Menu


Oficina online de Fotografia está com inscrições abertas

Para aperfeiçoar a arte de registrar lugares, pessoas e momentos, estão abertas, a partir desta sexta-feira (26/06), as inscrições para a oficina online gratuita de Fotografia - Referências para o processo criativo, do Pontos MIS. O tema abordado no módulo um é Retrato. As aulas são ministradas por Melissa Szymanski, Natália Tonda, Beto Salgado e Leandro Menezes. Para participar é necessário se inscrever neste link.

Os especialistas irão abordar questões sobre a fotografia e suas técnicas, o trabalho de fotógrafos renomados e algumas curiosidades. A oficina é dividida em dois módulos, em que cada um contará com quatro vídeos e um bate-papo online ao vivo realizado com os professores no canal do YouTube do MIS. Os inscritos terão acesso ao conteúdo por meio de vídeos enviados por email.

Desde junho de 2017, a Prefeitura de Hortolândia, por meio da Secretaria de Cultura, firmou uma parceria com o Pontos MIS, órgão da Secretaria da Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo – Museu da Imagem e do Som – para oferecer à população ainda mais opções culturais gratuitas.

Confira abaixo a programação completa da Oficina de Fotografia - Referências para o processo criativo:

Módulo 1

A Oficina de fotografia Pontos MIS traz especialistas da área que irão abordar questões sobre a fotografia e suas técnicas, o trabalho de fotógrafos renomados e algumas curiosidades. Ministrada por Melissa Szymanski, Natália Tonda, Beto Salgado e Leandro Menezes, professores do Pontos MIS, o primeiro módulo tem como tema o Retrato.

26.06 | Francesca Woodman, Sarah Moon, Man Ray e Horst. P. Horst
As oficineiras Natália Tonda e Melissa Szymanski apresentam as fotógrafas Francesca Woodman (EUA-1958) e Sarah Moon (França-1941) e os fotógrafos Man Ray (EUA-1890 - Paris-1976) e Horst. P. Horst (Alemanha 1906-1999), com ênfase do trabalho deles com o tema Retrato.

03.07 | Steve McCurry, Tadeu Vilani, Philip-Lorca diCorcia e Jeff Wall
Neste encontro os oficineiros Beto Salgado e Leandro Menezes apresentam os fotógrafos Steve McCurry (EUA-1950), Tadeu Vilani (Brasil-1965), Philip-Lorca diCorcia (EUA-1951) e Jeff Wall (Canadá-1946), com ênfase do trabalho deles com o tema Retrato.

Módulo 2

O segundo módulo da oficina discute a relevância de alguns fotógrafos da indústria da moda e seus respectivos trabalhos. Com base no documentário, Franca - caos e criação (disponível na plataforma de streaming Netflix), os oficineiros apresentam a vida e obra de renomados fotógrafos que atuaram ao lado de Franca Sozzani, editora da Vogue italiana e uma das grandes maestrinas do mundo da moda, durante sua longa carreira de 27 anos na revista.

10.07 | Paolo Roversi e  Steve Maisel
As oficineiras Natália Tonda e Melissa Szymanski apresentam os fotógrafos Paolo Roversi (Itália-1947) e Steve Maisel (EUA-1954).

17.07 | Bruce weber e Peter Lindbergh
Neste encontro os oficineiros Beto Salgado e Leandro Menezes apresentam os fotógrafos Bruce Weber (EUA-1946) e Peter Lindbergh (1944-Polônia/França-2019).

31.07 | Conversa ao vivo aberta ao público
No encontro acontece um bate-papo ao vivo com os oficineiros do programa, Beto Salgado, Leandro Menezes, Natalia Tonda e Melissa Szymanski, que analisam os temas abordados nos módulos 1 e 2  e respondem perguntas do público. O encontro é aberto aos interessados e acontece no canal do YouTube do MIS.

Vale a pena conferir também!

Além dessa atividade, o Pontos MIS Online conta com muito conteúdo cultural digital envolvendo cinema, música, arte e fotografia. São cursos, debates, podcasts e muito mais. Confira a programação dos próximos dias e acesse o site:

26.06 | Musicais no cinema | Bate-papo com Miguel Faria Jr. | 20h
27.06 | Bate-papo de cinema ao vivo Pontos MIS | São Paulo em Hi-Fi | 16h
28.06 | Lendo imagens | Camila Picolo | 17h

Migrantes de Hortolândia são homenageados em documentário “Histórias de Nossa Gente”

Que tal conhecer um pouco mais sobre a história da nossa cidade? A Prefeitura de Hortolândia, em celebração ao dia nacional do migrante, comemorado no dia 19 de junho, convida você a assistir um documentário cheio de saudosismo. Com relatos de personagens importantes para a cidade, “Histórias de Nossa Gente”, produzido pela Secretaria de Cultura, está disponível neste link.

Os personagens narram histórias da vida em uma cidade, na época, pouco desenvolvida, baseada no funcionamento de uma estação de trem. Com muita alegria e, principalmente, saudade, o documentário traz histórias para rir e se emocionar. Vai ser difícil não ficar com os olhos marejados e não tentar imaginar uma Hortolândia tão diferente, contada no olhar de quem viu tudo ao seu redor se transformar.

Alguns sobrenomes bem conhecidos por quem mora ou anda pelas ruas da cidade, podem ser encontrados nos migrantes entrevistados. Participaram do documentário, abrindo seu baú de histórias e memórias, antigos moradores, como Ana Camargo Martins e Donata Costa Camargo Ghiraldelli, além de Francisco Borges de Almeida, João Baptista da Cruz, Nelson Blumer, Herminio Cancian, Francisco Ghiraldelli de Camargo e Antônio Geraldelli.

Assistir ao documentário é fazer uma viagem no tempo. Ele faz parte do acervo do Centro de Memória Professor Leovigildo Duarte Júnior agora, disponível no Facebook da Secretaria de Cultura. Foi lançado há quase seis anos atrás, em julho de 2014, com duração de onze minutos e classificação livre.

#MISemCasa exibirá “À meia-noite levarei sua alma”

Para quem gosta de filme de terror, neste sábado (20/06), às 16h, o Bate-Papo de Cinema exibirá um longa imperdível: “À meia-noite levarei sua alma”, dirigido por José Mojica Marins, um dos maiores diretores do Brasil, que também atua como ator principal. Nesta obra, exibida gratuitamente, em parceria com a Spcine Play, Mojica conta a primeira história de “Zé do Caixão”. Para assistir, é necessário se inscrever neste link.

Os inscritos receberão no e-mail cadastrado, uma hora antes da exibição, o link para assistir ao filme online. Em seguida, às 18 horas, será realizado um bate-papo ao vivo com o público, no Canal do museu no YouTube, neste link, com mediação de Carlos Primati (pesquisador especializado no cinema fantástico), os jornalistas e biógrafos de Mojica, Ivan Finotti e André Barcinski; Paulo Biscaia (diretor, roteirista e editor de cinema) e Marcelo Miranda (jornalista, crítico de cinema, pesquisador e programador). 

Zé do Caixão

José Mojica Marins foi um cineasta, ator, roteirista de cinema e televisão brasileiro. É popularmente conhecido como Zé do Caixão, seu personagem mais famoso. Considerado o "pai" do terror nacional, atuou em mais de 50 filmes e dirigiu mais de 40 produções. Seu filme mais recente foi lançado no ano de 2008, chamado “Encarnação do Demônio”. Faleceu, aos 83 anos, em fevereiro de 2020.

Sinopse e detalhes do filme

Filme de 1964 / 84min
Classificação: 16 anos
Gênero: Terror
Direção: José Mojica Marins (Zé do Caixão)                                                                       

O longa, atualmente, faz parte da lista dos 100 melhores filmes brasileiros de todos os tempos feita pela Abraccine. Conta a história do cruel agente funerário Zé do Caixão que vive a obsessão de encontrar a mulher superiora, capaz de gerar o filho perfeito e perpetuar o seu sangue. Para isso, não hesita em matar todos que ousam interferir em seu plano. 

Vale a pena conferir também!

Além dessa atividade, o Pontos MIS Online conta com muito conteúdo cultural digital envolvendo cinema, música, arte e fotografia. São cursos, debates, podcasts e muito mais. Confira a programação e acesse o site:

19.06 | Conversa com o fotografo Luciano Candisani | 20h
20.06 | Bate-papo de cinema Pontos MIS | Especial Zé do Caixão | 16h
21.06 | Ex-libris | Uma rua chamada Borboletas Psicodélicas | 17h

Cultura em casa

Em razão da pandemia do Coronavírus, o Pontos MIS lançou o Ponto MIS Online, com uma programação online para o público ter acesso a atividades culturais de suas casas. Todo sábado, o programa promove uma sessão de cinema online, seguida de um bate-papo sobre a obra. As inscrições são abertas toda quinta-feira, no site do MIS.

A atividade acontece em conjunto com o #Culturaemcasa. O projeto, desenvolvido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa e organizações sociais de cultura, atende à orientação do Centro de Contingência do COVID-19, que determinou que os equipamentos culturais do Governo do Estado de São Paulo tenham o seu funcionamento temporariamente suspenso, a partir de 17 de março.

 

Bate-Papo de Cinema exibirá São Bernardo

Filmes brasileiros consagrados estarão na programação do mês de junho do #MISemCASA, em comemoração ao Dia do Cinema Nacional (19/06). Neste sábado (06/06), a partir das 15h30, será exibido o filme São Bernardo, baseado no clássico romance de Graciliano Ramos, em parceria com a SP Cine Play. Para assistir ao filme é necessário se inscrever neste link.

Os inscritos receberão no e-mail cadastrado, uma hora antes da exibição, o link para assistir ao filme online. Em seguida, às 18 horas, será realizado um bate-papo ao vivo com o público, no Canal do museu no YouTube, neste link, com os cineastas Leandro Afonso e Luan Cardoso.


Sinopse e detalhes do filme

Filme de 1972 / 114min
Classificação: 10 anos
Gênero: Drama
Direção: Leon Hirszman

Com trilha sonora de Caetano Veloso, o filme acompanha a trajetória de Paulo Honório, um modesto caixeiro-viajante que enriquece, compra a fazenda São Bernardo e contrata casamento com Madalena, a professora da cidade. O conflito se estabelece quando Madalena não aceita ser tratada como propriedade. Com atuações marcantes de Othon Bastos e Isabel Ribeiro, o filme, que estreou em 1972, tornou-se um clássico do cinema brasileiro.

Vale a pena conferir também!

Além dessa atividade, o Pontos MIS Online conta com muito conteúdo cultural digital envolvendo cinema, música, arte e fotografia. São cursos, debates, podcasts e muito mais. Confira a programação e acesse o site:

05.06 | Bate-papo ao vivo sobre a exposição Moventes | 20h
06.06 | Pontos MIS – Bate-papo de Cinema | S. Bernardo | 15h30
07.06 | #CineCiência | A chegada | 17h
07.06 | Bate-papo com o fotógrafo Robério Braga | 20h

Cultura em casa

Em razão da pandemia do Coronavírus, o Pontos MIS lançou o Ponto MIS Online, com uma programação online para o público ter acesso a atividades culturais de suas casas. Todo sábado, o programa promove uma sessão de cinema online, seguida de um bate-papo sobre a obra. As inscrições são abertas toda quinta-feira, no site do MIS.

A atividade acontece em conjunto com o #Culturaemcasa. O projeto, desenvolvido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa e organizações sociais de cultura, atende à orientação do Centro de Contingência do COVID-19, que determinou que os equipamentos culturais do Governo do Estado de São Paulo tenham o seu funcionamento temporariamente suspenso, a partir de 17 de março.

#HortolândiaSolidária #Coronavírus #FiqueEmCasa #Cultura

Alunos do Centro de Educação Musical Municipal aprovam didática usada nas aulas online

Há 26 anos, a Prefeitura de Hortolândia oferece à população hortolandense cursos gratuitos de música. Eles são ministrados no CEMMH (Centro de Educação Musical Municipal de Hortolândia), órgão vinculado à Secretaria de Cultura. Neste ano, por conta da COVID-19, os professores precisaram se reinventar para oferecer aulas online. Os alunos aprovaram a iniciativa e a didática utilizada, que disponibiliza acompanhamento personalizado e exercícios teóricos e práticos.

As aulas individuais são realizadas utilizando o aplicativo WhatsApp e, as aulas em grupo, por meio da plataforma Zoom. Mesmo com o distanciamento social, os alunos conseguem interagir com os seus professores e colegas de curso e, assim, é possível dar sequência ao conteúdo iniciado presencialmente.

A aluna de flauta transversal, Emily Angelo de Oliveira, que frequenta as aulas há nove anos, conta que ficou receosa no começo, mas se ajustou ao novo modelo. “Eu acredito que a maior vantagem das aulas online é poder tirar as dúvidas e continuar em contato com os professores e matérias, o que me permite continuar evoluindo”, destaca.

Neste modelo de aula, a frequência dos alunos é acompanhada por meio de “prints”, isto é, a captura das telas dos celulares dos professores. Segundo a Secretaria de Cultura, o número de faltas e evasão, que era maior nas aulas coletivas teóricas, surpreendentemente diminuiu neste período.

O retorno dos aprendizes ao material enviado pelos professores também acontece online. Deste modo, eles recebem acompanhamento e podem tirar as dúvidas. Os alunos enviam um vídeo aos professores, uma vez na semana. “Achei boa a didática usada. Estudamos além da teoria. Nós trabalhamos a prática e com as gravações de vídeos, o professor pode analisar melhor o desempenho e dar uma devolutiva aos alunos”, ressalta Luiz Henrique Migliossi Duque, que começou a estudar saxofone aos oito e hoje já tem 15 anos de idade.

Mesmo com as aulas online, o grupo sente falta do contato presencial. Segundo a aluna de percussão, Jeniffer de Moura Gonçalves, que faz aulas há quatro anos, a saudade é grande. “O ponto positivo é que continuamos a aprender, mesmo à distância, mas sinto falta de estudar na estrutura do centro de educação, de todos os concertos e apresentações e, claro, de rever meus amigos”, disse.

"Planejar, garantir conteúdo e aplicar as atividades demandaram adaptações na rotina dos nossos profissionais e hoje comemoramos este avanço. A aprovação dos alunos proporciona motivação para toda a equipe seguir em frente na produção e aperfeiçoamento de conteúdos. Nossos agradecimentos aos aprendizes pelo comprometimento com as atividades culturais. Vamos juntos vencer os obstáculos e continuar ampliando as ações musicais", afirmou a secretária de Cultura, Alessandra Amora Barchini.

CEMMH

Atualmente, o CEMMH oferece cursos para 11 diferentes instrumentos, sendo Flauta Transversal, Oboé, Fagote, Clarineta, Saxofone, Trompete, Trompa, Trombone, Bombardino, Tuba, Percussão e Iniciação Musical. O programa dos cursos prevê que os alunos participem de aulas teóricas coletivas e aulas coletivas e individuais de instrumentos. Além disso, podem vir a participar dos diversos grupos de câmara, como Madeira Brasil, Da Campana Pra Fora, Sopro de Prata, Turuntuntun e Vibrasax, da Banda Experimental e até da Banda Municipal.

O CEMMH, que fica localizado no Jd. Santa Cândida, está com as atividades suspensas em atendimento ao decreto municipal 4.368/2020, em razão da pandemia do Coronavírus.

 

Músicos da Banda Municipal relatam desafio de gravar concerto de aniversário individualmente, em casa

Em comemoração aos 29 anos de emancipação de Hortolândia e aos 26 anos da Banda Municipal e do CEMMH (Centro de Educação Musical Municipal de Hortolândia), órgão da Secretaria de Cultura da Prefeitura, os músicos do grupo prepararam e gravaram um concerto especial, publicado nesta segunda-feira (01/06), na página do Facebook da Banda. Os 46 integrantes, a maioria moradores da cidade que se formaram no próprio CEMMH, gravaram, cada um em sua casa, o programa escolhido para apresentação. Longe dos colegas e do público, por conta do distanciamento social, para conter o avanço do Coronavírus, relataram à Comunicação da Prefeitura a experiência de gravar o concerto de aniversário isolados uns dos outros.

“Nós artistas sentimos falta dos palcos e do calor humano da plateia, a energia que ela nos envia, os aplausos”, diz Larissa Aline Filier Guimarães, que toca flauta transversal há 16 anos na Banda. “Tocar sozinho em casa parece ser simples, mas não é. É um desafio”, relata o saxofonista Rafael da Silva, que é membro da Banda há 17 anos.

“Foi minha primeira comemoração do aniversário da banda. Então, foi muito especial para mim e, através da live, pudemos sentir a presença de quem já nos acompanha presencialmente”, comenta Amanda Brito Silva, que toca percussão na banda, há um ano e meio.

“Tocar sozinho em casa é algo que sempre fazemos nos nossos estudos diários, que não são poucos. Porém, gravar e sincronizar foi novo para mim. Acredito que para muitos músicos também”, afirma Rodrigo da Luz Pironelli, que toca clarineta na Banda há 18 anos.

“Apesar de estar sozinho, a cabeça tem que estar sintonizada com todo o grupo. Ao vivo, você sente a energia, mas em casa, uma nota, uma respiração errada, temos que reiniciar e gravar todo o vídeo de novo”, completa o saxofonista Silva.

Para toda a execução ter harmonia, “foi gravado um guia da música a que todos tiveram acesso. Eles colocaram um fone de ouvido. Assim, mesmo tocando separadamente, conseguiam manter o mesmo tempo rítmico e as nuances musicais descritas nas partituras”, destaca o maestro Márcio Beltrami, que atua desde a criação da Banda.

 

O aprendizado da quarentena

Para Douglas Wagner Vieira, que toca trombone de vara há dez anos na Banda, o período de isolamento é dedicado aos estudos. “Estou aproveitando o tempo para por as leituras em dia, fazendo muita pesquisa na área da música e estudando o instrumento. Também estou fazendo edições de vídeos e gravações para a banda. Isso foi bem positivo, pois nos obrigou a ouvir a nós mesmos. Com isso, podemos corrigir vícios que antes não eram percebidos”, ressalta ele.

“Esse período de quarentena foi um momento de reinvenção pessoal e profissional, aprender novas habilidades e estar de fato nas redes sociais foi essencial para poder manter o trabalho ativo”, avalia Clayton P.G Morais, que toca percussão há 14 anos na Banda.

 

Concertos especiais

O aniversário da Banda Municipal é comemorado, habitualmente, em concertos que recebem grandes públicos, em variados espaços da cidade. Este ano, os músicos tiveram que se reinventar. A live, postada no Facebook, teve grande participação e interação do público. O repertório animou e emocionou os expectadores.

Assim, muitos músicos também se emocionaram. “Para nós, comemorarmos mais um ano de aniversário da Banda é uma honra, ainda mais no momento atual que vivemos, pois sabemos as dificuldades do nosso país, muitos ainda não conseguem ver a importância da cultura musical dentro, é a essência e história de toda uma sociedade”, disse Priscila Pereira de Andrade Filier, que toca percussão há 14 anos na Banda desde a sua criação.

“Espero que passemos logo por esse momento e tenhamos tirado dele muito aprendizado. Um deles é que a música é um ótima ferramenta de levar alegria, esperança e bons momentos agradáveis às pessoas e que pode ser tanto presencialmente, como online também”, destaca Pironelli.

"Inovação e criatividade tem predominado nas atividades online, o que fortalece o vínculo entre a Secretaria de Cultura e os cidadãos e aprendizes das formações culturais livres e profissionalizantes. Este é um momento de recomeços e os nossos músicos e musicistas nos surpreendem a cada nova experiência, pelo comprometimento com as ações de políticas públicas culturais", avaliou a secretária de Cultura, Alessandra Amora Barchini.

 

Banda Municipal

A Banda Municipal de Hortolândia e o CEMMH foram criados pela Lei Municipal nº 188, de 1 de junho de 1994, com o objetivo de cooperar com o aperfeiçoamento educacional e cultural da população. Esta missão é cumprida por meio de apresentações públicas da Banda e do ensino musical gratuito de qualidade, além da difusão da música popular e erudita e a formação da identidade sociocultural do povo hortolandense. Além da Banda Municipal, o CEMMH conta com outros cinco grupos musicais: Madeira Brasil, Da Campana Pra Fora, Sopro de Prata, Turuntuntun e Vibrasax.

 

Conheça mais:

A página no Facebook e o perfil do Instagram da Banda Municipal postam, toda semana, vídeos de seus músicos e alunos. Para conferir, acesse os links:

@bandahortolandia.cemmh

/bandahortolandia

Assinar este feed RSS