Menu


Cantora Leci Brandão faz show gratuito em Hortolândia nesta sexta-feira (19/11)

Apresentação integra programação oficial da Prefeitura para a Semana da Consciência Negra

A cantora, compositora e percussionista carioca Leci Brandão apresenta-se, gratuitamente, em Hortolândia, nesta sexta-feira (19/11), às 21h30, na Unidade Cultural “Arlindo Zadi”, localizada na Rua Graciliano Ramos, 280, no Jardim Amanda. O artista Jura do Pote, baiano radicado em Hortolândia, abre a apresentação, às 21h, com o espetáculo “As raízes que nos sustentam a trouxa na cabeça”. As atrações integram a programação oficial da Prefeitura para a Semana da Consciência Negra, que se estende até terça-feira (23/11), com atividades presenciais e pela internet (veja folder anexo).

Com o tema “Manifestações Afros, Lutas e ‘Re-Existência’”, a Semana terá, ainda nesta sexta-feira, feira de afroempreendedorismo, às 18h; mesa de debate, às 19h; e batalha de rima, às 22h30. A abertura oficial, que contou com a presença do prefeito José Nazareno Zezé Gomes, foi na última quarta-feira (17/11), quando houve uma roda de conversa sobre a ideia de construir um novo olhar para o continente africano, com os professores Odair Marques da Silva e Raquel Batista.

No sábado, Dia da Consciência Negra (20/11), na Unidade Cultural, haverá feira de afroempreendedorismo, oficina de grafite, mesas de debate, batalha de break, oficina percussiva “Cortejo das Águas”, palestra e show com Ilcéi Mírian. Na segunda (22/11), será o lançamento do Instituto Mãe Eleonora Alves e, na terça (23/11), roda de conversa e o encerramento da exposição “Representatividade afro nas artes visuais”.

Além disso, famílias atendidas nos serviços de assistência terão programação sobre o tema. A Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social promove, mais dois eventos alusivos ao Mês da Consciência Negra, todos com o mesmo objetivo: combater o preconceito e a discriminação, promovendo o debate em torno do respeito à diversidade, valorizando a cultura afro-brasileira e a memória cultural brasileira. As ações são voltadas a famílias atendidas neste serviços. Para participar, não é preciso se inscrever. Na terça-feira (23/11), das 9h às 11h, no CCS (Centro de Convivência Social) Jd. Rosolém, localizado na Rua Guido Rosolen, 177, terá uma oficina do Paif (Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família), que mescla roda de conversa com oficina de confecção de bonecas. Já no dia 25, haverá outra Oficina Paif, com roda de conversa e oficina sobre “A Influência da Cultura Africana na nossa alimentação”, com a chefe Aline Guedes, professora de Gastronomia em cursos superiores e pesquisadora da alimentação e comensalidade de quilombos remanescentes do Estado de São Paulo, com publicações no Brasil, Portugal, Espanha e Argentina.

Saiba um pouco mais sobre Leci Brandão 

(as informações abaixo foram retiradas do site: Enciclopédia Itaú Cultural, disponível em: https://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa12146/leci-brandao)

Leci Brandão é cantora, compositora e percussionista. Atua na política e integra o Conselho Nacional de Promoção da Igualdade Racial e o Conselho Nacional dos Direitos da Mulher. Muda-se para São Paulo e, em 2010, filia-se ao Partido Comunista do Brasil (PCdoB), pelo qual é eleita deputada estadual. A política permeia sua obra, como mostra em “Ponto de Cultura”, canção registrada em Cidadã da Diversidade - Ao Vivo (2013).

Nascida no bairro carioca de Madureira e criada em Vila Isabel, tem suas primeiras influências musicais ao escutar sambas e choros no rádio. Autodidata, na juventude aprende a tocar instrumentos de ritmo, como pandeiro e surdo. Aos 21 anos, compõe a primeira canção, “Tema do Amor de Você”. Em 1968, vence o programa A Grande Chance, de Flávio Cavalcanti (1923-1986), cantando “Favela em Três Tempos”, “Minha Mensagem” e “Fim de Carnaval”. No começo da década de 1970, forma-se em direito na Universidade Gama Filho, Rio de Janeiro. 

Em 1972, torna-se a primeira mulher a integrar a ala de compositores da escola de samba Estação Primeira de Mangueira. No ano seguinte, apresenta “Quero Sim”, parceria com Darcy da Mangueira (1932-2008), no Encontro Nacional de Compositores de Samba. Em 1973, chega à final do festival Abertura, da Rede Globo, com “Antes que Eu Volte a Ser Nada”, canção composta pela artista e que dá nome ao primeiro LP. Em 1976, assina contrato com a gravadora Philips e lança Questão de Gosto, com nove sambas de sua autoria e “Mulatinho”, de Martinho da Vila (1938). Em 1977, lança Coisas do Meu Pessoal, cuja música “Ombro Amigo” é incluída na trilha sonora da novela Espelho Mágico da Rede Globo. Em 1978, grava Metades, com composições suas, de Ivan Lins (1945) e de Sandra de Sá (1955), e conta com participações dos músicos Paulo Moura (1933-2010) e Antonio Adolfo (1947).

Em 1980, lança o último álbum pela Philips: Essa Tal Criatura, cuja música homônima é finalista do Festival MPB 80 da Rede Globo. Leci fica cinco anos sem gravar discos e retoma sua carreira pela gravadora Copacabana, em 1985, com Leci Brandão, um dos álbuns de maior sucesso da carreira. No repertório, diversas músicas tornam-se hits nas rádios, como “Zé do Caroço”, “Isso É Fundo de Quintal”, “Papai Vadiou” e “Deixa, Deixa”. Dois anos depois, lança Dignidade, com destaque para as canções “Só Quero te Namorar” e “Me Perdoa Poeta”. Nos anos seguintes, mantém a aceitação popular com os álbuns Um Beijo no Seu Coração (1988) e As Coisas que Mamãe Me Ensinou (1989). De 1986 a 1994, atua como comentarista dos desfiles das escolas de samba nas transmissões da Rede Globo, função que retoma em 2002. Em 1990, conquista o prêmio Sharp pelo álbum Cidadã Brasileira – Leci Brandão da Silva. Nos anos 2000, lança cinco discos, além do DVD Canções Afirmativas, em 2007. Em 2011, a gravadora EMI lança a coletânea O Canto Livre de Leci Brandão.

SERVIÇO:

Semana da Consciência Negra de Hortolândia: “Manifestações Afros, Lutas e ‘Re Existência’”

De 16 a 23/11/2021

Hora: das 8h30 às 11h30

Confira a programação no anexo.

Grupo musical Turuntuntun faz apresentação gratuita na quarta-feira (17/11)

Apresentação integra a série “Concertos Oficiais de Primavera”, promovidos pela Prefeitura de Hortolândia

O grupo Turuntuntun, integrante do CEMMH (Centro de Educação Musical Municipal de Hortolândia), se apresenta gratuitamente na próxima quarta-feira (17/11), às 20h, na Sala Maestro Eleazar de Carvalho, espaço da Secretaria de Cultura, localizado na Rua Vicente Palhão, s/n, no Jd. Santa Cândida. A apresentação integra a série “Concertos Oficiais de Primavera”, promovidos pela Prefeitura de Hortolândia.

Atualmente, o grupo de percussão tem seis integrantes: Adriana Laranjeira, Amanda Brito Silva, Clayton Pereira Gonçalves Morais, Jefferson Henrique Pereira, Pedro Henrique da Silva Carvalho e Priscila Pereira de Andrade Filier. O repertório escolhido para o concerto (veja abaixo) permite a formação de trios, quartetos ou quintetos.

Durante a apresentação será adotado o mesmo protocolo sanitário dos concertos anteriores. É necessário o uso correto da máscara individual (cobrindo boca e nariz). Para evitar aglomeração, o público máximo é de 50 pessoas. Interessados devem retirar o convite 15 minutos antes do início do evento ou até o limite da capacidade reduzida da sala.

Confira abaixo o repertório do Concerto Oficial de Primavera:

* Elliot A. Del Borgo - Dimensions II

* Jared Spears - Bay Port

* Pascoal Meirelles - Triunvirato

* Monty Norman/John Barry  - James Bond Theme

* Vanessa Carlton - A Thousand Miles

* João Paulo Drumond - Batucada 1

Bate-papo de cinema deste sábado (13/11) propõe discussão sobre sexualidade

Evento do programa Pontos MIS tem o apoio da Secretaria de Cultura da Prefeitura de Hortolândia

A atração deste sábado (13/11) do projeto Bate-papo de Cinema Pontos MIS (Museu da Imagem e do Som) aborda o tema da sexualidade. Com classificação etária de 16 anos, o filme brasileiro “Perifericu” (dir. Nay Mendl, Rosa Caldeira, Stheffany Fernanda, Vita Pereira, Brasil, 22 min), de 2019, fala sobre como ser mulher, negra e LGBTQIAP+ no contexto periférico de São Paulo. Para participar do debate é preciso se inscrever neste link: https://forms.gle/tA9bWPZpgHfKSx6JA .

O bate-papo acontece logo após a exibição da obra, às 18h, que será feita por meio deste link do YouTube do MIS: https://youtu.be/HT1-teWjhuM. O ingresso é gratuito. O evento terá interpretação simultânea em Libras (Língua Brasileira de Sinais). 

O bate-papo ao vivo contará com a participação de Stheffany Fernanda, uma das diretoras do filme, e do fotógrafo e pesquisador Julio Witer. A mediação será feita pela roteirista e diretora Giuliana Monteiro. 

Sobre o filme “Perifericu”

Denise e Luz cresceram no Grajaú, extremo Sul de São Paulo. Da ponte para cá, é preciso aprender que o primeiro princípio para poder acessar a cidade é estar viva. Elas foram criadas em meio a canções de rap, louvores de igreja e passos de vogue. Colocadas à margem da sociedade, as duas se impõem contra o mundo amando, sonhando e sendo o que são. 

Sobre os convidados:

Stheffany Fernanda é metida em fazer filme, DJ por acaso, estudando a América Latina e fazendo história nas horas vagas. Em 2017, se formou em Técnica de Produção de Áudio e Vídeo, onde descobriu seu grande amor, o audiovisual, e o processo de cura pela arte. No mesmo ano, ingressou na UNILA (Universidade Federal da Integração Latino-Americana), onde faz, sempre com um sorriso no rosto, peripécias pela Tríplice Fronteira. 

Julio Witer é fotógrafo e graduado em geografia. Atualmente, está vinculado à Spcine no Projeto Cineclube Virtual e é colaborador do Coletivo Imagem e Som, onde se debruça sobre a história da música negra brasileira. Seu grande interesse são os estudos voltados ao pensamento brasileiro e suas manifestações estéticas e sociais. 

Sobre a mediadora:

Giuliana Monteiro é roteirista e diretora nascida em São Paulo, mestre em produção de filmes pela faculdade de Nova York Tisch School of the Arts, onde dirigiu e roteirizou diferentes projetos audiovisuais. Atualmente, trabalha em dois filmes, o seu primeiro longa-metragem ficcional, “Estrada para Livramento”, que tem o apoio do fundo Spike Lee para desenvolvimento e da fundação San Francisco Film Society, e também na finalização do longa-metragem documental “Bento”.

Oficina on-line gratuita sobre o mercado de trabalho em fotografia está com inscrições abertas, em Hortolândia

Ação do projeto Pontos MIS, do Governo do Estado, acontece graças à parceria com a Secretaria de Cultura da Prefeitura

Gosta de fotografar, mas ainda não sabe como atuar no mercado de trabalho? Esta oportunidade é para você. Estão abertas as inscrições para a oficina on-line e gratuita “Fotografia: o mercado de trabalho”, com a fotógrafa Melissa Szymanski. A formação é promovida pelo programa Pontos MIS (Museu da Imagem e do Som), do Governo do Estado, em parceria com a Secretaria de Cultura da Prefeitura de Hortolândia.

Há 50 vagas disponíveis para o município. A oficina será realizada ao vivo na plataforma Zoom, com três encontros, das 19h às 21h. O primeiro começa na terça-feira (16/11) e os demais na quarta e sexta (17 e 19/11). O link de acesso à aula será enviado automaticamente ao aluno no e-mail cadastrado na ficha de inscrição, assim como o certificado.

Podem se inscrever moradores a partir dos 14 anos de idade. As inscrições serão feitas via plataforma Sympla, neste link: link de inscrição: https://www.sympla.com.br/oficina-on-line-de-fotografia-a-importancia-do-briefing-e-seus-agregados__1398067.

Durante a oficina, Melissa falará sobre as experiências na área e no mercado fotográfico para apresentar a importância da comunicação entre os profissionais envolvidos, desde o momento do briefing até a realização do trabalho, passando pela pós-produção e chegando até as redes sociais. 

Sobre a professora:

Melissa Szymanski é fotógrafa formada e pós-graduada pela FASM (Faculdade Santa Marcelina). Participou de diversos cursos em Milão, Itália, nas áreas de Fotografia de Moda e Still Life. Trabalhou na Revista Italiana Moda Pelle na execução de editoriais. Atuou como docente de Fotografia na FASM, IED – Istituto Europeo di Design, Sesc, Centro Universitário Belas Artes e Escola São Paulo. Desenvolve seu trabalho como fotógrafa para agências de modelos e para diversas marcas, sites e reportagens. Colaborou em matérias sobre arte-educação em revistas como Veja SP, Caras, Revista Cásper Líbero e Canal TV Brasil.

Escola de Artes da Prefeitura de Hortolândia inicia, nesta quarta-feira (10/11), oficina gratuita de dança sertaneja

Ainda há vagas disponíveis; cadastro pode ser feito até o início das aulas ou no decorrer da oficina

A Prefeitura de Hortolândia promove, nesta quarta-feira (10/11), a partir das 19h30, Oficina de Dança Sertaneja. As aulas são gratuitas e acontecem sempre às quartas-feiras na Escola de Artes “Augusto Boal”, órgão da Secretaria de Cultura localizado no interior do Centro Cultural “Inês Aparecida da Silva Afonso”, na Rua Casemiro de Abreu, s/nº, no Jardim Amanda.

Para participar é preciso ter 16 anos ou mais e levar documento de identificação, necessário para fazer uma inscrição simplificada no próprio local da oficina. Menores de idade precisam ir acompanhados da mãe ou do responsável.

O cadastro pode ser feito até o início das aulas ou no decorrer da oficina. Segundo a Secretaria de Cultura, foram disponibilizadas 30 inscrições e ainda há vagas disponíveis.

As aulas serão ministradas por Antonio Ferreira Celestino, o Prof. Toninho, das 19h30 às 21h, com início nesta quarta-feira, data em que as atividades presenciais serão retomadas na Escola de Artes.

Durante as aulas é preciso respeitar as medidas sanitárias adotadas durante a pandemia, tais como uso de máscara individual de modo correto (cobrindo boca e nariz) e higienização de mãos com álcool em gel.

Com exibição do clássico “Gênio Indomável”, Hortolândia retoma sessões de cinema presenciais do Pontos MIS

Sessão gratuita acontece nesta quarta-feira (10/11), na Escola de Artes da Prefeitura, no Jardim Amanda

Se você ama a sétima arte, olha só a notícia que a Prefeitura de Hortolândia tem para lhe dar! A Escola de Artes “Augusto Boal” retoma, nesta semana, as sessões presenciais e gratuitas de cinema, com a exibição, neste mês, de clássicos dos anos 1990. Nesta quarta-feira (10/11), das 19h às 21h, será exibido o filme “Gênio Indomável”, sucesso em 1997.

Para assistir às sessões do ponto MIS-cinema, basta chegar com ao menos 10 minutos de antecedência. O espaço tem 50 lugares disponíveis. A Escola de Artes “Augusto Boal” está localizada no Centro Cultural “Inês Aparecida da Silva Afonso”, na Rua Casemiro de Abreu S/Nº, no Jardim Amanda.

As sessões são gratuitas e abertas a toda a população, observada a faixa etária de cada obra. A programação trará, nas próximas semanas, dois outros grandes sucessos de público: “Um lugar chamado Notting Hill” (1999) e “Ghost” (1990). 

O Programa Pontos MIS, da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, acontece graças à parceria da Prefeitura, por meio da Secretaria de Cultura, com o MIS (Museu da Imagem e do Som), do Estado. Em 2020, em razão das restrições trazidas pela pandemia da Covid-19, as atividades presenciais do programa foram suspensas, sendo estabelecidos novos eixos de trabalho, com exibições, oficinas e bate-papos transmitidos de maneira remota, pelo youtube.

Sobre o filme:

Gênio Indomável (“Good Will Hunting”), do diretor norte-americano Gus Van Sant, tem no elenco atores como Matt Damon (Will Hunting), Robin Williams (Sean Maguire), Ben Affleck (Chuckie Sullivan) e Minnie Driver (Skylar). 

Confira a sinopse:

Em Boston, um jovem de 20 anos (Matt Damon) que já teve algumas passagens pela polícia é servente de uma universidade. Revela-se um gênio em matemática e, por determinação legal, precisa fazer terapia, mas nada funciona, pois ele debocha de todos os analistas, até se identificar com um deles.

Sobre o programa Pontos MIS

O Pontos MIS é um programa de formação e difusão cultural com atuação em todo Estado de São Paulo. As cidades parceiras recebem programação de filmes, oficinas, palestras, exposições e formação em gestão cultural, visando a formação de novos públicos para a cultura e para o cinema.

Assinar este feed RSS