Menu


Em evento da Prefeitura, idosos de Hortolândia são orientados sobre prevenção à violência

Ação em sintonia com a campanha “Junho Violeta”, pela conscientização da violência contra a pessoa idosa, aconteceu nesta quarta-feira (20/06), no Observatório Parque Escola

 

Cerca de 350 pessoas, a maioria com 60 anos ou mais atendidos na rede de assistência social do município, participaram, na manhã desta quarta-feira (22/06), do evento de “Enfrentamento à violência contra a pessoa idosa”, promovido pela Prefeitura de Hortolândia, por meio da Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social. O encontro aconteceu em meio às árvores no Oape (Observatório Ambiental Parque Escola), no Jd. Santa Clara do Lago, contando com a presença de vereadores; da primeira-dama e presidente do Fundo Social de Solidariedade, Maria dos Anjos Assis Barros; e dos secretários municipais de inclusão Social, Francisco Raimundo da Silva (titular) e Roberta Morais Diniz (adjunta) e do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Josemil Rodrigues (adjunto).

Além da distribuição de panfletos e falas de orientação sobre o combate à violência contra o idoso, houve também atividades voltadas ao bem-estar, como a prática da ginástica chinesa Liam Gong, e momentos de recreação e lazer, como o jogral apresentado por idosos do CCMI (Centro de Convivência da Melhor Idade) Jd. Rosolém e o teatro, com membros do CCMI Remanso Campineiro, órgãos da Secretaria de Governo. Os grupos participantes vieram do Jd. Amanda, Jd. Rosolém, Jd. Brasil, Remanso Campineiro e Jd. Santa Clara do Lago.

“Além de trabalhar a consciência da sociedade sobre políticas de enfrentamento à violência ao idoso, o evento teve um caráter integrador, reunindo idosos que participam das mais diversas atividades em nossas unidades, nos CRAS (Centros de Referência de Assistência Social), nos CCSs (Centros de Convivência Social). É importante porque a gente trabalha o nível de consciência para a importância do idoso na nossa sociedade. O idoso é o responsável pela riqueza da cidade e da nação. Buscar essa valorização é uma forma de fazer com que as pessoas valorizem muito o histórico de cada um e o legado seja a verdadeira riqueza de uma pessoa, que idade e a cronologia contam muito pouco diante do legado que cada um deixa, o da pessoa que trabalhou a vida toda”, ressalta o secretário de Inclusão e Desenvolvimento Social, Francisco Raimundo da Silva.

Ponte Estaiada ganha iluminação especial, em alusão ao “Junho Violeta”

Ação, iniciada nesta quinta-feira (02/06), chama atenção para o Dia Mundial de Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa, no dia 15 deste mês

 

A Ponte da Esperança, em Hortolândia, trocou o amarelo, da conscientização por mais segurança viária, pelo violeta. A mudança na iluminação aconteceu na noite desta quinta-feira (02/06) e permanecerá ao longo do mês.

Como nas campanhas anteriores, a ideia da Prefeitura é utilizar um dos principais cartões postais de Hortolândia para sensibilizar e conscientizar a população com relação a um tema relevante. Desta vez, o que está em pauta é a questão da violência contra a pessoa idosa. Criado pela ONU (Organização das Nações Unidas) e pela Rede Internacional de Prevenção à Violência à Pessoa Idosa, em 2006, o Dia Mundial de Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa acontece em 15 de junho.

Melhor Idade de Hortolândia realiza ato de conscientização

Os Centros de Convivência da Melhor Idade do Remanso Campineiro e do Jardim Amanda farão, no dia 15 de junho, Dia Mundial da Conscientização sobre a Violência Contra Pessoa Idosa, uma ação junto com a comunidade com  a distribuição de panfletos alusivos à proteção e criminalização de atos de violência contra pessoas com 60 anos ou mais. A ação conta com apoio da Secretaria de Governo, por meio do Departamento de Direitos Humanos e Políticas Públicas para as Mulheres.

“A data é um momento onde o mundo se manifesta contra os abusos e sofrimentos recebidos pelas gerações mais velhas. A conscientização é importante e denunciar esse tipo de crime é fundamental”, destacou a psicóloga e coordenadora do Centro de Convivência da Melhor Idade do Remanso Campineiro, Fernanda Fadiga.

A violência contra o idoso pode ser definida como um ato único, repetido ou a falta de ação apropriada, ocorrendo em qualquer relacionamento em que exista uma expectativa de confiança que cause dano ou sofrimento a uma pessoa idosa. “É uma questão social global que afeta a saúde e os direitos humanos de milhões de idosos em todo o mundo e que merece a atenção especial da comunidade”, avaliou Fernanda.

O abuso de idosos ocorre, geralmente, sem que haja reconhecimento ou resposta, pois, até recentemente, esse grave problema social estava oculto à vista do público e era considerado um assunto privado. “Ainda hoje, o abuso de idosos continua sendo um tabu, subestimado e ignorado pela sociedade. No entanto, há evidências que indicam que o abuso de idosos é um importante problema de saúde pública e social”, disse a coordenadora.

A Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos registrou 39.333 denúncias de violência contra idosos no Brasil apenas no primeiro semestre deste ano. O número corresponde a 215 casos por dia e representa mais de 26% do total de relatos recebidos pelo Disque 100, Ligue 180 e aplicativos de Direitos Humanos administrado pelo Governo Federal.