Menu


Para construir Centro de Apoio ao Idoso em Hortolândia, Prefeitura e EMS assinam Termo de Doação

Hortolândia ganhará, em breve, um importante espaço para atender pessoas com 60 anos ou mais, em vulnerabilidade social: a “creche do idoso”. Nesta quarta-feira (19/02), os agentes responsáveis pelo projeto, oficialmente chamado de CASI (Centro de Assistência Social ao Idoso), deram mais um passo importante nesse sentido. A Prefeitura e a empresa farmacêutica EMS firmaram Termo de Doação para a implementação e execução do espaço, que será localizado em área doada pelo Poder Público na Rua Antonio Gazzetta (antiga Rua 1), 181, ao lado da Emei (Escola Municipal de Educação Infantil) Miguel Camilo, no Jd. Terras de Santo Antonio.

A cerimônia de assinatura aconteceu na Praça São João Paulo II, no Jd. Santa Clara do Lago, em meio à chuva leve da tarde, e contou com a presença de membros da Melhor Idade do Jd. Amanda, vereadores e diversas autoridades, dentre elas o prefeito Angelo Perugini; o diretor consultivo da EMS, Augusto Viseu Fernandes. O idealizador do projeto, padre Nélson Ferreira de Campos, que acaba de passar por cirurgia, foi substituído pela secretária da Paróquia São João Paulo II, vinculada à Arquidiocese de Campinas, Patrícia Faria Alves Ferreira. O Quarteto Cultura Instrumental animou o evento. A ação é de responsabilidade da Secretaria de Governo, em parceria com a Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social.

Perugini ressaltou o sentimento de gratidão pela parceria com a farmacêutica, que doará R$ 5 milhões somente para a construção da “creche do idoso”. A previsão passada a ele é que a construção esteja concluída em até nove meses, a contar de abril, mês em provavelmente começará a obra. “Já tem uma empresa contratada pela EMS para a execução da obra, já temos projeto (arquitetônico) pronto. São 64 leitos. É uma grande casa. Não é uma obra pequena. Terá piscina, salão de jogos, auditório. Vai ser uma casa muito completa. Tem vários profissionais que vão trabalhar lá, como psicológos, psiquiatra, médicos de clínica geral, dentre outros. Será uma casa híbrida: tem aqueles que vão lá só para passar o dia, se divertem, fazem atividades e voltam para casa à noite; e  tem aqueles que vão dormir lá. Esta empresa serve de exemplo para todas as empresas do município”, valorizou o prefeito.

Em nome de Carlos Sanchez, presidente do Conselho de Administração do Grupo NC, ao qual a EMS pertence, Viseu destacou a boa parceria entre a Prefeitura e o grupo, que vem desde a construção da creche Emiliano Sanchez, vinculada à Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia; e agora se estende às áreas de inclusão social e esportes. Solicitou também aos presentes que se apropriem dos novos espaços, ajudando o Poder Público a mantê-los em bom estado. “Por favor, colaborem. Isto é de todos nós. Não é da EMS, nem do Sr. Carlos Sanches, nem do prefeito. É de toda a comunidade. Procurem nos ajudar e dizer: a coisa é nossa. Estou muito feliz de ver que, quando a gente se une, as coisas saem”, afirmou Viseu, que se mostrou disposto a acompanhar todo o andamento da obra até a inauguração.     

Creche mista

A “creche para idosos” terá capacidade para atender 64 pessoas, de ambos os sexos, metade como asilo e metade como espaço de convivência não asilar, segundo a Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social. O projeto é voltado a pessoas com 60 anos ou mais, em vulnerabilidade social, inscritos no Cadastro Único e com recomendação judicial de medidas protetivas. A iniciativa está em concordância com a política nacional do SUAS (Sistema Único de Assistência Social), cuja proposta é promover a valorização, proteção e cuidados a pessoa idosa.

De acordo com o projeto, apresentado em abril de 2019, a área total construída será de 2.335 metros quadrados, em um terreno com área total de 7.364,86 metros quadrados. Na planta mostrada à comunidade, o espaço terá blocos de apartamento separados para homens e mulheres, recepção, salas administrativas, salas de atendimento individual e em grupo, salão multiúso, refeitório, cozinha, lavanderia, despensas, áreas verdes, área de descanso e varanda coberta. 

O projeto arquitetônico foi doado pela WKM. Caberá à EMS a responsabilidade pela construção do prédio. A Prefeitura cedeu o terreno e, por meio da Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, fará a gestão do CASI, após a conclusão da obra.

“Foram 14 reuniões até chegarmos aqui e ver este sonho começar a ser realizado. O CASI é uma política pública municipal para cuidado e atenção aos idosos, população que também sofre violação de direitos e tem que ter resguardado o seu direito à vida. O centro tem como característica o acolhimento, a convivência e a atenção aos idosos”, ressaltou o secretário de Inclusão e Desenvolvimento Social, Régis Athanázio Bueno.

Quadras de tênis

Na ocasião, a Administração Municipal anunciou outra relevante parceria com a farmacêutica, desta vez, na área esportiva: a construção de duas quadras de tênis – uma na Rua Bolívia, na esquina com a Rua México, no Jd.Santa Clara do Lago; e outra na Rua Jacareí, na esquina com a Rua Wanderley Paz Soares, no Jd. Nova Europa. Os espaços próprios serão construídos pela empresa em espaços doados pela Prefeitura. Segundo a Secretaria de Esporte, o projeto atenderá cerca de 300 jovens atletas,o dobro dos beneficiados atualmente.

Outro aspecto positivo, segundo o secretário Marcos Antônio Panício, o Mercadão, é que as quadras terão dimensões oficiais. Além da obra em si, um investimento de R$ 400 mil, a EMS ficará responsável pela contratação de professor e disponibilização de materiais esportivos. “O projeto representa um ganho para a comunidade esportiva de Hortolândia. Não tínhamos a modalidade de tênis nas escolinhas esportivas. Muitos entendiam este como um esporte de elite, mas não é”, destacou Mercadão.  

Com a construção das quadras, o Projeto Tênis para Todos, realizado com patrocínio da empresa EMS e apoio da Prefeitura, será substituído pelos espaços próprios. Agora, a ação oferece aulas gratuitas para meninos e meninas, dos 6 aos 16 anos de idade, em dois espaços: um no Jardim Amanda, nas quadras localizadas na Rua Casemiro de Abreu, próximas às lagoas do bairro, e outro no Jardim Carmen Cristina, no Parque Socioambiental Remanso das Águas.

PIC

O Projeto CASI faz parte do PIC (Programa de Incentivo ao Crescimento), um conjunto de mais de 100 obras e serviços em realização  pela Administração Municipal para promover o desenvolvimento econômico, urbano, social e humano de Hortolândia. As ações do PIC são realizadas por meio de parcerias com a iniciativa privada e governos estadual e federal.

Alunas têm aula prática no curso de maquiagem da Economia Solidária

As 40 aprendizes do “Curso de Maquiagem Profissional” da Prefeitura tiveram uma aula diferente. Na manhã desta quarta-feira (19/02), trouxeram modelos para participar das atividades práticas da formação. O prefeito Angelo Perugini; o secretário Régis Athanázio Bueno; o diretor do Departamento de Geração de Renda e Economia Solidária, Gérson Ferreira; e o presidente da Câmara Municipal, Valdecir Alves Pereira, passaram pelo local para acompanhar a tarefa. A formação, promovida pelo Programa de Economia Solidária da Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, acontece na sala 9 do HORTOFÁCIL, central de serviços municipais, na Região Central. 

O curso começou no último dia 28 de janeiro e se encerra em 19 de março. As aulas, gratuitas, acontecem duas vezes por semana, às terças e quartas-feiras, das 9h às 11h, e são ministradas pelo Prof. Marcos Vinícius Lima dos Reis, profissional da rede Embelleze, de Sumaré. As alunas têm entre 15 e 25 anos de idade.

Todo o material de maquiagem utilizado na formação é cedido pela própria Prefeitura, bem como a sala de aula, com mesas, cadeiras, lousa e pincéis. Segundo a chefe do Setor de Economia Solidária, Priscila Vicente, o objetivo é oferecer às participantes oportunidade de atualização profissional e de geração de renda.

O HORTOFÁCIL está localizado na Rua Argolino de Moraes, 405, na Vila São Francisco. 

Workshop da Prefeitura ensina idosos a usar mídias sociais com cuidado

Idosos e jovens de Hortolândia aprendendo juntos a navegar com cuidado pelas ondas da internet. Foi assim o “Workshop de Mídias Sociais”, promovido pela Prefeitura. O bate-papo aconteceu, na tarde desta segunda-feira (17/02), no CCS (Centro de Convivência Social) Jd. Rosolen. 

A ação, realizada pela Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, reuniu 33 participantes, 12 adolescentes  e 21 pessoas com 60 anos ou mais. Pelo menos 12 delas já se inscreveram para o 2º módulo do “Curso de Inclusão Digital”, iniciado em 2019 e com retomada prevista para março.

Voltado aos idosos que cursaram o módulo 1, o workshop buscou abordar as facilidades e os riscos envolvidos no uso das redes sociais mais conhecidas pelos brasileiros (Facebook e Instagram). Durante o bate-papo, de cerca de duas horas, os aprendizes receberam dicas sobre o uso das redes, de e-mails, bem como os cuidados com as notícias falsas (“fake news”). O tema foi abordado por oficineiros do CCS.

“Foi um encontro intergeracional, de jovens de 14 anos a idosos de até 78 anos de idade. Foi muito bom e proveitoso. É importante este encontro entre gerações. O jovem se apropria muito das redes, mas para o idoso este acesso digital também é muito importante. Eles têm dúvidas quanto ao uso da internet, do WhatsApp. Ensinamos a checar as informações, a procurar os diversos serviços oferecidos pela Prefeitura para esclarecer estas dúvidas”, avaliou a coordenadora do CCS Rosolen, Eliana Silva.

“Hoje, cada vez mais, a Melhor Idade acessa a internet, mas não tem o hábito de checar as notícias. Acabam formando valores e conceitos a partir das notícias falsas. Estamos ensinando estas pessoas a checarem as notícias, fomentando boas práticas no uso das redes sociais, não ofendendo, não reproduzindo conteúdos racistas, homofóbicos ou grosseiros, estimulando a interação construtiva e a limitação do uso, a moderação no tempo de interação”, comenta o  secretário de Inclusão e Desenvolvimento Social, Régis Athanázio Bueno, quando do lançamento do Curso de Inclusão Digital.

 

Prefeitura e EMS assinam Termo de Doação para construção do Centro de Apoio ao Idoso, nesta quarta (19/02)

A Prefeitura de Hortolândia e a empresa farmacêutica EMS assinam, nesta quarta-feira (19/02), às 13h30, Termo de Doação para a implementação e execução do Projeto CASI (Centro de Assistência Social ao Idoso), a chamada “creche do idoso”, idealizada pelo padre Nélson Ferreira de Campos, da Paróquia São João Paulo II, vinculada à Arquidiocese de Campinas. O evento acontecerá na Praça São João Paulo II, localizada entre a Rua México e a Rua da Mina, no Jd. Santa Clara do Lago.

Na ocasião, a Administração Municipal anunciará a realização de outros projetos, na área esportiva, em parceria com a empresa, sediada em Hortolândia. A ação é de responsabilidade da Secretaria de Governo, em parceria com a Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social.

A “creche para idosos” será construída no Jd. Terras de Santo Antonio e terá capacidade para atender 64 pessoas, de ambos os sexos, metade como asilo e metade como espaço de convivência não asilar. O projeto é voltado a pessoas com 60 anos ou mais, em vulnerabilidade social.

PIC

O Projeto CASI faz parte do PIC (Programa de Incentivo ao Crescimento), um conjunto de mais de 100 obras e serviços em realização  pela Administração Municipal para promover o desenvolvimento econômico, urbano, social e humano de Hortolândia. As ações do PIC são realizadas por meio de parcerias com a iniciativa privada e governos estadual e federal.

Evento Hip Hop Solidário da Prefeitura reúne cerca de 1.000 pessoas

Cerca de 1.000 fãs do universo artístico-cultural do hip hop passaram pela Emef (Escola Municipal de Ensino Fundamental) Jd. Amanda I (CAIC), no último sábado (15/02), durante o 2º Hip Hop Solidário, evento promovido pela Prefeitura de Hortolândia. A grande vencedora da Batalha de Break Dance foi a B-girl Fran, que disputou com outros 15 participantes, 14 deles homens. A sumareense de 24 anos, Francine Bueno Ishibashy, optou por dividir o prêmio com o colega de Campinas, Marcelo Rodrigues Marculino, o B-boy Marcelinho, de 34 anos, que disputou a Batalha Final com ela. Na disputa de Rima, que mobilizou oito participantes, o prêmio foi para Misrael Souza, de Hortolândia.

Além das batalhas de rima e de break dance, o evento contou com diversas atrações culturais. Teve graffiti com Leandro Kranium e convidados, intervenções poéticas (Slam) ao longo da tarde e apresentação de artistas locais, como a dupla hortolandense de mãe e filha, Lê e Juliana Veloso. Um dos destaques foi o show de rap com o cantor Dexter. Os secretários Régis Athanázio Bueno (Inclusão e Desenvolvimeto Social) e Alessandra Amora Barchini (Cultura) deram as boas-vindas aos presentes.

O objetivo da ação, promovida pela Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, em parceria com a de Cultura, foi justamente estimular "o intercâmbio de conhecimento, de cultura da arte urbana (apresentando as especificidades de artistas de diferentes regiões) e de vivências, entre os artistas e os moradores da região, promovendo a arte e a cultura hip-hop, possibilitando o contato dos atendidos pelas redes socioassistenciais e os munícipes em geral de Hortolândia com o universo artístico e cultural, além dos três elementos da cultura hip-hop (rap, dança de rua e graffiti)”, segundo os organizadores.

“Considerando que Hortolândia é um polo do movimento Hip Hop, vários artistas com carreiras consolidadas iniciaram na cidade, o evento permite uma valorização e fortalecimento de artistas e pessoas que gostam e estão inseridos nessa cultura. Para os atendidos nas nossas redes socioassistenciais, o contato com essa cultura pode possibilitar que alguns reconheçam suas habilidades e se sintam motivados para que iniciem seus estudos e objetivos, profissionais ou recreativos, através dos diferentes caminhos da liberdade de expressão”, ressaltou o secretário de Inclusão e Desenvolvimento Social, Régis Athanázio Bueno.

A primeira edição do Hip Hop Solidário, em 2019, reuniu cerca de 600 pessoas.

Banca de troca de livros

O evento contou também com uma banca de troca de livros usados, montada pela Biblioteca Municipal “Terezinha França de Mendonça Duarte”. A banca funcionou das 13h às 17h e realizou 110 trocas de obras literárias. Foram disponibilizadas de 300 a 400 títulos para troca. 

De acordo com o coordenador da biblioteca, Rafael Antonio da Silva, a banca teve movimento maior do que na primeira edição do Hip Hop Solidário. “O evento foi positivo. Muitos participantes, não só os que foram prestigiar o evento como também os competidores, levaram livros para trocar. A avaliação é positiva tanto pelo aspecto do aumento da procura da banca, como também das pessoas que realizaram as trocas e saíram satisfeitas com o material encontrado. Por isso, é tão importante focarmos na qualidade dos livros levados e na organização deles e não somente na quantidade de trocas feitas”, avalia Silva.

Evento Hip Hop Solidário da Prefeitura é neste sábado (15/02)

Quem integra o universo artístico-cultural do hip hop na região já tem agenda certa neste final de semana. A Prefeitura de Hortolândia promove, neste sábado (15/02), o 2º Hip Hop Solidário. O evento, gratuito e aberto ao público, começa a partir das 12h, na Emef (Escola Municipal de Ensino Fundamental) Jd. Amanda I (CAIC), localizada na Rua Graciliano Ramos, 698. Haverá batalhas de rima e de break dance, bem como diversas atrações culturais, dentre elas apresentações musicais.

Os 16 participantes da Batalha de Dança e os oito da Batalha de Rima já foram definidos (veja abaixo), nas etapas classificatórias. Segundo a Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, haverá durante o evento, paralelamente, batalhas de rimas e de b.boys e b.girls, em competições de breakdance, uma dança de rua, e intervenções poéticas. 

O objetivo da ação, realizada pela Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, em parceira com a Secretaria de Cultura, é “promover a arte e a cultura hip-hop, possibilitando o contato dos atendidos pelas redes socioassistenciais e os munícipes em geral de Hortolândia com o universo artístico e cultural, além dos três elementos da cultura hip-hop (rap, dança de rua e graffiti)”. Ainda segundo os organizadores, a ideia é estimular "o intercâmbio de conhecimento, de cultura da arte urbana (apresentando as especificidades de artistas de diferentes regiões) e de vivências, entre os artistas e os moradores da região”.

A primeira edição, em 2019, reuniu cerca de 600 pessoas. Considerando a estrutura e as atrações culturais de renome, a previsão para a edição deste ano é reunir até 1.000 neste ano. A abertura do evento ficará por conta da dupla hortolandense Lê Veloso e Juliana Veloso. Mãe e filha (agora com 11 anos) apresentarão o “Rap de Hortolândia”, criado em 2018, em um projeto de escola, para homenagear a cidade. 

Além delas, o 2º Hip-Hop Solidário terá apresentação musical de outros artistas da região; graffiti com Leandro Kranium e convidados; intervenções poéticas (Slam) e show de rap com o cantor Dexter.

“Considerando que Hortolândia é um polo do movimento Hip Hop, vários artistas com carreiras consolidadas iniciaram na cidade, o evento permite uma valorização e fortalecimento de artistas e pessoas que gostam e estão inseridos nessa cultura. Para os atendidos nas nossas redes socioassistenciais, o contato com essa cultura pode possibilitar que alguns reconheçam suas habilidades e se sintam motivados para que iniciem seus estudos e objetivos, profissionais ou recreativos, através dos diferentes caminhos da liberdade de expressão”, afirma o secretário de Inclusão e Desenvolvimento Social, Régis Athanázio Bueno.

 

SERVIÇO:

2º Hip Hop Solidário

Data: sábado (15/02/2020)

Hora: a partir das 12h

Local: Emef (Escola Municipal de Ensino Fundamental) Jd. Amanda I (CAIC), localizada na Rua Graciliano Ramos, 698

 

Confira os classificados para a Batalha de Rimas:

1.Misrael Souza

2.MC Prós – Wesley Maciel

3.MRC – Marcos Antonio

4.Neno MC – Carlos Henrique

5.Lira MC – Matheus Lira

6.MC Malvadão

7.WP - Brendon Andrade

8.Conduta

 

Confira também os classificados para a Batalha de Break Dance:

1.Roger de Páscoa Matheus - Bboy Roger

2.Paulo Ricardo da Silva - B.boy Tuketty

3.Jefferson Andrade biernotzi - Jé lunáticos

4.Jonatas da rocha - Bboy Jhow

5.Gleidison Siqueira Monteiro Dedex

6.Roberto Carlos - Bboy Robertinho

7.Marcelina Manuela Francisca da Silva - B-Girl Marcelina

8.Gustavo Neri - BBOY NERI SAN

9.Francine Bueno Ishibashy - Bgirl Fran

10.Andre Luis de Oliveira Pinto - Bboy Dré

11.Raimax Silva - Bboy Max

12.Lucas Da Silva Ferreira – Lukings

13.William Silvia Alencar de sousa – William

14.Fernando de Oliveira Quintanilla – Fernandinho

15.Hugo Xavier - Bboy Xavier

16.Miguel Inacio Dos Santos - Miguel

Assinar este feed RSS