Menu


Centro de Empreendimentos Solidários e Popular de Hortolândia deve começar a funcionar em fevereiro

Anúncio foi feito em evento, nesta quarta-feira (01/12), com o prefeito Zezé Gomes

O novo Centro de Empreendimentos Solidários e Popular da Prefeitura de Hortolândia, uma espécie de mercado popular que abrigará representantes dos diversos ramos da economia solidária, deve começar a funcionar em fevereiro do ano que vem. O anúncio foi feito, na tarde desta quarta-feira (01/12), durante evento com o segmento, que contou com a presença do prefeito José Nazareno Zezé Gomes e o secretário de Inclusão e Desenvolvimento Social, Francisco Raimundo da Silva.

O espaço funcionará no prédio da Rua Zacarias Costa Camargo, 50, no Remanso Campineiro, local que até agosto deste ano abrigava o CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) Central. Esta é a segunda reunião de representantes da Prefeitura de Hortolândia com os empreendedores solidários do município. Desta vez, o evento reuniu cerca de 80 participantes.

Outros detalhes sobre o projeto ainda estão sendo definidos, mas já foi dado aos presentes um aviso importante: a realização de cadastramento junto à Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social. Haverá capacitação e seleção para os segmentos que farão parte do empreendimento local. Todas as regras e demais itens do projeto serão apresentados em breve.

Segundo a Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, esta é a segunda reunião geral com todos os segmentos da economia solidária, nesta etapa da pandemia, que permite a retomada das atividades em locais abertos. Recentemente, eles participaram de eventos públicos ligados à Secretaria de Cultura, no Parque Chico Mendes e no Jd. Amanda. No encontro, também foi abordada a questão da participação em feiras natalinas diurnas e noturnas, neste final de ano.

"A participação do prefeito nesse encontro fortalece a retomada das atividades com consciência. É preciso planejar as ações, mas também manter as garantias de segurança da vida dos nossos cidadãos. Nosso intuito é garantir a vocês acesso principalmente à capacitação financeira, mundo digital e empreendedorismo para que ampliem as oportunidades de compra e venda dos produtos para produção e fabricação dentro de cada setor de vocês que fazem a economia da nossa cidade girar. Apresentar esse projeto do CESP (Centro de Empreendedorismos Solidários e Popular) é crer que os nossos sonhos se tornam realidade, quando nos dedicamos e unimos esforços em equipe para que todos tenham mais oportunidades de atuar dentro de cada segmento", destacou o secretário de Inclusão e Desenvolvimento Social, Francisco Raimundo da Silva.

“A pandemia hoje deu uma trégua, mas não é o fim. Ainda tem lugares que estão sofrendo muito. Cada cidade busca, na sua gestão, fazer o seu trabalho, fazer algo que leve renda para a mesa das pessoas, o alimento do dia a dia. O que queremos na nossa cidade? Uma cidade importante na Região Metropolitana de Campinas, com tendência de crescimento muito grande, com o perfil de uma cidade tecnológica e sustentável. Queremos ser diferentes na forma de empreender também. Nós queremos cada vez mais capacitar as pessoas e colocá-las no mercado de trabalho e levar para elas a esperança, porque muitos não têm mais a esperança, porque sofreu e perdeu tanto que fica desiludido. Não podemos deixar vocês chegarem a este ponto. O papel nosso, como gestor público, é animar vocês, dizer que são capazes, porque é na dificuldade que a gente se torna bom empreendedor e mais valente. Esse esforço de fazer algo certo passa pelo governo, que oferece qualificação e mostra um novo horizonte. Queremos gerar emprego para vocês para que, nessa retomada, possam se reerguer”, afirmou Zezé Gomes.

Sede do antigo CRAS Central abrigará Centro de Empreendimentos Solidários e Popular de Hortolândia

Representantes da Prefeitura e empreendedores da Economia Solidária reuniram-se, nesta quarta-feira (24/11), para discutir sobre retomada de eventos ainda neste ano

O prédio da Rua Zacarias Costa Camargo, 50, no Remanso Campineiro, que até agosto deste ano abrigava o CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) Central será, em breve, a futura sede do Centro de Empreendimentos Solidários e Popular da Prefeitura de Hortolândia, uma espécie de mercado popular que abrigará representantes dos diversos ramos da economia solidária. O anúncio foi feito, na tarde desta quarta-feira (24/11), pelo secretário de Inclusão e Desenvolvimento Social, Francisco Raimundo da Silva, durante reunião presencial com empreendedores do setor no município. A previsão é que a inauguração do espaço aconteça no primeiro semestre de 2022. Outros detalhes sobre o projeto serão apresentados ao segmento pelo prefeito José Nazareno Zezé Gomes, em nova reunião marcada para o dia primeiro de dezembro, às 14h30, no mesmo local.

O evento reuniu cerca de 150 empreendedores, tanto do ramo alimentício quanto do artesanal, assim como servidores do Departamento de Geração de Renda e Economia Solidária. A reunião foi conduzida pelo diretor Amarantino Jesus de Oliveira, o Tino Sampaio, que explicou aos presentes que todos já estão pré-cadastrados para integrar o Centro Popular. Segundo ele, haverá capacitação e seleção para os segmentos que farão parte do empreendimento local, porém todas as regras e demais itens do projeto serão apresentados na próxima reunião.

Segundo a Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, esta é a primeira grande reunião com todos os segmentos da economia solidária, nesta etapa da pandemia, que permite a retomada das atividades em locais abertos. Recentemente, eles participaram de eventos públicos ligados à Secretaria de Cultura, no Parque Chico Mendes e no Jd. Amanda. No encontro, buscou-se definir estratégias de retomada de eventos do setor, de modo presencial, ainda neste ano e planejamento para 2022. Também foi abordada a questão da participação em feiras natalinas diurnas e noturnas, neste final de ano.

“Muito me alegra ver vocês reunidos aqui nesse momento que estamos retomando as atividades com público em nossa cidade. Nós estamos planejando muitas atividades que vocês possam empreender e obter o retorno financeiro que ficou tão debilitado nesse período pandêmico. Nosso foco é contribuir com o giro da economia de Hortolândia", destacou o secretário.

 

HortoFest terá área com artesãos cadastrados no Departamento de Economia Solidária da Prefeitura

Público poderá conferir produtos variados feitos com porcelana, feltro, madeira e patchwork

A Prefeitura de Hortolândia continua a implementar ações para apoiar a retomada de diferentes setores econômicos da cidade no pós-pandemia. Uma dessas ações é o fomento aos segmento de artesanato. Neste fim de semana, a Prefeitura realiza o evento HortoFest, no Parque Socioambiental Chico Mendes, localizado na avenida Olívio Franceschini, s/nº, região central. O evento terá uma área com 15 artesãos cadastrados no Departamento de Geração de Renda e Economia Solidária da Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social. O HortoFest, realizado pela Secretaria de Cultura, acontecerá nesta sexta-feira (22/10), das 16h às 22h, e no sábado e domingo (23 e 24/10), das 12h às 22h. O evento integra, ainda, a programação “Movimento Rosa” de conscientização sobre câncer de mama. 

Os artesãos irão comercializar produtos confeccionados com porcelana, feltro, madeira e patchwork. O público poderá conferir artigos variados: de roupas a cintos, bonés, calçados, bijuterias, panos de prato, tapetes, bolsas, luminárias, enfeites natalinos até coleiras de cachorro, entre outros.

“O fomento aos artesãos é uma das ações de enfrentamento à pandemia realizada pela Prefeitura. As pessoas que empreendem precisam do fomento do poder público para retomarem suas atividades e negócios neste momento de avanço da vacinação contra a COVID-19 na cidade”, destaca o diretor do Departamento de Geração de Renda e Economia Solidária, Tino Sampaio.

O diretor ainda salienta que a Prefeitura trabalha para realizar mais ações e projetos para também oferecer capacitação aos empreendedores. Atualmente, cerca de 300 empreendedores, entre individuais e reunidos em associações ou coletivos, estão cadastrados no departamento. Empreendedores interessados em se cadastrar podem fazê-lo na Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, que fica no Paço Municipal, sede da Prefeitura, localizado na rua José Cláudio Alves dos Santos, 585, Remanso Campineiro. O cadastro pode ser feito de segunda à sexta-feira, das 8h às 17h. Os empreendedores devem apresentar Carteira de Identidade, Título de Eleitor, documentação e informações referentes à sua área de atuação. A entrada no Paço Municipal é feita somente com o uso obrigatório de máscara.

OBS.: FOTO TIRADA ANTES DA PANDEMIA

Prefeitura prepara eleições para Conselho Municipal de Economia Solidária de Hortolândia

A Prefeitura de Hortolândia já prepara as eleições para o Conselho Municipal de Economia Solidária. Poderão se candidatar empreendedores cadastrados no projeto da Economia Solidária até 30 dias antes da data de eleição. O edital de abertura está disponível no Diário Oficial Eletrônico do Município, no seguinte link:https://publicacoesmunicipais.com.br:8443/api/acts/hortolandia/1290.

As inscrições poderão ser feitas a partir da próxima segunda-feira (23/08) de dois modos: pelo telefone (19) 3965-1400, ramais 8230 ou 8231, ou presencialmente, indo até ao HORTOFÁCIL, central de serviços municipais localizada na Rua Argolino de Moraes, 415, no Jd. São Francisco, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

Para se inscrever é preciso apresentar comprovantes do cadastro na Economia Solidária e de endereço, RG (Registro Geral), CPF (Cadastro de Pessoa Física) e Declaração de Veracidade (a ser assinada no dia da inscrição). 

As inscrições vão até o dia 10 de setembro, com o período de campanha previsto para ocorrer de 17 a 29 de setembro. Já as eleições estão previstas para o dia primeiro de outubro de 2021, das 8h às 17h. A votação acontecerá de maneira remota e online, por meio de um link que será disponibilizado a todos os cadastrados na Economia Solidária. Poderão votar empreendedores cadastrados até 30 dias antes da eleição. Para tanto, serão exigidos dados pessoais, tais como: nome completo e número do CPF.

“O Conselho Municipal de Economia Solidária proporciona ampla participação da sociedade civil e das instituições que representam o setor nas tomadas de decisão, no planejamento e no acompanhamento de recursos do Fundo Municipal da Economia solidária”, ressalta o secretário de Inclusão e Desenvolvimento Social, Francisco Raimundo da Silva

Cadastramento continua

Atualmente, seguindo a Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, há 108 empreendedores e empreendimentos sediados no município inscritos na IMES (Incubadora Municipal de Economia Solidária). Entre os empreendimentos que atuam na Economia Solidária estão barracas de vendas de produtos e alimentos artesanais, em geral feitos à mão, tais como pastel, acarajé, caldo de cana, lanches, porções e derivados do milho; legumes; caixas de madeira, panos de prato pintados, artigos em crochê e tricô, bonecos de pano, dentre outros.

De acordo com o Departamento de Geração de Renda e Economia Solidária, o cadastro na Incubadora Municipal continua disponível aos interessados no Centro Público de Economia Solidária, localizado no andar superior do HORTOFÁCIL. A Ficha de Inscrição poderá ser solicitada pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e na própria central de serviços municipais HORTOFÁCIL. Devidamente preenchida, esta ficha deverá ser entregue junto com a cópia dos seguintes documentos: Identidade, CPF, comprovante de endereço e duas fotos 3x4.

Para se inscrever na Incubadora, é necessário morar em Hortolândia e ser maior de 18 anos ou ser civilmente emancipado. Podem se inscrever “pessoas (empreendedores) e empreendimentos (associações, cooperativas, empresas autogestionárias, grupos de produção, clubes de trocas, cooperativas de crédito e os fundos rotativos populares) que tenham como atividade relação com os princípios da Economia Solidária, autogestão, democracia, solidariedade, cooperação, respeito à natureza, comércio justo e consumo solidário para adquirirem conhecimento e serem capacitadas para comercializá-los”. 

Sobre a Incubadora de Economia Solidária

Vinculada à Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, a IMES foi criada pela Lei Municipal 3.544, de 12 de setembro de 2018. Incubar é um termo usado no meio do empreendedorismo e significa que o empreendimento ou empreendedor terá seu desenvolvimento planejado e acompanhado pelo projeto até que alcance o resultado esperado e se torne auto sustentável, esclarece a Secretaria.

Incubadora Municipal de Economia Solidária da Hortolândia recebe mais de 100 inscrições

No segundo mês de inscrição para o cadastro da IMES (Incubadora Municipal de Economia Solidária), 108 novos empreendedores e empreendimentos sediados no município se inscreveram junto à Prefeitura de Hortolândia. Destes, 71 são conduzidos por mulheres e 37 por homens. A maioria dos inscritos apresentou a produção de alimentos como principal produto elaborado e os demais, objetos e peças artesanais. O balanço foi divulgado, na tarde desta terça-feira (03/08), pela Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, responsável pelo projeto. Entre os empreendimentos que atuam na Economia Solidária estão barracas de vendas de produtos e alimentos artesanais, em geral feitos à mão, tais como pastel, acarajé, caldo de cana, lanches, porções e derivados do milho; legumes; caixas de madeira, panos de prato pintados, artigos em crochê e tricô, bonecos de pano, dentre outros.

Outros dados, também coletados durante o cadastro, mostram que as 71 mulheres inscritas apresentam melhor formação – 13 têm ensino superior; 51, médio e sete, fundamental. Já entre os 37 empreendedores homens inscritos, um tem nível superior; 28, ensino médio e oito ensino fundamental. 

“Vamos nos reunir com grupos por região para entender melhor suas realidades e, após isso, partiremos para o processo de estudo de viabilidade econômica e cursos de qualificação”, explica o diretor de Geração de Renda e Economia Solidária, Amarantino Jesus de Oliveira, conhecido como Tino Sampaio.

Cadastramento continua

De acordo com o Departamento de Geração de Renda e Economia Solidária, o cadastro continua disponível aos interessados, porém, a partir de agora, somente no Centro Público de Economia Solidária, localizado no andar superior do HORTOFÁCIL, na Rua Argolino de Moraes, 405, no Jd. São Francisco. A Ficha de Inscrição poderá ser solicitada pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e na própria central de serviços municipais HORTOFÁCIL. Devidamente preenchida, esta ficha deverá ser entregue junto com a cópia dos seguintes documentos: Identidade, CPF, comprovante de endereço e duas fotos 3x4.

Para se inscrever na Incubadora, é necessário morar em Hortolândia e ser maior de 18 anos ou ser civilmente emancipado. Podem se inscrever “pessoas (empreendedores) e empreendimentos (associações, cooperativas, empresas autogestionárias, grupos de produção, clubes de trocas, cooperativas de crédito e os fundos rotativos populares) que tenham como atividade relação com os princípios da Economia Solidária, autogestão, democracia, solidariedade, cooperação, respeito à natureza, comércio justo e consumo solidário para adquirirem conhecimento e serem capacitadas para comercializá-los”. 

Outras informações sobre a Incubadora podem ser consultadas no edital de cadastramento, publicado no Diário Oficial Eletrônico do Município, na edição 1.226, que poderá ser consultada neste link: https://publicacoesmunicipais.com.br:8443/api/acts/hortolandia/1226.

Segundo o secretário de Inclusão e Desenvolvimento Social, Francisco Raimundo da Silva, os empreendimentos cadastrados passarão por análise, sendo que um dos quesitos essenciais é que o estabelecimento esteja ligado a um conceito de sustentabilidade. “O cadastro também possibilitará o acesso às políticas de apoio à economia solidária, como financiamento, compras governamentais, comercialização de produtos e serviços. Além disso, também estamos prevendo a instalação de no mínimo quatro feiras, uma incubadora, a instalação de contêineres e a criação de um centro do empreendimento popular”, informou o secretário.

Sobre a Incubadora de Economia Solidária

Vinculada à Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, a IMES foi criada pela Lei Municipal 3.544, de 12 de setembro de 2018. Incubar é um termo usado no meio do empreendedorismo e significa que o empreendimento ou empreendedor terá seu desenvolvimento planejado e acompanhado pelo projeto até que alcance o resultado esperado e se torne auto sustentável, esclarece a Secretaria.

Confira a lista dos primeiros inscritos na Incubadora Municipal de Economia Solidária da Prefeitura

A Prefeitura de Hortolândia acaba de divulgar a lista dos primeiros inscritos no cadastro de novos empreendedores e empreendimentos sediados no município, junto à IMES (Incubadora Municipal de Economia Solidária). A listagem dos inscritos entre primeiro de junho e primeiro de julho pode ser conferida no arquivo anexo e também na edição 1.250 do Diário Oficial do Município, publicada na tarde da última sexta-feira (02/07), disponível neste link:  https://publicacoesmunicipais.com.br:8443/api/acts/hortolandia/1250.

Entre os empreendimentos que atuam na Economia Solidária estão barracas de vendas de produtos e alimentos artesanais, em geral feitos à mão, tais como pastel, acarajé, caldo de cana, lanches, porções e derivados do milho; legumes; caixas de madeira, panos de prato pintados, artigos em crochê e tricô, bonecos de pano, dentre outros.

O cadastro continua disponível no site oficial da Prefeitura (http://www2.hortolandia.sp.gov.br/), em banner específico, logo abaixo dos destaques informativos. Ou possibilidade é clicar neste link https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSe9x_mwmYQ69m2RuIXc4_UOzOl7akS3vJ3o74DLm2iU4IjW7Q/viewform ou buscar o Centro Público de Economia Solidária, localizado no andar superior do HORTOFÁCIL, na Rua Argolino de Moraes, 405, no Jd. São Francisco. 

A Ficha de Inscrição poderá ser solicitada pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e na própria central de serviços municipais HORTOFÁCIL. Devidamente preenchida, esta ficha deverá ser entregue junto com a cópia dos seguintes documentos: Identidade, CPF, comprovante de endereço e duas fotos 3x4.

Poderão se inscrever na Incubadora “pessoas (empreendedores) e empreendimentos (associações, cooperativas, empresas autogestionárias, grupos de produção, clubes de trocas, cooperativas de crédito e os fundos rotativos populares) que tenham como atividade relação com os princípios da Economia Solidária, autogestão, democracia, solidariedade, cooperação, respeito à natureza, comércio justo e consumo solidário para adquirirem conhecimento e serem capacitadas para comercializá-los”. Para se inscrever, é preciso morar em Hortolândia e ser maior de 18 anos ou ser civilmente emancipado.

Concluído o prazo acima, será publicada a lista dos cadastrados nesta etapa. Segundo a Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, após esse período, o cadastramento continuará sendo realizado com publicação atualizada dos cadastrados. 

Outras informações sobre a Incubadora podem ser consultadas no edital de cadastramento, publicado no Diário Oficial Eletrônico do Município, na edição 1.226, que poderá ser consultada neste link: https://publicacoesmunicipais.com.br:8443/api/acts/hortolandia/1226

Segundo o secretário de Inclusão e Desenvolvimento Social, Francisco Raimundo da Silva, os empreendimentos cadastrados passarão por análise, sendo que um dos quesitos essenciais é que o estabelecimento esteja ligado a um conceito de sustentabilidade. “O cadastro também possibilitará o acesso às políticas de apoio à economia solidária, como financiamento, compras governamentais, comercialização de produtos e serviços. Além disso, também estamos prevendo a instalação de no mínimo quatro feiras, uma incubadora, a instalação de contêineres e a criação de um centro do empreendimento popular”, informou o secretário. 

Dados da Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social mostram que, até a realização do atual cadastro, o programa de Economia Solidária contava com 14 cadastros ativos e 82 empreendimentos pré-cadastrados.

Sobre a Incubadora de Economia Solidária

Vinculada à Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, a IMES foi criada pela Lei Municipal 3.544, de 12 de setembro de 2018. De acordo com o diretor de Geração de Renda e Economia Solidária, Amarantino Jesus de Oliveira, conhecido como Tino Sampaio, “incubar é um termo muito usado no meio do empreendedorismo e significa que o empreendimento ou empreendedor terá seu desenvolvimento planejado e acompanhado pelo projeto até que alcance o resultado esperado e se torne auto sustentável”, explica Sampaio.

 

Assinar este feed RSS