Menu


Prefeitura entrega kits de material escolar

Cadernos; lápis preto; apontador com depósito; borracha; canetas esferográficas; tesoura escolar; régua; pincel e tinta guache; cola branca; gizão de cera; massa de modelar e lápis de cor (12 cores); pasta polionda. Estes e outros itens indispensáveis ao ensino-aprendizado compõem os kits de material escolar que a Prefeitura de Hortolândia entrega, neste início de ano letivo, aos alunos matriculados nas 58 unidades da rede municipal de ensino. A ação da Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia beneficia diretamente mais de 26 mil estudantes da cidade, do Berçário à EJA (Educação de Jovens e Adultos).

Os kits começaram a ser distribuídos às escolas na semana passada. O processo de entrega deve ser concluído até o final deste mês, de acordo com a secretária da pasta, Sandra Fagundes Freire. Nesta segunda-feira (17/02), ela e demais integrantes da equipe gestora da Educação visitaram mais três escolas municipais para conversar com pais, responsáveis e estudantes, durante as cerimônias oficias de entrega de uniformes e de kits de material escolar. Os eventos foram nas Emefs (Escolas Municipais de Ensino Fundamental) Profª. Marleciene Priscila P. Bonfim, no Remanso Campineiro; e Profª.  Helena F. Takahashi, no Jd. Campos Verdes; e a Emeief Profª Zenaide Ferreira de Lima Seorlin, também no Remanso Campineiro.

Parte dos itens, de uso individual, já está sendo entregue aos alunos; a outra parte, de uso coletivo, será utilizada em sala de aula. Ao todo, a Prefeitura distribui neste ano 23.900 kits de material, organizados em oito tipos – três kits destinados à Educação Infantil; três ao Ensino Fundamental e dois para a EJA.

Uniformes escolares

Assim como os materiais, a Prefeitura estima para o final do mês o término da entrega dos uniformes escolares (kits de verão). Cada criança recebe duas camisetas e uma bermuda para usar nos dias mais quentes de Primavera e Verão. Para maio está prevista a entrega dos kits de inverno, com agasalho e calça, a ser usado em época de temperaturas mais baixas.

“Depois do planejamento e da Jornada Pedagógica, começamos o ano com tudo organizado. Uniformes e materiais escolares são um direito da criança. Ficamos felizes porque conseguimos fazer isso na rede municipal”, afirmou a secretária Sandra Fagundes Freire. 

Neste ano, foram confeccionados 27 mil kits de uniformes de verão. A Prefeitura entregará, ao todo, 81 mil peças -- 27 mil bermudas e 54 mil camisetas, segundo informações da Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social.

Para a comunidade escolar, a entrega dos kits de verão significa mais economia, segurança e praticidade, no dia a dia. “Os uniformes são itens importantes da vida escolar da criança, primeiro, porque auxiliam muito na questão da segurança. Todas as crianças indo e voltando, permanecendo na escola uniformizadas, isso garante que rapidamente sejam identificadas como alunos da rede municipal. Segundo, o fato de a criança ter o uniforme todos os anos contribui de forma significativa para a economia familiar”, ressalta Sandra. 

Projeto social

Os kits de verão foram produzidos por 60 bolsistas do Programa Acerte (Ação Cidadã de Requalificação Trabalho e Educação), projeto social da Prefeitura que envolve moradores de Hortolândia em vulnerabilidade social, com idades entre 18 e 60 anos. Graças à iniciativa, os participantes têm a oportunidade de aprender uma profissão e, na etapa prática da formação, confeccionar os kits de uniformes usados nas escolas municipais. Como contrapartida, os bolsistas recebem cesta básica, vale transporte e bolsa de R$ 710/mês.

Confeccionados em tecido antialérgico, os uniformes de verão começaram a ser produzidos em abril de 2019. A produção dos primeiros kits se encerrou em outubro. De acordo com o Departamento de Geração de Renda e Economia Solidária, a produção teve ritmo acelerado, com a preparação de cerca de 1.200 peças, por dia, 200 a mais que no ano passado.“Acreditamos que esse programa, com o viés de transferência de renda, propicia ao bolsista a reinserção no mercado de trabalho com uma profissão cuja mão de obra é sempre necessária, além da possibilidade de serem empreendedores e atuarem de forma autônoma”, afirma o diretor Gérson Ferreira.

Geração de renda

O curso de Costura Industrial tem duração de 1.660 horas/aulas (cerca de um ano) e disponibiliza 60 vagas a cada ano, 30 pela manhã e 30 à tarde. A formação é ministrada no CQP II (Centro de Qualificação Profissional) Costura & Moda, localizado na Rua Eleusina Batista Silva, 14, no Jardim Terras de Santo Antonio. 

O projeto é voltado a pessoas em situação de vulnerabilidade socioeconômica. A seleção é feita por meio dos CRAS (Centros de Referência de Assistência Social) existentes na cidade e do CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social). O objetivo é proporcionar aos aprendizes a possibilidade de reinserção no mercado profissional ou de se tornarem empreendedores.

“As aprendizes saem deste curso bem preparadas, prontas para o mercado de trabalho. Essa evolução foi constatada na rapidez com que foram confeccionados os nossos uniformes de verão”, destacou o secretário de Inclusão e Desenvolvimento Social, Régis Athanázio Bueno.

 

Confira o calendário de entrega dos kits escolares (uniformes de verão e materiais):

17 de fevereiro  - Segunda-feira

7h30 |EMEF Profª. Marleciene Priscila P. Bonfim | 

R. Maria de L. C. Cancian, 92 - Rem. Campineiro 

10h30 |EMEF Profª.  Helena F. Takahashi  | 

R. da Confibra, 55 - Jd. Campos Verdes

13h30 |EMEIEF Profª.ªZenaide Ferreira de Lima Seorlin

R. José Camilo de Camargo, 333 – Rem. Campineiro

 

18 de fevereiro   -  Terça-feira

7h30 | EMEIEF Sebastiana das Dores Moura

R. Orlando Cavalcante, 200 – Vila Real 

10h30| EMEF Caio Fernando Gomes Pereira 

R. Aurora P. Tanachi, 995 - Jd. N. Sra. Auxiliadora

13h30 | EMEF Profª. Lilian C. M. de Araújo

R. 02, 325 – Jd. Estefânia

 

19 de fevereiro   - Quarta-feira

7h30 | EMEF Armelinda Espúrio da Silva 

Av. João Coelho, 10 - Jd. N. Sra. de Fátima

10h30| EMEI Leonilda Alves Valenzuella

R. Antônio Viegas, 45  -  Núcleo Santa Izabel 

13h30 | EMEF Dayla Cristina S. de Amorim

R. Salvador (Rua Projetada 4), 500 - Jd. Santiago

 

20 de fevereiro   -  Quinta-feira

7h30 | EMEF Nicolas Thiago dos S. Lofrani

R. Lealdo José dos Santos, 170 - Jd. Sumarezinho

10h30     EMEIEF Jd. Santa Esmeralda 

R. Hélio Marcelino, 60 -  Jd. Sta. Esmeralda

13h30    EMEIEF Luiza Vitoria Oliveira Cruz

R. Domingos B. Souza, 455 – Pq. Orestes Ôngaro

 

21 de fevereiro  - Sexta-feira

7h30 | EMEF Profª. Patrícia Maria C. Basso

R. Lírio do Campo, 155 – Resid. São Sebastião

10h30| EMEI Residencial São Sebastião II 

R. Lírio do Campo, 15 - Resid. São Sebastião

Banco de Alimentos da Prefeitura arrecada mais de duas toneladas de alimentos em campanha permanente

Devagar se chega ao longe, diz o ditado popular. Assim também é a campanha permanente de arrecadação de gêneros alimentícios, promovida pelo Departamento de Segurança Alimentar da Prefeitura, órgão da Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia. Lançada em novembro de 2019, a ação comemora a doação de 2,1 toneladas de alimentos feitas por instituições e empresas parceiras, entre janeiro e fevereiro deste ano.

O material arrecadado agora contribuirá para complementar a alimentação de 2.870 moradores de Hortolândia, em vulnerabilidade social, atendidos nas 27 entidades cadastradas no Programa Banco de Alimentos. A campanha visa sensibilizar a comunidade como um todo, pessoas físicas, empresas e instituições em geral, existentes na região, a fim de  arrecadar itens que compõem a cesta básica doada mensalmente a pessoas de baixa renda. 

Entre os parceiros veteranos está a Etec-Hortolândia (Escola Técnica/Centro Paula Souza) que há quatro anos aproveita o ingresso de calouros na instituição para realizar o chamado “Trote Solidário”. Neste ano, a campanha mobilizou 600 alunos dos quatro cursos integrados – 400 veteranos e 200 ingressantes. Juntos, arrecadaram 1,8 toneladas de gêneros que compõem a cesta básica, dentre eles arroz, feijão, macarrão, molho de tomate, sal e açúcar.

Como de costume, a doação ao Banco de Alimentos chegou em boa hora. Ajuda a quem mais precisa e proporciona aos estudantes uma lição de cidadania. “Entendemos que a Etec, além da área educacional, tem uma atuação social. Há pessoas carentes que precisam de ajuda. Ajudar o outro, sobretudo nesta dimensão tão básica que é a alimentação, é fundamental para que eles tenham força, continuem sonhando, que nem eles, estudantes sonharam. No futuro, talvez os próprios alunos, um dia, precisem de ajuda. Isso cria neles o conceito de solidariedade”, afirma o diretor do campus Hortolândia, Prof. Renato William Martins de Oliveira.

Para a diretora de Segurança Alimentar e Nutricional, Alessandra Sarto, toda ajuda é bem-vinda, seja grande e periódica como a da Etec, seja eventual e em pequena quantidade, feita por pessoas físicas. É que o que sobra na despensa de alguns faz diferença na vida de quem está em situação de vulnerabilidade social.

“A campanha é permanente. Doar ao Banco de Alimentos é importante. Estamos lá o ano todo para receber qualquer doação. Recebemos tanto de pessoas físicas quanto de empresas e instituições, de quem quiser ajudar. Toda ajuda é muito bem-vinda. Com a distribuição de folhetos e todo o material da campanha levamos ao conhecimento de mais pessoas o trabalho do Banco de Alimentos e isso tem trazido bons resultados. Agradecemos muito aos nossos parceiros, como a Etec-Hortolândia”, destaca Alessandra.

Saiba o que doar

O Banco de Alimentos recebe qualquer tipo de alimento em condições de consumo, sem embalagem violada e dentro do prazo de validade. Quem quiser ajudar poderá fazer a sua doação pessoalmente, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, na própria sede do órgão, na Rua Maria Catarina Vasconcelos Pinheiro, 65, no Parque Odimar, próximo à empresa farmacêutica EMS. O Banco também busca alimentos nas empresas e residências. Neste caso, é preciso agendar a retirada por meio do telefone 3845-6630.

Fundado há 13 anos, o Banco de Alimentos da Prefeitura promove a distribuição mensal gratuita de gêneros alimentícios, feita por meio de 28 entidades cadastradas no programa. A ação beneficia, atualmente, mais de 3 mil pessoas, que têm sua alimentação reforçada, graças a esta doação.

De acordo com a gerente de Divisão do Departamento de Segurança Alimentar, Cristiane Pessoa da Paz, o Banco de Alimentos se mantém graças a parcerias institucionais e governamentais, tais como o PAA (Programa de Aquisição de Alimentos) e de campanhas de arrecadação de alimentos e eventos.

Segundo a Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia, a seriedade e os resultados na realização do Programa de Segurança Alimentar colocaram Hortolândia na Rede Brasileira de Bancos de Alimentos. A entidade nacional referencia o Banco como Equipamento Público de Alimentação e Nutrição apto a receber, triar e distribuir alimentos.

Cursos ensinam alimentação saudável e geração de renda

Além da doação periódica de gêneros alimentícios, o Banco de Alimentos de Hortolândia também realiza formações gratuitas na área de Educação Alimentar, com foco no aproveitamento integral dos alimentos, na alimentação e saúde. Na manhã desta sexta-feira (14/02), a nutricionista do Programa de Segurança Alimentar, Manuela Regina Caumo, fez uma palestra sobre "Alimentação saudável e aproveitamento integral de alimentos", na Cozinha Comunitária, no Jd. Novo Ângulo.

O objetivo das formações é criar oportunidades para que os atendidos rompam o ciclo de vulnerabilidade social, seja ingressando no mercado formal de trabalho, seja aprendendo a gerar renda. Para tanto, oferece cursos gratuitos como Oficinas de Pães e de Ovos de Páscoa, dentre outros. Mais de 30 mil pessoas, dentre elas membros da comunidade e estudantes da rede municipal, já participaram das atividades até agora. 

A expectativa da diretora Alessandra Sarto é, nesta mobilização, sensibilizar os moradores da cidade em geral, as pessoas físicas, mostrando o papel do Banco de Alimentos e dizendo que elas podem fazer algo para melhorar a qualidade de vida e assegurar o direito à alimentação adequada às pessoas de baixa renda.

Estudantes da rede municipal começam a receber uniformes escolares da Prefeitura

Os mais de 26 mil alunos da rede municipal de Hortolândia começaram, nesta quarta-feira (12/02), a receber os esperados uniformes escolares.  A Prefeitura iniciou a distribuição dos kits de verão por escolas do Jardim Amanda: Emeief (Escola Municipal de Educação Infantil e de Ensino Fundamental) Jd. Amanda III e Emefs Renato Costa Lima e Tarsila do Amaral. A previsão da Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia, é concluir a entrega dos uniformes, em todas as escolas da rede municipal, até o final deste mês (veja calendário abaixo).

Cada criança recebe, a partir de agora, duas camisetas e uma bermuda para usar nos dias mais quentes de Primavera e Verão. Para maio está prevista a entrega dos kits de inverno, com agasalho e calça, a ser usado em época de temperaturas mais baixas.

Material escolar

Durante entrega dos uniformes, a comunidade recebeu outra boa notícia: a chegada às escolas dos kits de material escolar. Parte dos itens, de uso individual, será entregue em breve aos alunos; a outra parte, de uso coletivo, será utilizada em sala de aula.

Ao todo, até o Carnaval, serão entregues 23.900 kits de material nas 58 escolas municipais. Eles são organizados em oito tipos – três kits destinados à Educação Infantil; três ao Ensino Fundamental e dois para a EJA (Educação de Jovens e Adultos).

“Depois do planejamento e da Jornada Pedagógica, começamos o ano com tudo organizado. Uniformes e materiais escolares são um direito da criança. Ficamos felizes porque conseguimos fazer isso na rede municipal”, afirmou a secretária de Educação, Ciência e Tecnologia, Sandra Fagundes Freire. 

Segurança, economia e praticidade

Neste ano, foram confeccionados 27 mil kits de uniformes de verão. A Prefeitura entregará, ao todo, 81 mil peças -- 27 mil bermudas e 54 mil camisetas, segundo informações da Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social.

Para pais e responsáveis, a entrega dos kits de verão representa economia, segurança e praticidade, no dia a dia. “O uniforme é de boa qualidade. É resistente. Ela ainda está usando o do ano passado”, comenta a trancista Karol Shinyder, mãe de Laryssa Gabriele, de 8 anos, estudante do 1º. Ano na Emef Renato Costa Lima. “É muito importante ter o uniforme. Além da economia com roupas ao longo do ano, se a criança some é mais fácil localizar por causa do uniforme. Com ele, as crianças vêm tudo igual para a escola, ninguém é melhor que ninguém”, explica a cabeleireira.

“Eu gosto do uniforme. É muito importante pela segurança. Todo mundo sabe que a criança é da rede. Também é uma economia. Conserva as roupas da criança. Os itens são de boa qualidade. Não desbotam. É um tecido gostoso”, ressalta a dona de casa Monique Monteiro Lima, mãe de Maria Eduarda, de 6 anos, estudante do 1º ano na mesma escola.

“Os uniformes são itens importantes da vida escolar da criança, primeiro, porque auxiliam muito na questão da segurança. Todas as crianças indo e voltando, permanecendo na escola uniformizadas, isso garante que rapidamente sejam identificadas como alunos da rede municipal. Segundo, o fato de a criança ter o uniforme todos os anos contribui de forma significativa para a economia familiar”, ressalta a secretária Sandra. 

Projeto social

Os kits de verão foram produzidos por 60 bolsistas do Programa Acerte (Ação Cidadã de Requalificação Trabalho e Educação), projeto social da Prefeitura que envolve moradores de Hortolândia em vulnerabilidade social, com idades entre 18 e 60 anos. Graças à iniciativa, os participantes têm a oportunidade de aprender uma profissão e, na etapa prática da formação, confeccionar os kits de uniformes usados nas escolas municipais. Como contrapartida, os bolsistas recebem cesta básica, vale transporte e bolsa de R$ 710/mês.

Confeccionados em tecido antialérgico, os uniformes de verão começaram a ser produzidos em abril de 2019. A produção dos primeiros kits se encerrou em outubro. De acordo com o Departamento de Geração de Renda e Economia Solidária, a produção teve ritmo acelerado, com a preparação de cerca de 1.200 peças, por dia, 200 a mais que no ano passado.“Acreditamos que esse programa, com o viés de transferência de renda, propicia ao bolsista a reinserção no mercado de trabalho com uma profissão cuja mão de obra é sempre necessária, além da possibilidade de serem empreendedores e atuarem de forma autônoma”, afirma o diretor Gérson Ferreira.

Geração de renda

O curso de Costura Industrial tem duração de 1.660 horas/aulas (cerca de um ano) e disponibiliza 60 vagas a cada ano, 30 pela manhã e 30 à tarde. A formação é ministrada no CQP II (Centro de Qualificação Profissional) Costura & Moda, localizado na Rua Eleusina Batista Silva, 14, no Jardim Terras de Santo Antonio. 

O projeto é voltado a pessoas em situação de vulnerabilidade socioeconômica. A seleção é feita por meio dos CRAS (Centros de Referência de Assistência Social) existentes na cidade e do CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social). O objetivo é proporcionar aos aprendizes a possibilidade de reinserção no mercado profissional ou de se tornarem empreendedores.

“As aprendizes saem deste curso bem preparadas, prontas para o mercado de trabalho. Essa evolução foi constatada na rapidez com que foram confeccionados os nossos uniformes de verão”, destacou o secretário de Inclusão e Desenvolvimento Social, Régis Athanázio Bueno.

 

Confira o calendário de entrega dos kits de uniforme de verão:

12 de fevereiro  -  Quarta-feira

7h30 EMEIEF Jardim Amanda III  

R. José Bonifácio, 130 – Jd. Amanda I

10h30EMEF Renato Costa Lima| 

R. Santos Dumont, 45 - Jd. Amanda I

13h30EMEF Tarsila do Amaral| 

R. Visconde do Rio Branco, 160 - Jd. Amanda

 

13 de fevereiro  - Quinta-feira

7h30 EMEB Interlagos  

R. Joaquim Marcelino Leite, 26 - Jd. Interlagos

10h30EMEIEF  Jd. Santa Clara Lago I  |

R. 1º de Maio, 15 – Jd. Santa Clara do Lago 

13h30 EMEI Jardim Amanda I  

R. Graciliano Ramos, 698 – Jd. Amanda I 

 

14 de fevereiro  -  Sexta-feira

7h30 EMEI José Natalino Fonseca  

R. Garibaldi, s/nº -  Jd. Boa Esperança

10h30EMEF Jardim Primavera| 

R. 20, 350 - Jd. Boa Esperança

13h30 EMEI Jardim Novo Estrela |

Rua 02, 60 – Jd. Novo Estrela 

 

17 de fevereiro  - Segunda-feira

7h30 |EMEF Profª. Marleciene Priscila P. Bonfim | 

R. Maria de L. C. Cancian, 92 - Rem. Campineiro 

10h30 |EMEF Profª.  Helena F. Takahashi  | 

R. da Confibra, 55 - Jd. Campos Verdes

13h30 |EMEIEF Profª.ªZenaide Ferreira de Lima Seorlin

R. José Camilo de Camargo, 333 – Rem. Campineiro

 

18 de fevereiro   -  Terça-feira

7h30 | EMEIEF Sebastiana das Dores Moura

R. Orlando Cavalcante, 200 – Vila Real 

10h30| EMEF Caio Fernando Gomes Pereira 

R. Aurora P. Tanachi, 995 - Jd. N. Sra. Auxiliadora

13h30 | EMEF Profª. Lilian C. M. de Araújo

R. 02, 325 – Jd. Estefânia

 

19 de fevereiro   - Quarta-feira

7h30 | EMEF Armelinda Espúrio da Silva 

Av. João Coelho, 10 - Jd. N. Sra. de Fátima

10h30| EMEI Leonilda Alves Valenzuella

R. Antônio Viegas, 45  -  Núcleo Santa Izabel 

13h30 | EMEF Dayla Cristina S. de Amorim

R. Salvador (Rua Projetada 4), 500 - Jd. Santiago

 

20 de fevereiro   -  Quinta-feira

7h30 | EMEF Nicolas Thiago dos S. Lofrani

R. Lealdo José dos Santos, 170 - Jd. Sumarezinho

10h30     EMEIEF Jd. Santa Esmeralda 

R. Hélio Marcelino, 60 -  Jd. Sta. Esmeralda

13h30    EMEIEF Luiza Vitoria Oliveira Cruz

R. Domingos B. Souza, 455 – Pq. Orestes Ôngaro

 

21 de fevereiro  - Sexta-feira

7h30 | EMEF Profª. Patrícia Maria C. Basso

R. Lírio do Campo, 155 – Resid. São Sebastião

10h30| EMEI Residencial São Sebastião II 

R. Lírio do Campo, 15 - Resid. São Sebastião

Uniformes escolares começam a ser entregues nesta quarta (12/02)

A Prefeitura de Hortolândia começa a entregar, a partir desta quarta-feira (12/02), os uniformes escolares aos alunos matriculados nas escolas municipais. Conforme o calendário elaborado pela Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia, a previsão é que, até o dia 21 deste mês, os mais de 26 mil alunos matriculados nas 58 escolas municipais recebam os kits de verão. As três primeiras entregas serão em unidades do Jd. Amanda: às 7h30, na Emeief (Escola Municipal de Educação Infantil e de Ensino Fundamental) Jd. Amanda III; às 10h30, na Emef Renato Costa Lima; e às 13h30, na Emef Tarsila do Amaral. 

Cada aluno receberá duas camisetas e uma bermuda. Serão entregues, ao todo, 81 mil peças -- 27 mil bermudas e 54 mil camisetas, segundo informações da Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social. Os itens foram produzidos por 60 bolsistas do Programa Acerte (Ação Cidadã de Requalificação Trabalho e Educação), projeto social da Prefeitura que envolve moradores de Hortolândia em vulnerabilidade social, com idades entre 18 e 60 anos. Graças à iniciativa, os participantes têm a oportunidade de aprender uma profissão e, na etapa prática da formação, confeccionar os kits de uniformes usados nas escolas municipais. Como contrapartida, os bolsistas recebem cesta básica, vale transporte e bolsa de R$ 710/mês.

“Os uniformes são itens importantes da vida escolar da criança, primeiro, porque auxiliam muito na questão da segurança. Todas as crianças indo e voltando, permanecendo na escola uniformizadas, isso garante que rapidamente sejam identificadas como alunos da rede municipal. Segundo, o fato de a criança ter o uniforme todos os anos contribui de forma significativa para a economia familiar”, ressalta a secretária de Educação, Ciência e Tecnologia, Sandra Fagundes Freire. 

Projeto social

Confeccionados em tecido antialérgico, os uniformes de verão começaram a ser produzidos em abril de 2019. A produção dos primeiros kits se encerrou em outubro. De acordo com o Departamento de Geração de Renda e Economia Solidária, a produção teve ritmo acelerado, com a preparação de cerca de 1.200 peças, por dia, 200 a mais que no ano passado. “Acreditamos que esse programa, com o viés de transferência de renda, propicia ao bolsista a reinserção no mercado de trabalho com uma profissão cuja mão de obra é sempre necessária, além da possibilidade de serem empreendedores e atuarem de forma autônoma” afirma o diretor Gérson Ferreira.

Geração de renda

O curso de Costura Industrial tem duração de 1.660 horas/aulas (cerca de um ano) e disponibiliza 60 vagas a cada ano, 30 pela manhã e 30 à tarde. A formação é ministrada no CQP II (Centro de Qualificação Profissional) Costura & Moda, localizado na Rua Eleusina Batista Silva, 14, no Jardim Terras de Santo Antonio. 

O projeto é voltado a pessoas em situação de vulnerabilidade socioeconômica. A seleção é feita por meio dos CRAS (Centros de Referência de Assistência Social) existentes na cidade e do CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social). O objetivo é proporcionar aos aprendizes a possibilidade de reinserção no mercado profissional ou de se tornarem empreendedores.

“As aprendizes saem deste curso bem preparadas, prontas para o mercado de trabalho. Essa evolução foi constatada na rapidez com que foram confeccionados os nossos uniformes de verão”, destacou o secretário de Inclusão e Desenvolvimento Social, Régis Athanázio Bueno.

 

Confira o calendário de entrega na quarta-feira (12/02):

7h30 EMEIEF Jardim Amanda III  

R. José Bonifácio, 130 – Jd. Amanda I

10h30EMEF Renato Costa Lima

R. Santos Dumont, 45 - Jd. Amanda I

13h30EMEF Tarsila do Amaral

R. Visconde do Rio Branco, 160 - Jd. Amanda

 

Abertas inscrições para palestra gratuita sobre alimentação saudável

Quer aprender sobre "Alimentação saudável e aproveitamento integral de alimentos" ? Este é o tema da palestra gratuita que a Prefeitura de Hortolândia promoverá, nesta sexta-feira (14/02), a partir das 9h, na Cozinha Comunitária, localizada na Rua Osvaldo de Souza,375, no Jd. Novo Ângulo. As inscrições já estão abertas e podem ser feitas pelos telefones 3845-6630 ou 3845-4920, do Banco de Alimentos, até quinta-feira ou enquanto houver vaga.

Há 30 vagas disponíveis. O evento é aberto ao público em geral. Os interessados devem ter idade de pelo menos 16 anos. O tema será abordado pela nutricionista do Programa de Segurança Alimentar da Prefeitura, Manuela Regina Caumo. A iniciativa é da Secretaria de Educação,Ciência e Tecnologia.

“É uma ação de educação nutricional, de tentar combater o desperdício de alimentos. Vamos mostrar como usar partes de alimentos não muito usados como talos e cascas, além de ensinar receitas em que consigam utilizar estes alimentos que acabam indo para o lixo. Falaremos também sobre alimentação nutricional, os 10 passos para a alimentação saudável e conversaremos sobre a alimentação atual”, esclarece a nutricionista.   

Jornada Pedagógica prepara profissionais da Educação para volta às aulas

Mais de dois mil profissionais da rede municipal de educação de Hortolândia aproveitaram a véspera do retorno às atividades letivas para atualizar os conhecimentos, em diversas atividades de formação gratuitas. É a tradicional Jornada Pedagógica, promovida pela Prefeitura, nesta quarta-feira (05/02), durante os três turnos: manhã, tarde e noite. Ao todo, foram disponibilizadas cerca de 60 atividades pedagógicas, dentre elas seminário, palestras e oficinas, realizadas no CFPE (Centro de Formação dos Profissionais em Educação) “Paulo Freire”, no Remanso Campineiro, e em outros sete espaços polo. O prefeito Angelo Perugini deu as boas-vindas aos participantes, durante a abertura oficial do evento, no auditório do Centro de Formação, onde aconteceu o seminário “Afetividade em sala de aula”, ministrado pelo Prof. Dr. Sérgio Leite e equipe, todos integrantes do Grupo do Afeto, da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas).

Neste ano, a Jornada 2020 teve como tema “Educação em Movimento: desafios e experiências compartilhadas”. A ação beneficia diretamente os 26.080 alunos matriculados na rede municipal, atualmente. Destinadas a gestores educacionais, professores da Educação Básica e Integral, educadores infantis, infantojuvenis e agentes educacionais, as atividades cobriram oito eixos temáticos: Línguas: Materna, Inglês e Libras; Linguagens Artísticas; Corpo e Movimento; Contação de Histórias; Matemática; Parte diversificada: Matriz Curricular Municipal: saúde, trânsito, vida familiar e social, direito da criança e do adolescente, meio ambiente, empreendedorismo, tecnologia, história da cultura afro-brasileira e indígena; Educação Inclusiva e Gestão Educacional.

Perugini, que também é professor, ressaltou a importância de cada participante ter a disponibilidade para aprender sempre e mais, a fim de compartilhar o que sabe e o que é, como pessoa, com os alunos. “Estamos sendo questionados, todos os dias: será que eu já não sei tudo? A cada dia, temos que ter a humildade de dizer: tenho muito para aprender e muitos desafios. Como professor, vejo que todo dia tenho um novo desafio pela frente. Preciso me adaptar aos novos tempos, estar preparado para o momento que vem. Minhas queridas professoras, meus queridos professores, peço que vocês, começando este ano, tenham este espírito renovador, criativo, solidário e resiliente, que ele entre no espírito de vocês para que passem para as crianças não aquela quantidade de ensinamentos que vocês têm, mas o que vocês são. Estas crianças serão pessoas melhores, porque encontraram pessoas melhores no caminho delas, que as fizeram ser o que serão. Parabéns a vocês que não desanimam e sempre estão querendo reaprender e se jogam de corpo e alma para fazer da educação do nosso município uma das melhores do nosso País”, ressaltou o prefeito.

Para a secretária de Educação, Ciência e Tecnologia, Sandra Fagundes Freire, o tema do seminário de abertura é de grande importância para a visão que o município tem da educação. Segundo ela, a política pública de educação integral, implementada hoje em 21 escolas da rede, significa bem mais que a permanência do aluno por nove horas na escola. Representa grandes mudanças no relacionamento entre professores, familiares e alunos. “A educação integral não é só a ampliação do horário. Convivemos mais tempo juntos. Daí a importância da afetividade na escola. Neste início de ano, estamos recebendo novos profissionais via concurso, novo mobiliário, kits escolares. Mas o mais importante é o relacionamento pessoal e interpessoal entre professores, alunos e familiares. Assim, vamos caminhando juntos, enfrentando e resolvendo os desafios”, afirmou a gestora.

Afetividade na escola          

Em sua abordagem da afetividade no universo escolar, o Prof. Dr. Sérgio Leite destacou a trajetória da equipe que formou nestes quase 20 anos de estudos do tema, o chamado “Grupo do Afeto”. De acordo com ele, a visão dualista do homem, como um ser por vezes dividido entre o material e o não material, a razão e a emoção, fez com que, por séculos, a abordagem da afetividade ficasse de fora da pesquisa, na área pedagógica. A contribuição do grupo, a partir de autores como o do psicólogo bielo-russo Lev Vygotsky e do educador francês Henri Wallon, é de que o conhecimento é algo que se forma entre sujeito e objeto, por meio de uma mediação. Trata-se de uma relação ao mesmo tempo cognitiva e afetiva. Quer o agente cultural queira ou não, esta mediação produz impacto afetivo, que pode ser positivo ou negativo, impacto subjetivo do  tipo “gostei, não gostei”. “Ninguém nasce gostando de ler, de matemática ou de outra área do ensino”, afirma ele. O gostar ou o não gostar surge como fruto das experiências vividas, nesta relação que considera sujeito, objeto e mediação. 

A quem deseja trazer para a sala de aula a questão da afetividade o professor sugere: “o grupo de professores que está começando a despertar para a questão da afetividade tem que aprofundar um pouco mais a leitura sobre isso e discutir sobre o que lê junto com seus colegas, discutir as práticas, ousando novas formas. A relação teoria e prática tem que ser mais dinâmica. Quando um professor não planeja bem as suas condições de ensino aumenta a probabilidade de ter uma relação ruim entre o aluno e o objeto que ele está aprendendo. É difícil que esse processo seja individual. Essa educação continuada, a troca de informações e de experiências, tem que ser coletiva, o que não é fácil. Existe a tendência de naturalizar as coisas, afirmando: o aluno já tem facilidade com números. Como se já fosse assim, ele já nasceu assim. É natural dele. Mas não é natural. Alguma coisa aconteceu na vidinha dele que o levou a gostar disso. O problema é o que a gente faz para as crianças que não têm uma relação boa com números para ter?”, questiona Leite.

Quem é Sérgio Leite

Segundo o currículo disponível na Plataforma Lattes, Sérgio Antônio da Silva Leite é, atualmente, professor titular da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas). Graduado em Psicologia pela Puccamp (Pontifícia Universidade Católica de Campinas), em 1971, possui mestrado (1976) e doutorado pela USP (Universidade de São Paulo (1980). “Tem experiência na área de Psicologia Educacional, onde desenvolve atividades de ensino, pesquisa e orientação nos seguintes temas: afetividade, alfabetização e letramento, formação de professores, ensino e aprendizagem. A partir de 2013, coordena o EA2- Espaço de Apoio ao Ensino e Aprendizagem, órgão vinculado à Pró-Reitoria de Graduação da Unicamp, com o objetivo de desenvolver políticas de aprimoramento ao ensino de graduação, em toda a universidade”, informa o texto criado pelo próprio autor, que coordena o Grupo do Afeto.

Além do Prof. Leite, compõem a equipe os seguintes pesquisadores: Adriano Caetano Rolindo, Ana Cláudia de Sousa Rodrigues, Daniela Gobbo Donadon, Elvira Tassoni, Isabela Ramalho Orlando (mestres e doutorandos) e a Drª em Educação Flavia Regina de Barros.

VOLTA ÀS AULAS

Nesta segunda-feira (03/02), as escolas municipais de Hortolândia reabriram com atividades de planejamento e organização para o início de mais um ano letivo. Na quinta (06/02), alunos das Emeis (Escolas Municipais de Educação Infantil) e Emefs (Escolas Municipais de Ensino Fundamental) voltam às salas de aula, com períodos de adaptação para as turmas da Educação Infantil. 

Para os matriculados em escolas do Bolsa Creche a retomada das aulas aconteceu na segunda-feira (03/02), com uma semana de adaptação. Ainda neste mês, bem no início das aulas, a Prefeitura iniciará a entrega de kits de uniforme escolar e material aos alunos.

Assinar este feed RSS