Menu


Prefeitura disponibilizará atividades pedagógicas para alunos da rede municipal, durante suspensão de aulas

Durante a temporada em casa, em razão das medidas de contenção do Coronavírus no município, estudantes da rede municipal de Hortolândia poderão manter a rotina de estudos, com a ajuda da família. Nesta semana de adaptação (16 a 20/03), a Prefeitura disponibilizará atividades e materiais didáticos, voltadas a cada ano letivo, de acordo com os conteúdos previstos pela BNCC (Base Nacional Comum Curricular). Pais e responsáveis devem procurar a unidade escolar em que o filho está matriculado para buscar os materiais.

A medida da Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia visa unir esforços com a comunidade escolar para reforçar, durante o período em casa, o conteúdo pedagógico trabalhado na escola até o momento, apoiando e motivando os alunos.  Atualmente a rede é formada por 57 escolas, com cerca de 26 mil estudantes matriculados. 

“É importante que, nesta semana, as escolas orientem os pais. Não é que as aulas serão suspensas a partir do dia 23, por tempo indefinido, e as crianças podem ficar na rua e ir na casa do amigo. O objetivo é que cada criança fique na sua casa, justamente para que não tenha o perigo do contágio”, afirmou a secretária de Educação, Ciência e Tecnologia, Sandra Fagundes Freire. 

Para Juliana Schadeck Simões Lima, mãe de Isaque Schadeck Simões Evangelista de Lima, de 7 anos, estudante do 2° ano D, na Emef (Escola Municipal de Ensino Fundamental) Janilde Flores Gaby do Vale, as atividades para casa são muito bem-vindas. “Acho muito importante que tenha as atividades em casa, juntamente com os livros, porque assim a criança não fica ansiosa e tem o horário específico para estudar e se dedicar à leitura. Se, normalmente, já é tão importante estudar, agora, com esta paralisação, é fundamental ter o apoio da Prefeitura, dos professores, da área da educação, para ter estas atividades em casa”, afirma a mãe. 

Calendário escolar

A secretária de Educação explica que outras alterações no calendário escolar serão comunicadas, assim que possível. “Após a criação do Comitê de Prevenção e Monitoramento do Coronavírus, por iniciativa do prefeito, formou-se outro grupo, com membros da Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia; da Saúde; de Assuntos Jurídicos e de Administração, que tem se reunido periodicamente no gabinete para lidar com esta situação diferenciada, que muda de um dia para outro. A ideia é que a gente tome cuidado e Hortolândia forme um bloqueio em torno da cidade e não tenhamos ninguém contaminado”, ressalta a secretária.

A parceria escola-comunidade é essencial para o bom enfrentamento da situação, segundo Sandra. “É importante que as pessoas não entrem em pânico e entendam que tudo o que fazemos aqui tem caráter preventivo, para que a gente não passe por uma situação mais grave. Estamos seguindo o protocolo do MEC (Ministério da Educação) e da Secretaria de Estado da Educação. Estas atitudes não são isoladas. Fazem parte de atitudes preventivas, organizadas junto com a Secretaria de Educação Estadual. Haverá alterações no calendário escolar, mas ainda não temos isso definido. Vamos monitorar e definir, conjuntamente, os próximos passos, a partir do comportamento do vírus e do enfrentamento da doença na nossa região”, explicou a secretária de Educação.

 

Saiba como ficam as aulas nas escolas municipais, estaduais e particulares de Hortolândia

Na semana de 16 a 20/03: as escolas ficarão abertas para receber alunos cujos pais não têm com quem deixar crianças e jovens. As faltas serão abonadas. As atividades serão voltadas à prevenção da COVID-19, doença transmitida pelo Coronavírus. É uma semana de adaptação, para que os pais possam se planejar.

A partir de 23/03: para evitar a propagação do Coronavírus, as aulas serão suspensas por tempo indeterminado. O objetivo é evitar a aglomeração de pessoas.

 

Para evitar disseminação do Coronavírus, Prefeitura ensina estudantes a higienizar as mãos

A partir desta segunda-feira (16/03), estudantes da rede municipal de ensino de Hortolândia aprendem uma nova lição: como lavar as mãos de modo eficaz, seguindo protocolos de higienização semelhantes aos adotados pelos profissionais de saúde e preconizados pela OMS (Organização Mundial de Saúde). A medida, adotada em todas as 57 escolas da Prefeitura, beneficia cerca de 26 mil alunos e visa contribuir para a saúde coletiva, ajudando a reduzir a propagação do Coronavírus, agente transmissor da COVID-19.

Estes e outros procedimentos estão em pauta e vêm sendo trabalhados pelos professores para que os estudantes se previnam e também sejam agentes multiplicadores. Na Emef (Escola Municipal de Ensino Fundamental) Dona Ana Bodini Januário, por exemplo, graças à parceria entre as secretarias de Saúde e de Educação, Ciência e Tecnologia, crianças e jovens aprenderam na prática, com o enfermeiro Renato Machado, os 10 passos para uma higienização eficaz, capaz de evitar a COVID-19 (veja abaixo). É preciso lavar, detalhadamente, diversas partes, como palmas, dorso, região entre dedos, polegares, unhas e punhos. 

“A prática da lavagem de mãos é a melhor forma de prevenir o Coronavírus. O ambiente escolar tem muitas crianças, em contato com outras crianças, e acabem indo para casa e lá tem o vovô e a vovó, e outras pessoas mais suscetíveis de ter a doença. A lavagem de mãos é uma forma efetiva, eficaz, muito eficiente de prevenção, sobretudo para as crianças. Além de aprender aqui na escola, quando chegam em casa vão cobrar do pai e da mãe que façam a lavagem das mãos, o que é muito importante. O ideal é que seja feita quando o aluno chega a escola, antes e depois de ir ao banheiro, antes e depois das refeições, bem como após atividades físicas e situações em que tenha contato com materiais do meio ambiente, como terra, plantas, flores e objetos”, explica o enfermeiro.

Nova rotina

Nesta semana, em razão dos cuidados para conter a doença, a rotina nas escolas está alterada. Até sexta-feira (20/03), as atividades pedagógicas regulares estão sendo substituídas por conversas e práticas voltadas à prevenção da COVID-19. É uma semana de adaptação para que pais e responsáveis se organizem e vejam quem na família poderá ficar com crianças e jovens a partir do dia 23 deste mês, uma vez que as aulas estarão temporariamente suspensas, por determinação da Seduc/SP (Secretaria da Educação de São Paulo).

“Esta semana as escolas ainda estão abertas, devido às orientações. Mas, na semana que vem, as aulas estarão suspensas, tendo em vista o combate ao vírus. É preciso que os pais dos alunos tenham tranquilidade, mas procurem se isolar com suas famílias, manter as crianças dentro de casa, porque as aulas serão suspensas justamente pela preocupação com a contaminação. Então, não permitam que crianças saiam de casa. Que as famílias possam se poupar para que nós tenhamos esta ação preventiva e Hortolândia possa estar preparada e não ser um ambiente que proporcione contaminação”, afirma a secretária de Educação, Ciência e Tecnologia, Sandra Fagundes Freire.  

 

Saiba como ficam as aulas nas escolas municipais, estaduais e particulares de Hortolândia

Na semana de 16 a 20/03: as escolas ficarão abertas para receber alunos cujos pais não têm com quem deixar crianças e jovens. As faltas serão abonadas. As atividades serão voltadas à prevenção da COVID-19, doença transmitida pelo Coronavírus. É uma semana de adaptação, para que os pais possam se planejar.

A partir de 23/03: para evitar a propagação do Coronavírus, as aulas serão suspensas por tempo indeterminado. O objetivo é evitar a aglomeração de pessoas.

 

Veja os 10 passos da lavagem de mãos:

1.Molhar as mãos

2.Pôr sabonete

3.Lavar as palmas

4.Lavar o dorso

5.Lavar entre os dedos

6.Lavar polegares

7.Lavar unhas

8.Lavar punhos

9.Secar as mãos com papel toalha

10.Fechar a torneira, usando papel toalha

Alunos da rede municipal visitam exposição com réplicas do pintor Van Gogh

Arte para encher os olhos e iluminar a alma. É assim a obra do pintor holandês Vincent Van Gogh, um dos grandes nomes da arte ocidental, pós-impressionista. Estudantes da rede municipal de Hortolândia tiveram, na manhã desta quarta-feira (11/03), a oportunidade de conhecer de perto parte do acervo do artista, em cópias à mostra na exposição “Paisagens de Van Gogh”, no Shopping Iguatemi, em Campinas. A ação tem o apoio da Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia.

O grupo reuniu 45 alunos de três salas do 5o. ano da Emef (Escola Municipal de Ensino Fundamental) Samuel da Silva Mendonça, no Jardim Nova Europa, bem como professores de sala, funcionários e membros da equipe gestora. A visita mobilizou a comunidade escolar, que se organizou para que a viagem acontecesse.

Conhecido pelos autorretratos e pelos girassóis, Van Gogh é um dos artistas estudados pelos alunos da escola no projeto político pedagógico deste ano. 

Réplicas de obras do artista, em geral paisagens, naturezas-mortas, retratos e autorretratos, estão expostas em oito salas.

De acordo com o site do shopping, a entrada é gratuita e a exposição, na praça de eventos do terceiro piso, se encerra no dia 29 deste mês. Pode ser visitada de segunda a sábado, das 10h às 22h, e aos domingos e feriados, das 11h às 20h.

 

Cartilhas voltadas a alunos da rede municipal ensinam a combater doenças transmitidas pelo Aedes aegypti

A partir desta semana, estudantes da rede municipal de Hortolândia contam com uma ferramenta a mais na prevenção e combate às doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, mosquito transmissor da Dengue, Zika e Chikungunya. São as cartilhas “Juntos no combate ao Mosquito da Dengue”, publicadas em duas versões: uma para estudantes do Jardim II e outra para os do Ensino Fundamental. O material foi entregue, nesta terça-feira (10/03), a 36 coordenadores pedagógicos, durante reunião preparatória realizada no Centro de Formação dos Profissionais em Educação “Paulo Freire”, no Remanso Campineiro. 

As cartilhas editadas pela Prefeitura contêm atividades lúdicas, interativas e informativas sobre o agente transmissor e resultam da parceria entre as secretarias de Saúde e de Educação, Ciência e Tecnologia, bem como do Comitê de Arboviroses e da Agemcamp (Agência Metropolitana de Campinas). O material de uso individual e consumível é destinado a alunos entre cinco e 11 anos de idade, do Jardim II (Educação Infantil) ao e 1º e 5º anos (Ensino Fundamental). A medida envolve 28 escolas da rede municipal, beneficiando mais de 13.500 alunos, segundo dados da Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia. 

“Com o material educativo em mãos, espera-se a continuidade das ações preventivas, quando alunos e professores das escolas de Hortolândia tenham mais uma ferramenta de informação e orientação sobre os cuidados necessários na prevenção à Dengue e outras doenças transmitidas pelo mosquito, multiplicando estes conhecimentos aos familiares e à comunidade na qual a escola está inserida”, afirma uma das coordenadoras pedagógicas responsáveis pelo projeto, Sonarli Gomes.

Em 2019, o projeto levou até as escolas a peça de teatro “Pra Todo Mundo Poder Brincar”. O musical encenado pelo grupo local Verônicas também tratava do mesmo tema, de maneira lúdica, por meio da linguagem artística.

Sonarli ressalta que o projeto é resultado das discussões nas reuniões do Comitê de Arboviroses e da compilação de atividades sugeridas pelos próprios coordenadores pedagógicos das unidades escolares no ano passado. O tema integra o projeto político pedagógico das escolas municipais.

 

Alunos municipais em fase de alfabetização ganham reforço em sala de aula

Estudantes matriculados nos anos iniciais do Ensino Fundamental na rede municipal de Hortolândia contam com uma ajuda a mais, dentro de sala de aula, no processo diário de ensino-aprendizagem. É o programa Mais Alfabetização, realizado pela Prefeitura, por meio da Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia, que visa auxiliar crianças de 1º e 2º anos com maior dificuldade de aprendizagem. A iniciativa emprega verbas reprogramadas, de origem federal, para beneficiar atualmente 2.780 alunos, graças à atuação dos chamados assistentes de alfabetização.

Em Hortolândia, o programa acontece desde 2018, na rede municipal. No início desta semana (02 e 03/03), antes da retomada das atividades em sala, profissionais da educação de 18 escolas participaram de formação específica sobre o programa e como funciona, no Centro de Formação “Paulo Freire, no Remanso Campineiro. 

“A formação foi elaborada para passar os informes gerais do programa e atender um tema que fosse de relevância para o trabalho deles, desta vez, o lúdico na sala de aula”, afirma Carla Borrego Varani, uma das coordenadoras pedagógicas responsáveis pelo programa, junto com a colega Angélica Miranda. “Fazemos visitas nas escolas para passar as orientações necessárias e acompanhar o trabalho. É um programa muito bom, haja vista a necessidade de um maior acompanhamento para os alunos com dificuldades”, complementa a profissional.

Veja as escolas participantes do “Programa Mais Alfabetização”:

1.EMEF Armelinda Espúrio da Silva

2.EMEF Samuel da Silva Mendonça

3.EMEF Profª Helena Futava Takahashi

4.EMEF Profª Maria Célia Cabral Amaral

5.EMEF Villágio Ghiraldelli

6.EMEF Jd. Amanda I (CAIC)

7.EMEF ProfªJanilde Flores G. do Vale

8.EMEIEF Jd. Nossa Senhora Auxiliadora

9.EMEB Interlagos

10.EMEIEF Santa Esmeralda

11.EMEF Jd. Boa Esperança José Roque de Moura

12.EMEF Fernanda Grazielle R. Covre

13.EMEF Agenor Miranda da Silva – Taquara Branca

14.EMEF Nicolas Thiago dos Santos Lofrani

15.EMEF Dona Ana José Bodini Januário

16.EMEF Profª Marleciene Priscila Presta Bonfim

17.EMEIEF Jd. Adelaide

18.EMEF Dra. Zilda Arns Neumann

Prefeitura entrega cadeiras de rodas a instituições beneficiadas pela campanha do lacre solidário

Duas instituições de Hortolândia, que atendem o segmento PCD (Pessoa com Deficiência), receberam, na tarde desta terça-feira (03/03), cadeiras de rodas doadas pela Prefeitura. Os equipamentos são oriundos da campanha do Lacre Solidário que, em 2019, teve como parceira a empresa Allcost Alumínios, de Boituva. Duas delas foram entregues ao Cier (Centro Integrado de Educação e Reabilitação) “Romildo Pardini” e outras duas, ao Cadefi (Centro de Apoio ao Deficiente Físico). A secretária de Educação, Ciência e Tecnologia, Sandra Fagundes Freire, e a coordenadora pedagógica responsável pelo projeto, Carla Borrego Varani, participaram da entrega.

Este é o segundo ano consecutivo que alunos da rede municipal participam da campanha. A iniciativa mobilizou cerca de 25 mil estudantes em todas as 57 escolas da Prefeitura. Ao longo do ano, os participantes juntaram 636 garrafas cheias de lacres metálicos, 43 a mais que em 2018. O total foi suficiente para conquistar quatro equipamentos novos e ainda render o saldo de 76 garrafas para a edição de 2020. Para ganhar cada cadeira de rodas, é preciso juntar 140 garrafas cheias de lacres metálicos.

Segundo a coordenadora pedagógica Carla Borrego, estas são instituições que costumam emprestar cadeiras de rodas a pessoas que não têm condição de adquirir o equipamento. O próprio Cier, unidade que integra a rede municipal de ensino, foi o campeão de arrecadação em 2019, com 62 garrafas cheias de lacres.

“O projeto envolveu a todos e tem uma grande importância, pois cada um reconhece sua responsabilidade num ato de solidariedade ao ser tocado a ajudar o próximo. A campanha foi um sucesso por envolver todas as escolas, os alunos e famílias. Além de trabalharem a solidariedade e a educação ambiental, este é um processo permanente, no qual os indivíduos e a comunidade tomam consciência do seu meio”, ressaltou Carla.

Em 2018, as escolas municipais arrecadaram 593 garrafas PET cheias de lacres de latinhas de alumínio, que foram trocadas por quatro cadeiras de rodas junto à concessionária AutoBan, que administra as rodovias Anhanguera e Bandeirantes.

Neste ano, a campanha de arrecadação continua, porém ainda não foi definida a instituição parceira que se responsabilizará pela troca.

Assinar este feed RSS