Menu


Oficina on-line gratuita sobre o mercado de trabalho em fotografia está com inscrições abertas, em Hortolândia

Ação do projeto Pontos MIS, do Governo do Estado, acontece graças à parceria com a Secretaria de Cultura da Prefeitura

Gosta de fotografar, mas ainda não sabe como atuar no mercado de trabalho? Esta oportunidade é para você. Estão abertas as inscrições para a oficina on-line e gratuita “Fotografia: o mercado de trabalho”, com a fotógrafa Melissa Szymanski. A formação é promovida pelo programa Pontos MIS (Museu da Imagem e do Som), do Governo do Estado, em parceria com a Secretaria de Cultura da Prefeitura de Hortolândia.

Há 50 vagas disponíveis para o município. A oficina será realizada ao vivo na plataforma Zoom, com três encontros, das 19h às 21h. O primeiro começa na terça-feira (16/11) e os demais na quarta e sexta (17 e 19/11). O link de acesso à aula será enviado automaticamente ao aluno no e-mail cadastrado na ficha de inscrição, assim como o certificado.

Podem se inscrever moradores a partir dos 14 anos de idade. As inscrições serão feitas via plataforma Sympla, neste link: link de inscrição: https://www.sympla.com.br/oficina-on-line-de-fotografia-a-importancia-do-briefing-e-seus-agregados__1398067.

Durante a oficina, Melissa falará sobre as experiências na área e no mercado fotográfico para apresentar a importância da comunicação entre os profissionais envolvidos, desde o momento do briefing até a realização do trabalho, passando pela pós-produção e chegando até as redes sociais. 

Sobre a professora:

Melissa Szymanski é fotógrafa formada e pós-graduada pela FASM (Faculdade Santa Marcelina). Participou de diversos cursos em Milão, Itália, nas áreas de Fotografia de Moda e Still Life. Trabalhou na Revista Italiana Moda Pelle na execução de editoriais. Atuou como docente de Fotografia na FASM, IED – Istituto Europeo di Design, Sesc, Centro Universitário Belas Artes e Escola São Paulo. Desenvolve seu trabalho como fotógrafa para agências de modelos e para diversas marcas, sites e reportagens. Colaborou em matérias sobre arte-educação em revistas como Veja SP, Caras, Revista Cásper Líbero e Canal TV Brasil.

Pontos MIS realiza oficina on-line que aborda semelhanças e diferenças do cinema e do teatro

Atividade acontecerá nas próximas próximas segunda, quarta e sexta-feira (25, 27 e 29/10) 

O cinema e o teatro têm particularidades e pontos em comum que oferecem possibilidades variadas para quem trabalha com atuação cênica. Para mostrar as semelhanças e as diferenças das duas linguagens artísticas, o Pontos MIS (Museu da Imagem e do Som) e a Prefeitura de Hortolândia realizam a oficina on-line “Cinema X Teatro – Paralelo entre as linguagens e suas implicações no trabalho do ator”. As inscrições podem ser feitas por meio deste LINK. A oficina têm 50 vagas. Podem se inscrever pessoas com idade a partir de 14 anos. O Pontos MIS é um programa de formação e difusão cultural do Museu da Imagem e do Som, órgão do governo do Estado, que promove cursos, mostras e atividades nas áreas de cinema e audiovisual com os municípios paulistas parceiros.

A oficina acontecerá ao vivo, de forma on-line e remota pela plataforma Zoom, nas próximas segunda, quarta e sexta-feira (25, 27 e 29/10), das 19h às 21h. A confirmação da inscrição será enviada por e-mail pela Secretaria de Cultura. O certificado também será enviado por e-mail para os participantes posteriormente após o término da oficina.

A oficina traçará um panorama sobre o trabalho do ator nas linguagens do audiovisual e do teatro. Serão mostrados aspectos técnicos, conceituais e estéticos de cada linguagem. Os participantes também aprenderão como se dá a comunicação na relação ator, câmera e espectador. A oficina será ministrada pela atriz, diretora e preparadora de elenco, Vanise Carneiro. Ao longo de sua carreira, atuou em espetáculos teatrais, filmes, curtas-metragens e minisséries de TV. Por sua atuação em cinema e teatro recebeu diversos prêmios, entre eles prêmio Açorianos e prêmio José Lewgoy de Melhor Atriz.  Em 2020, recebeu o Prêmio Rota/Cabíria de Melhor Protagonista Feminina por seu primeiro roteiro de curta-metragem no V Rota Festival de roteiro audiovisual.

Hortolândia terá oficina gratuita de expressão corporal neste sábado (11/09)

Projeto apresentado à Secretaria de Cultura da Prefeitura de Hortolândia foi contemplado pela Lei Aldir Blanc

Quem gosta de artes corporais já tem opção de lazer para o final de semana. É a oficina gratuita de expressão corporal “As raízes que me sustentam com a trouxa na cabeça”, que acontece neste sábado (11/09), às 15h, na Escola de Artes “Augusto Boal”, localizada no interior do Centro Cultural “Inês Aparecida da Silva Afonso”, na Rua Casemiro de Abreu, s/nº, no Jardim Amanda. O projeto, contemplado com recursos disponibilizados pela Lei Aldir Blanc de Hortolândia, tem o apoio da Secretaria de Cultura da Prefeitura de Hortolândia.

A oficina é livre para todas as idades e será ministrada pelo artista e arte educador Jura do Pote, tendo como convidado o Grupo Savuru  (Resistir para Existir). Há 20 vagas disponíveis. As inscrições podem ser feitas por meio do link: Inscrição: bit.ly/oficinaraizesjura.

A oficina busca oferecer aos participantes a oportunidade de praticar atividades de expressão corporal que envolvem movimentos de consciência corporal, equilíbrio e dança. “A idealização surgiu por meio de vivências culturais do autor, que trouxe da Bahia, mais precisamente do quilombo da região da Parateca, experiências de sua mãe e demais mulheres quilombolas lavadeiras, que equilibravam trouxas de roupas na cabeça para ir ao rio lavá-las. Ainda menino, as acompanhava até lá e assim também o fazia”, explica o artista. 

Jura do Pote fez cursos técnicos de dança e expressão corporal, buscando em suas raízes desenvolver tais técnicas e trazer a público um pouco da cultura nordestina e quilombola como arte.

 

Oficina do Ponto MIS ensino como fazer documentário

Que tal contar suas próprias histórias em um documentário? Para quem quer se iniciar na arte de fazer esse tipo de filme, o Ponto MIS (Museu da Imagem e do Som) e a Prefeitura de Hortolândia realizam a oficina “Documentários Domésticos”. As inscrições estão abertas e podem ser feitas por meio deste LINK. São 50 vagas disponíveis. Podem se inscrever pessoas a partir de 16 anos. 

A oficina acontecerá ao vivo, de forma online e remota pela plataforma Zoom, nas próximas segunda, quarta e sexta-feira (16, 18 e 20/08), das 19h às 21h. A confirmação da inscrição será enviada por e-mail pela Secretaria de Cultura. O certificado também será enviado por e-mail aos participantes posteriormente após o término da oficina.

Os participantes aprenderão métodos de produção de documentário com diferentes tipos de equipamento, tais como celular, webcam, câmera semiprofissional, câmera com DSLR (abreviação da expressão em inglês Digital Single Lens Reflex), entre outros.    

O conteúdo abordará técnicas para que os participantes consigam fazer filmagem e produção de um documentário sem sair de casa, conforme os protocolos sanitários e as orientações de distanciamento em virtude da pandemia, e os princípios básicos de edição e montagem. Também serão mostrados equipamentos de baixo custo e acessórios fáceis de serem encontrados ou adaptados a partir do que os participantes tiverem à mão.

A oficina também proporá a realização de um minidocumentário coletivo, a partir de gravações feitas pelos participantes. A temática será definida em conjunto. Ao final, as pessoas que participarem da atividade estarão aptas a produzir pequenos documentários, seja para uso profissional ou para compartilharem suas vivências durante o período de isolamento. A oficina será ministrada pelo artista visual e cineasta Lucas Gervilla. O profissional participou de mais de 160 produções audiovisuais. Em 2020, dirigiu os longas-metragens “Ruinoso” e “Fora da Capital”. É doutorando e mestre em artes visuais. 

Confira abaixo o cronograma da oficina:

Encontro 1:

– Breve introdução ao documentário

– Que modos de documentário existem?

– Quais os equipamentos básicos para se filmar um documentário doméstico?

– Que tipo de documentário queremos fazer? Que história(s) queremos contar?

– Principais tipos de enquadramento no documentário 

Encontro 2:

– Técnicas básicas para filmagem (ISO, abertura, velocidade, ajuste de branco, taxa de quadros) 

– Como fazer esses ajustes: do celular à DSLR 

– Noções básicas de som 

– Principais tipos de microfone. Como fazer se eu não tiver um? 

– Como gravar entrevistas 

Encontro 3:

– Preparando o material para a edição 

– Noções básicas de edição 

– Edição do conteúdo gravado pelos próprios participantes 

Obs.: Do encontro 2 para o 3, os participantes terão como tarefa gravar o material que será editado. Não é necessário ter nenhum equipamento especial. A ideia é usar o que os participantes tiverem à disposição.

A história da telenovela no Brasil é tema de oficina online do Ponto MIS e da Prefeitura

A telenovela influenciou o comportamento e as ideias da sociedade em importantes momentos sociopolíticos do Brasil. Como esse formato televisivo evolui a ponto de se tornar o principal produto cultural do país? Para responder esse e outros questionamentos, o Ponto MIS (Museu da Imagem e do Som), em parceria com a Prefeitura de Hortolândia, realiza a oficina online “Telenovela no Brasil e na América Latina: história e atualidade”. A atividade começará na próxima segunda-feira (12/07) e irá até a sexta-feira (16/07), no horário das 19h às 21h. São 50 vagas disponíveis. Os interessados devem escolher o dia que querem fazer a oficina e se inscrever no link do dia escolhido (veja abaixo a lista dos links de inscrição para cada dia da oficina)

A atividade é para estudantes de graduação e pós-graduação em comunicação, rádio e TV, audiovisual, multimídia e áreas correlatas, roteiristas, dramaturgos, escritores (iniciantes ou não) e ao público em geral interessado no tema. A confirmação da inscrição será enviada por e-mail pela Secretaria de Cultura. A atividade será ao vivo pela plataforma Zoom.

A oficina apresentará um panorama histórico da telenovela, destacando a importância desse formato televisivo no cenário audiovisual brasileiro. O objetivo é estimular a compreensão da história recente do Brasil por meio do cruzamento entre telenovela, cultura e sociedade. Por meio da oficina, os participantes terão ferramentas para analisar as narrativas ficcionais de televisão. A oficina ainda discutirá o futuro da telenovela diante do crescimento e sucesso de séries em plataformas de streaming e conteúdos sob demanda.  

Outra questão que também será abordada é a da memória afetiva sobre a telenovela, com o intuito de evidenciar as potencialidades desse formato como produto de recuperação, produção, atualização, irradiação e manutenção da memória (individual ou coletiva). A oficina também fará uma análise comparativa entre a telenovela brasileira com produções audiovisuais semelhantes produzidas por outros países da América Latina. 

A oficina será ministrada pelo roteirista, dramaturgo e diretor teatral, Lucas Martins Néia. O profissional integra a equipe de oficineiros do Ponto MIS. Integrou a sala de roteiro da série de TV “O Game”, a serviço da produtora angolana Envolve, em 2017. Assinou a dramaturgia do espetáculo “Trans(in)lúcido”, produzido pela Cia. Suspeita de Teatro, da cidade de São Paulo, em 2018. 

Confira abaixo as datas das oficinas e os links correspondentes para inscrição:

– Dia 12/07 (segunda-feira): LINK 

– Dia 13/07 (terça-feira): LINK 

– Dia 14/07 (quarta-feira): LINK 

– Dia 15/07 (quinta-feira): LINK 

– Dia 16/07 (sexta-feira): LINK

A evolução dos monstros no cinema é tema de oficina online do Ponto MIS

Os filmes de monstros exercem um estranho fascínio nas pessoas. O apelo dessas produções está no medo que o ser humano tem do desconhecido. Ao longo de sua história, o cinema criou uma galeria de monstros e criaturas horripilantes que se tornaram personagens icônicos: King Kong, Drácula, Godzilla, Lobisomem, entre outros. Para quem gosta desse gênero de filme, o Ponto MIS (Museu da Imagem e do Som) e a Prefeitura de Hortolândia realizam a oficina “A transformação dos monstros no cinema: das criaturas clássicas ao horror humano”. A oficina será ministrada ao vivo, pelo aplicativo Zoom, a partir da próxima segunda-feira (28/06) até a sexta-feira (02/07), das 15h às 17h. Estão disponíveis 50 vagas. Os interessados devem escolher o dia que querem fazer a oficina e se inscrever no link do dia escolhido (veja abaixo). A oficina é para pessoas com idade a partir de 16 anos. A confirmação da inscrição será enviada por e-mail pela Secretaria de Cultura. 

O objetivo da oficina é estimular o público a refletir sobre as questões “o que é monstruoso”, “bem e mal” e “bonito e feio”. A oficina fará um painel da evolução dos monstros desde os primórdios do cinema até produções recentes. Serão abordados filmes inspirados em personagens de livros famosos, como “O Médico e O Monstro” e “Frankenstein”. 

Outra questão que será levantada na oficina é a da empatia por pessoas com deformidades extremas, consideradas “monstros” em filmes como “O Corcunda de Notre Dame” e “Freaks”. Produção norte-americana de 1932, “Freaks” adquiriu status de “cult” e causou polêmica por contar a história de um circo de “aberrações”, formado por pessoas com deficiências físicas verdadeiras.

A oficina também abrirá espaço para produções cinematográficas recentes, como o clássico “Psicose”, de Alfred Hitchcock, protagonizado pelo assassino psicopata Norman Bates, um jovem aparentemente inofensivo. A oficina será ministrada pelo pesquisador e crítico especializado em filmes de terror/horror, Carlos Primati. O profissional integra a equipe de oficineiros do Ponto MIS.

Confira abaixo as datas das oficinas e os links correspondentes para inscrição:

– 28/06 (segunda-feira): CLIQUE AQUI

– 29/06 (terça-feira): CLIQUE AQUI

– 30/06 (quarta-feira): CLIQUE AQUI

– 01/07 (quinta-feira): CLIQUE AQUI

– 02/07 (sexta-feira): CLIQUE AQUI