Menu


Mais de 400 estabelecimentos comerciais não-essenciais são fechados pela Operação de Orientação sobre Coronavírus

Até agora, aproximadamente 450 estabelecimentos comerciais não-essenciais, flagrados funcionando, tiveram que fechar as portas, graças à atuação da Operação de Orientação sobre o Coronavírus, iniciada no final de semana pela Prefeitura de Hortolândia. O balanço foi divulgado, nesta quinta-feira (26/03), pela Guarda Municipal, força de segurança da Administração Municipal. A Operação é realizada em parceria com a Secretaria de Mobilidade Urbana, o Setor de fiscalização e a Vigilância Sanitária.

A força-tarefa intensificou, diariamente, o patrulhamento em toda a cidade para fazer cumprir o que estabelece o decreto 4.383, de 21/03/2020, que proíbe, temporariamente, o funcionamento presencial de comércios não-essenciais no município, para conter a disseminação do Coronavírus (COVID-19).

"Os guardas municipais de Hortolândia orientam a população e recebem denúncias, além de realizarem flagrantes sobre a situação de aglomeração de pessoas. A operação é realizada desde o final de semana passada, em toda a cidade, com o intuito de preservar a saúde das pessoas”, explica o secretário de Segurança, Joldemar Nunes Correa.

A Operação de Orientação sobre o Coronavírus é realizada com o apoio de um carro de som, que passa mensagens informativas. Segundo a Secretaria de Segurança, os flagrantes mais comuns são realizados em bares e lojas de material para construção. Em caso de desobediência ao decreto municipal, a ação poderá ser considerada crime e os envolvidos, encaminhados para a delegacia e responder pelos atos.

“É necessária a compreensão de todos para zelarmos pela saúde da população", ressalta Correa.

Denúncias que caracterizem aglomeração de pessoas podem ser realizadas à corporação, a qualquer hora do dia ou da noite, pelo telefone 153 ou 0800-111-580.

Confira abaixo os telefones disponíveis para informações e dúvidas sobre o Coronavírus:

(19) 99976-2434

(19) 99929-8987

(19) 97171-5369

(19) 99976-2498

(19) 99976-2276

(19) 99920-3204

#HortolândiaSolidária #FiqueEmCasa #Coronavírus

 

Programa “Bem Me Quer, Paz Se Quer” de prevenção às drogas conscientizará 1.300 estudantes neste ano

As aulas do programa “Bem Me Quer, Paz Se Quer” de prevenção às drogas, realizadas por agentes da Guarda Municipal da Prefeitura de Hortolândia, estão de volta. Ao final deste ano letivo, 28 escolas da rede municipal de ensino terão recebido o “Bem Me Quer, Paz Se Quer”, beneficiando aproximadamente 1.300 alunos da rede municipal de ensino.

De acordo com a Secretaria de Educação, no primeiro semestre deste ano, as aulas dos agentes serão realizadas em 14 escolas de ensino fundamental, atendendo aproximadamente 650 alunos de 49 turmas. Já no segundo semestre, serão atendidas outras 14 escolas em 48 turmas totalizando mais 650 alunos. As crianças atendidas pelo programa são estudantes do ensino fundamental, com faixa etária entre nove e 14 anos de idade.

"Nossos estudantes aprendem valores nas aulas deste importante projeto. Respeito e estar ao lado da família, além de se afastar do mundo da criminalidade são diretrizes importantes para ajudarmos na formação dos nossos jovens", explica o secretário de Segurança, Joldemar Nunes Correa.

2019

No ano passado, a Administração também entregou 1.300 certificados de formação para alunos da rede municipal de ensino. Os familiares dos formandos acompanharam as atividades que, além de premiar os jovens com a entrega do diploma, mostraram, em cada escola, um painel com vídeos dos melhores momentos das aulas realizadas pelos guardas municipais. 

BEM ME QUER, PAZ SE QUER

No projeto, criado pelo prefeito Angelo Perugini, em agosto de 2008, os alunos usam livro guia, onde recebem informações e orientações sobre os riscos trazidos pelo uso e abuso de drogas, tanto lícitas (como álcool e cigarro), quanto ilícitas. De maneira lúdica, por meio de histórias e dinâmicas, os agentes de prevenção do Núcleo de Desenvolvimento/Setor de Projetos Sociais da GM (Guarda Municipal) também abordam outros temas delicados, como cerol, bullying e cyberbullying, violência doméstica, festas “rave”, beber e dirigir, assim como autoestima, autoconhecimento, respeito e importância da família.

Para receber o certificado, os alunos participaram de 50 minutos de aula por semana. Os agentes apresentam às crianças e aos jovens situações-problema para nelas despertar a responsabilidade pelas próprias escolhas e as inevitáveis consequências de seus atos, tanto no presente quanto no futuro.

 

Assinar este feed RSS