Menu


Campanha do Agasalho 2020 ainda recebe doações para quem mais precisa

A arrecadação de cobertores novos para a Campanha do Agasalho 2020 continua até o dia 22 de setembro. A ação, que é uma iniciativa do Fussp (Fundo Social de São Paulo), em parceria com o Funsol-Hortolândia (Fundo Social de Solidariedade), tem o apoio da Administração Municipal, por meio da Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social. Por conta da pandemia do Coronavírus, só será aceita a doação de peças novas. A medida é adotada para evitar a disseminação da COVID-19.

Pessoas físicas e jurídicas podem fazer a doação dos cobertores novos. As coletas são realizadas com segurança, por equipes da Administração Municipal, nos locais identificados pelos doadores para evitar a disseminação da doença.

"Gostaríamos de lembrar à população que as doações podem ser realizadas. Nós continuamos recebendo as peças. Muitas pessoas são beneficiadas e precisam desta doação. Portanto, quem puder colaborar estará fazendo um bem muito grande ao próximo. Por conta do Coronavírus, apenas doações de peças novas podem ser realizadas para evitar a disseminação da doença. Praticar a solidariedade, principalmente em um momento como este, é muito importante", explica a presidente do Funsol (Fundo Social de Solidariedade) do município, Leila Pereira Dobelin.

Para doar, informe-se nos canais oficiais da Prefeitura

Informações de como realizar as doações podem ser obtidas por meio do telefone 3965-1400, no ramal 8224 ou pelo email: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. . O horário de atendimento é de segunda a sexta-feira, das 9h às 15h.

 

Para aprimorar conhecimentos, bolsistas do Programa Acerte aprendem novas técnicas de costura

Após concluírem a confecção dos uniformes escolares e das máscaras de proteção individual, distribuídas a quem mais precisa para evitar a disseminação do Coronavírus, os 53 bolsistas do Programa Acerte (Ação Cidadã de Requalificação Trabalho e Educação) estão aprendendo novas modalidades de costura para se manterem ativos e se qualificarem para o mercado de trabalho. O projeto social da Prefeitura de Hortolândia envolve moradores da cidade, em vulnerabilidade social, com idades entre 18 e 60 anos.

Atualmente, os 53 bolsistas confeccionam artesanato e praticam exercícios para aprender a mexer em diversas máquinas de costura. Eles estão alocados em dois turnos. Uma equipe realiza as atividades das 8h às 12h e a outra das 13h às 17h, de segunda a sexta-feira. A formação é ministrada no CQP II (Centro de Qualificação Profissional) Costura & Moda, localizado na Rua Eleusina Batista Silva, 14, no Jardim Terras de Santo Antonio.

O projeto é voltado a pessoas em situação de vulnerabilidade socioeconômica. A seleção é feita por meio dos CRAS (Centros de Referência de Assistência Social) e do CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social), existentes na cidade. O objetivo é proporcionar aos aprendizes a possibilidade de reinserção no mercado profissional ou de se tornarem empreendedores.

"Nossos bolsistas concluíram a etapa de confecção de máscaras e uniformes escolares, mas a Prefeitura os mantêm atuando, desenvolvendo novas atividades como o aperfeiçoamento no manuseio das máquinas e das costuras, criando artesanatos, como bolsas e ‘nécessaires’, por exemplo. Os beneficiários do programa também aprendem técnicas que ajudam no ‘domínio’ de diferentes tipos de máquinas de costura", explica o coordenador dos bolsistas, Aniceto Rodrigues.

Geração de renda

De acordo com a Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, graças à iniciativa, os participantes têm a oportunidade de aprender uma profissão. Como contrapartida, os bolsistas recebem cesta básica, vale transporte e bolsa de R$ 710/mês. “Acreditamos que esse programa, com o viés de transferência de renda, propicia ao bolsista a reinserção no mercado de trabalho com uma profissão cuja mão de obra é sempre necessária, além da possibilidade de serem empreendedores e atuarem de forma autônoma”, afirma o diretor Gérson Ferreira.

“As aprendizes saem deste curso bem preparadas para buscar uma vaga no mercado de trabalho. Mesmo com a pandemia do Coronavírus, os contratos foram mantidos e elas estão aprendendo novos recursos para se aprimorarem. Todos estão realizando as atividades de acordo com o Código Sanitário do Estado de São Paulo, mantendo a distância necessária e usando proteção contra a disseminação da doença", destacou o secretário de Inclusão e Desenvolvimento Social, Régis Athanázio Bueno.

 

Diagnóstico Social da Infância e Juventude de Hortolândia entra em nova fase

O Diagnóstico Social da Infância e Juventude da Cidade de Hortolândia, em realização pela Prefeitura de Hortolândia e pelo CMDCA (Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente), entra em nova fase, a partir de agora. O projeto visa detectar especificidades, necessidades e potenciais do município para, com base nelas, contribuir com a formulação e execução de políticas públicas para o segmento. Para a elaboração do diagnóstico, o CMDCA conta com o apoio do Instituto CPFL, por meio de doação ao FUMCRIA (Fundo Municipal da Criança e Adolescente).

Segundo a Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, a Associação dos Pesquisadores do NECA (Núcleo de Estudos e Pesquisa sobre a Criança e o Adolescente), sediada na cidade de São Paulo, é a responsável pelo processo de construção do diagnóstico. O trabalho deve ser concluído em outubro deste ano.

Nesta nova etapa, representantes da área educacional, já contatados, participarão de uma entrevista. Neste grupo estão sete escolas infantis, duas do Ensino Fundamental, além de oito escolas participantes do programa Bolsa Creche da Administração Municipal e quatro da EJA (Educação de Jovens Adultos).

Cerca de 70 pessoas que integram a Rede de Proteção à Criança e ao Adolescente, além de representantes da sociedade civil, participaram da ação, iniciada no dia dois deste mês. De acordo com a Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, todo processo de execução do plano de trabalho é realizado de forma remota, em reuniões virtuais, usando a tecnologia disponível para manter a segurança sanitária e evitar a disseminação do Coronavírus.

"Tudo é realizado de maneira virtual, para evitar a disseminação do Coronavírus. Já foram ouvidos profissionais da Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, na primeira etapa. Agora, estamos preparando mais uma etapa, com nossos educadores. Após a realização dela, entraremos em contato com os profissionais da saúde do município. Crianças e adolescentes que fazem parte das ONGs da cidade relacionadas à proteção infantil também participarão. Com a integração de todos, temos o objetivo de atingir o diagnóstico e melhorar cada vez mais nossos programas de assistência social, bem como captar as especificidades, necessidades e potenciais do município para, a partir dessa análise, auxiliar na formulação e execução de políticas públicas para esta faixa etária", explica Átila Paz, presidente do Conselho Municipal da Criança e do Adolescente de Hortolândia.

"A participação de todos é fundamental para a construção destes diagnósticos e construirmos mais programas que ajudem nossas crianças e adolescentes. Elas são o futuro e devem estar amparadas e protegidas. Com a ajuda de todos, vamos aprimorar e realizar cada vez mais programas para a nossa juventude", explica o secretário de Inclusão e Desenvolvimento Social, Régis Athanázio Bueno.

"Hortolândia avançou muito nas suas políticas públicas com a criação do Comitê e com a possibilidade de realizar esse diagnóstico. Nós estamos envolvendo todas as nossas escolas. Capacitar os nossos gestores é essencial para que estejam preparados para realizar o trabalho de acolhimento e entender as necessidades e particularidades dos nossos alunos. Esse é um passo concreto para a Educação da cidade ficar cada dia melhor", analisa a secretária de Educação, Ciência e Tecnologia Sandra Fagundes Freire

Prefeitura de Hortolândia doa mais de 15 mil cestas básicas durante pandemia

Durante a pandemia do Coronavírus, a Prefeitura de Hortolândia já doou 15.281 cestas de alimentos a moradores em vulnerabilidade social, inscritos no CadUn (Cadastro Único), com direito ao benefício. A entrega é feita por meio dos CRASs (Centros de Referência de Assistência Social), mediante triagem agendada.

O horário para a retirada das cestas básicas é de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. “Quem tiver direito continuará recebendo as cestas nos CRASs", esclarece o secretário de Inclusão e Desenvolvimento Social, Régis Athanázio Bueno.

Triagem para obter as cestas básicas

A triagem pode ser agendada, das 9h às 15h, de segunda a sexta-feira, por telefone, WhatsApp ou e-mail, segundo a Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social.  A presença na unidade de assistência é apenas para a retirada dos materiais, sem aglomerações para preservar a vida da população, evitando a disseminação do Coronavírus.

Para solicitar a cesta básica ou outros produtos emergenciais, o morador deve entrar em contato com o CRAS da região em que mora. A cidade conta atualmente com quatro CRASs. Eles estão localizados na Região Central e nos jardins Amanda, Novo Ângulo e Primavera.

Veja abaixo os critérios estabelecidos para a retirada dos materiais:

O artigo 6º da resolução 04 do Conselho Municipal de Assistência Social de Hortolândia aponta que os Benefícios Eventuais serão concedidos para residentes em Hortolândia, de acordo com nível de prioridade, sendo:

I. Indivíduo e/ou família, desprovida de qualquer renda ou benefício (Federal, Estadual ou Municipal).

II. Indivíduo e/ou família, com renda mensal per capta de R$ 0, 00 a R$ 89,00 (extrema pobreza).

III. Indivíduo e/ou família, com renda mensal per capta de R$ 89,00 a R$178,00 (pobreza).

IV. Indivíduo e/ou família, com renda mensal per capta de até 1/4 de salário mínimo.

V. Famílias atingidas por situação de calamidade pública

VI. Demais complexidades a serem observadas pela equipe técnica.

 

 

 

Confira abaixo os canais de contato com os CRASs para agendamento e esclarecimento de dúvidas:

 

Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social: 3965-1400 ramais 8204, 8210 e 8220; 3965-1438; 99976-4011 (WhatsApp)

 

CRAS Amanda: 3909-3642 / 3909-2140 /WhatsApp: 99976-1602

 

CRAS Central: 3865-1133 / 3897-2519 /WhatsApp: 99817-0620

 

CRAS Novo Ângulo: 3845-7629 / 3809-1945 / WhatsApp: 99910-9085

 

CRAS Primavera: 3909-2292 / 3909-0627 /WhatsApp: 99976-1874

 

Projeto para aprimorar ações voltadas à infância e à juventude de Hortolândia será lançado nesta quinta-feira (02/07)

A Prefeitura de Hortolândia, o CMDCA (Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente), o Fumcria (Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente) e o Instituto CPFL (Companhia Paulista de Força e Luz) lançam, nesta quinta-feira (02/07), em evento online, das 9h às 12h, o Programa “Conhecendo para Proteger". A iniciativa visa elaborar um diagnóstico social da infância e da juventude na cidade com o objetivo de aprimorar, aperfeiçoar e ampliar os programas de defesa e proteção existentes no município, além das políticas públicas voltadas a esta faixa etária.

A atividade será realizada de maneira online com representantes da Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, dos três órgãos responsáveis pelo programa, da esfera jurídica e também da sociedade civil. Para participar do lançamento do programa de diagnósticos para a juventude de Hortolândia, basta acessar o link bit.ly/LançaDiagnostico, do aplicativo Zoom, usando o ID da reunião: 924 2466 6889 e senha: 096370.

"A participação de todos é fundamental para a construção destes diagnósticos e construirmos mais programas que ajudem nossas crianças e adolescentes. Elas são o futuro e devem estar amparadas e protegidas. Com a ajuda de todos, vamos aprimorar e realizar cada vez mais programas para a nossa juventude", explica o secretário de Inclusão e Desenvolvimento Social, Régis Athanázio Bueno.

"As reuniões acontecerão periodicamente, sempre de maneira online, para que possamos chegar ao nosso objetivo. Ao final do mês de outubro, já teremos chegado aos diagnósticos necessários para melhorarmos as ações para crianças e adolescentes na cidade. O Instituto CPFL também é um grande parceiro neste programa com os recursos doados ao Fumcria que podem mudar a vida dos jovens de Hortolândia", explica Átila Paz, presidente do Conselho Municipal da Criança e do Adolescente de Hortolândia.

 

Defesa Civil alerta para queda de temperatura

A Defesa Civil do Estado de São Paulo emitiu, nesta segunda-feira (29/06), um alerta para as baixas temperaturas que podem atingir a região de Campinas da noite desta terça-feira (30/06) até sexta-feira (03/07). De acordo com o órgão estadual, as temperaturas mínimas na região devem oscilar de 10 a 15 graus até o final da semana. Em Hortolândia, a Defesa Civil municipal pede atenção da população nos dias mais frios e a Prefeitura intensifica a Operação Inverno para auxiliar pessoas em situação de rua, durante a estação mais fria do ano.

"Caso haja quedas bruscas na temperatura nestes dias, é importante a população de todas as idades se manter aquecida dentro de suas residências, além de tomar cuidado com a saúde para evitar doenças respiratórias, já que estamos passando pela pandemia do Coronavírus", explica o gerente da Defesa Civil de Hortolândia, Iluíde Carbonero.

Operação Inverno

Com a chegada do inverno e as quedas bruscas de temperatura previstas pela Defesa Civil do Estado de São Paulo para esta semana, a Prefeitura de Hortolândia intensifica as ações para abrigar e proteger a vida de quem mais precisa por tempo indeterminado. A Operação Inverno segue em andamento no Ginásio Poliesportivo Victor Savala, no Jardim Nossa Senhora de Fátima.

Equipes da Administração Social convidam, todas as noites, pessoas em situação de rua para passar a madrugada no abrigo que está funcionando no espaço esportivo. Cerca de 30 pessoas estão permanentemente abrigadas no espaço esportivo.

"Essa orientação para as pessoas em situação de rua acontece inclusive aos finais de semana, a partir das 18h. O abrigo montado no ginásio funciona 24 horas, todos os dias da semana, com capacidade para 60 pessoas. No local, os abrigados recebem quatro refeições diárias (café da manhã, almoço, café da tarde e jantar)", explica o secretário de Inclusão e Desenvolvimento Social, Régis Athanázio Bueno.

A comunidade também pode ajudar. Quem vir alguma pessoa em situação de rua na cidade pode entrar em contato com a Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social por meio do telefone (19) 99936-6459. O número funciona 24 horas, de segunda-feira a domingo.

Campanha do Agasalho 2020

A Campanha do Agasalho 2020, iniciativa do Fussp (Fundo Social de São Paulo), em parceria com o Funsol-Hortolândia (Fundo Social de Solidariedade) vai até o dia 22 de setembro. Por conta da pandemia do Coronavírus, só será aceita a doação de cobertores novos. A medida é adotada para evitar a disseminação da COVID-19. Pessoas físicas e jurídicas podem fazer a doação. As coletas são realizadas com segurança, por equipes da Administração Municipal, nos locais identificados pelos doadores para evitar a disseminação da doença.

Informações de como realizar as doações podem ser obtidas por meio do telefone 3965-1400, no ramal 8224 ou pelo email: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. . O horário de atendimento é de segunda a sexta-feira, das 9h às 15h.

 

Assinar este feed RSS