos e sociais da pessoa idosa”, ressalta a Prof.ª Dr.ª Stela Cristina de Godoi, da Faculdade de Ciências Sociais e também extensionista da Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários da PUC Campinas, que está à frente do projeto.

Para a coordenadora do CRAS Novo Ângulo, ao qual o CCS Jd. Rosolém está ligado, Eliane Silva, “o objetivo é valorizar o trabalho invisível de cada um, e também identificar a importância deste trabalho na construção da nossa cidade”, comenta ela. 

“O podcast ‘Sísifo e o Cuidado’ vem de um projeto de ampla escuta dos nossos idosos do CRAS Novo Ângulo, mais especificamente do CCS Jardim Rosolém. Essa escuta é de suma importância para o desenvolvimento de tudo o que acontece dentro do equipamento CRAS, mas ela serve como valorização dos nossos munícipes, pois eles trazem a sua historicidade, a sua bagagem, pois nos ajudaram a construir a nossa cidade”, afirma o secretário de Inclusão e Desenvolvimento Social, Francisco Raimundo da Silva.

Sobre o mito de Sísifo

Na mitologa grega, Sísifo era um homem que ousou desafiar os deuses. Capturado, sofreu punição severa. Para toda eternidade, teria de empurrar uma pesada pedra da base até o topo de uma montanha; a pedra rolaria para baixo e ele teria que começar tudo novamente, a cada dia. Para o filósofo Albert Camus, que trouxe às gerações atuais importantes reflexões sobre este mito, ele enfoca um ser que, mesmo condenado a uma tarefa sem sentido, vive a vida ao máximo, lutando contra a morte. Mesmo reconhecendo a falta de sentido no que faz, Sísifo continua executando sua tarefa diária.

Confira a descrição do podcast no Spotify 

Os afazeres domésticos com a casa, o cuidado direto com as pessoas (as crianças, os idosos, os enfermos), todas essas atividades ocupam boa parte de nossas vidas e são fundamentais para o nosso bem-estar físico e emocional. Nós humanos, somos seres de cuidado, somos todos Sísifo trabalhando pela nossa reprodução biológica e social. O trabalho do cuidado é uma pedra pesada de carregar sozinha e, pior de tudo, ela é invisível, sobretudo se você for mulher. https://open.spotify.com/show/0MEmUW1M53YEAglaOWVmWb 

O podcast estará disponível nas seguintes plataformas de streaming:

Âncora: https://anchor.fm/stela-godoi

Disjuntor: https://www.breaker.audio/sisifo-e-o-cuidado

Podcast do Google: https://www.google.com/podcasts?feed=aHR0cHM6Ly9hbmNob3IuZm0vcy82OGFiMzBjMC9wb2RjYXN0L3Jzcw==

Pocket Casts: https://pca.st/mggkit3c

Radio Public:https://radiopublic.com/ssifo-e-o-cuidado-6vPNjl

SpotifY: https://open.spotify.com/show/0MEmUW1M53YEAglaOWVmWb

 

Assinar este feed RSS